Parabéns, bravo lutador!

Publicação: 2020-05-22 00:00:00
A+ A-
José Maria Chaves Pinheiro Lopes
Em homenagem ao seu tio

Em verdade, palavras nem sempre são suficientes para expressar a gratidão e o respeito que temos para com a pessoa que sempre nos incentivou e apoiou na vida. Refiro-me ao meu tio Elói Chaves de Oliveira, que aniversaria neste 22 de maio. Exemplo de um lutador. Nascido em Pau dos Ferros, na juventude residiu em Natal, acolhido, junto com a sua mãe, Britalda Chaves, irmãs e irmãos pela generosidade dos tios Militão e Raimundo Chaves.

No final da década de 50 resolveu migrar para o Amapá, onde transformou-se pelo trabalho árduo no artesão que construiu a sua própria existência. Conduzindo um trator, abriu caminhos e estradas naquele estado do Norte. Teve a emoção de reencontrar o seu pai, depois de muitos anos de ausência. Aprendeu a conviver cordialmente com os índios, a quem presenteava com “projéteis 38”, que usavam na caça. Depois foi para Minas Gerais, onde trabalhou na construção de Furnas.

Retornando a Natal, voltou a trabalhar no negócio dos seus tios Militão e Raimundo Chaves. Depois, com o irmão Ilo Chaves. Mas na década de 60 começou o seu caminho de sucesso. Adquiriu um caminhão Chevrolet Brasil, verde e branco em 62, 0K. Com ele transportou fretes por todo o Brasil, enfrentando estradas em péssimo estado de conservação. A única asfaltada, em parte, era a Rio/Bahia.

Neste interregno completou a sua vida ao retirar de um convento católico a bela e jovem noviça Maria Zita Fernandes, com quem contraiu núpcias aos 15 dias de janeiro de 1963. Juntos, constituíram admirável família. Com amor, geraram os filhos Elozita, Sheila, Patrícia, Fabíola e Kelber. Elozita tornou-se dentista, e mantém um consultório de grande nomeada, em Natal. Sheila, Patrícia e Fabíola com capacidade e competência, trabalham na distribuidora. Kelbinho tem seu próprio negócio.

Tio Eloi prosperou e aumentou a sua frota de caminhões de carga, até atingir crescimento significativo da sua transportadora. Pelo sucesso da empresa, resolveu diversificar a sua atividade comercial e montou uma revenda de automóveis, por pouco tempo. Logo prosseguiu a sua vocação de empreendedor provecto. Abriu uma fornecedora de produtos para panificadoras, cujo carro-chefe era a farinha de trigo. Deu certo. Logo em seguida comprou uma fazenda. Adquiriu outras terras transformando-as em modelos de atividades pecuárias. Tornou-se respeitado pecuarista, sem prejuízo do crescimento contínuo da distribuidora, que Patrícia, Sheila e Fabíola, com muito trabalho e dedicação elevaram os 4 itens inicias, para mais de 4.000. Desenvolvimento exponencial.

Não estarei aí para abraçá-lo, como desejaria, em face da pandemia que nos atinge a todos. Abraço-o com o coração, que transmite amor. 
Hoje, aqui em Brasília, junto com seus sobrinhos, sobrinhas e o seu irmão caçula Toinho Chaves, olharemos em direção ao Céu para pedir a Deus que lhe conceda muitos anos de trabalho e luta.

Por estes fatos rendo homenagem ao senhor, Tio Eloi, meu herói, na data do seu aniversário. E também ao seu afilhado Helder Francisco Chaves Lopes, que minha Santa Tia Zezinha o escolheu como padrinho. Que o seu exemplo prospere como inspiração para os jovens de hoje, que verão na sua trajetória, o estímulo edificante para enfrentarem as dificuldades da vida. 






Deixe seu comentário!

Comentários