Para novas receitas de vida

Publicação: 2017-07-28 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Melhorar o desempenho na cozinha de casa, aprender um prato novo, ou mudar de ramo profissional. Cada um sabe a receita que mais o apetece. Mas seja qual for o interesse, ter conhecimento na área culinária é fundamental. A consciência disso se reflete no número cada vez maior de pessoas que procuram cursos técnicos específicos para melhorar. O Senac é uma das instituições mais procuradas para isso. A temporada de inscrições está aberta, convém aproveitar.

“A gastronomia é um segmento efervescente, sempre tem novidade a cada trimestre, e cada vez mais gente interessada”, diz Lucinete Araújo, coordenadora de programação. Desde 2012 o Senac absorveu a demanda que antes era oferecida pelo hotel/escola Barreira Roxa, desde então fechado. A sede da Cidade Alta montou cozinhas pedagógicas e reuniu uma equipe de chefs com certificado internacional. A oferta é saborosa para quem deseja aprender.

O curso mais longo é o de cozinheiro profissional, com duração de 16 semana e 500 horas de aula
O curso mais longo é o de cozinheiro profissional, com duração de 16 semana e 500 horas de aula

Carga-horária
Entre cursos mais longos de qualificação e oficinas mais curtas, as opções abrem o apetite. O mais longo (500 horas, 16 semanas) e mais procurado é o de cozinheiro profissional. “É o curso para quem deseja se inserir realmente no mercado e até empreender, abrir o próprio negócio”, ressalta Lucinete. Outro curso longo é o ‘técnicas de confeitaria’ (80 horas), cuja procura vem crescendo bastante, já sendo uma dos mais procurados da grade.               

Os demais cursos têm 20 horas, e abrangem diversas especialidades: comida de boteco, culinária italiana, culinária asiática, preparo de pães artesanais, fit chef, culinária para executivos, culinária à base de peixes e frutos do mar, culinária mineira, cozinha zero: açúcar, glúten e lactose, e culinária light e diet. As turmas devem ter no máximo 16 alunos, para que o rendimento seja o melhor possível.

Ensino prático
Apesar de também contar com teoria, os cursos focam no ensino prático. Lucinete explica que o laboratório reproduz com perfeição uma cozinha profissional original, portanto, o aluno sai preparado para não se sentir intimidado diante de uma cozinha “de verdade” nos restaurantes e bares. Os perfis dos alunos são os mais variados possíveis. “Varia conforme a oferta. Temos desde a dona de casa até o executivo, alguém que procura um hobby ou uma forma de incrementar o orçamento caseiro, ou apenas receber melhor os amigos em casa. Há basicamente uma diferença de perfil entre quem faz os cursos de qualificação e os cursos pequenos”, explica.

Novos cursos
O glamour que cerca o cenário gastronômico atual tem seu peso, mas o profissionalismo é o item mais importante. “Os empresários da área procuram bastante nossos alunos, pois querem mão de obra qualificada. Temos um banco de oportunidades que faz a intermediação entre o aluno e o mercado”, diz a coordenadora.

Para 2018 já há novidades programadas. Uma delas é o lançamento de um novo curso de padeiro que terá 300 horas. Esse curso é fruto de uma parceria entre o Senac e a Alemanha, que envia seus profissionais para passar mais conhecimento aos brasileiros. A nova leva de cursos incluirá ainda cozinha vegana, mini chefs, comida para bebês, e culinária para iniciantes, voltadas para aqueles que não sabem “fritar um ovo”. Não terá mais desculpa.

Serviço
Cursos gastronômicos do Senac.
Inscrições pelo 4005-1000. Link: http://www.rn.senac.br/uploads/downloads/arq_104.pdf.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários