Paralisação afeta cerca de 700 cirurgias em Natal

Publicação: 2019-10-08 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Uma paralisação iniciada há uma semana por médicos da rede privada de Natal afetou cerca de 700 cirurgias nesse período. O motivo da suspensão no atendimento é uma dívida da Secretaria de Estado da Saúde Pública do Rio Grande do Norte (Sesap-RN), em torno de R$ 4 milhões, com a Cooperativa Médica do RN, referentes ao mês de junho. 

O lixo hospitalar nesta segunda-feira continuava acumulado, sem coleta no Walfredo Gurgel
O lixo hospitalar nesta segunda-feira continuava acumulado, sem coleta no Walfredo Gurgel

Em comunicado, a Coopmed informou que os pacientes deixaram de realizar procedimentos e intervenções cirúrgicas nos Hospitais Varela Santiago, Liga Contra o Câncer, Hospital Memorial, Hospital Rio Grande, Hospital Paulo Gurgel e Hospital do Coração. A suspensão das cirurgias da alta e média complexidade envolve mais de 150 médicos. De acordo com a entidade, pacientes do interior não estão sendo recepcionados.

De acordo com Petrônio Spinelli, secretário adjunto da Sesap, o pagamento que diz respeito ao Governo do Estado foi regularizado nesta segunda-feira (07) à Prefeitura do Natal, que repassa o montante à cooperativa. O custeio da Sesap é de 60% do contrato, com os outros 40% sendo de responsabilidade da prefeitura.

“Já comunicamos a Coopmed que o dinheiro já está na prefeitura de Natal para que possa ser pago e que essas cirurgias sejam normalizadas. Pela nossa planificação, que nós conseguimos junto a Seplan, a expectativa é que até o final do mês paguemos outra parcela para deixar a situação mais confortável”, comentou. A Coopmed informou que não foi informada, até o fechamento desta edição, sobre esse pagamento.

A justificativa para o atraso, de acordo com Spinelli, é de que, além da dificuldade financeira da pasta, há um trâmite para que o dinheiro seja liberado para as empresas, como auditorias e processos entre a prestação do serviço e o devido pagamento.

Situação semelhante é com relação ao lixo hospitalar em unidades hospitalares do Governo do Estado, como o Hospital Estadual Walfredo Gurgel e o Santa Catarina, ambos em Natal. O material não vem sendo recolhido

A dívida, segundo Spinelli, é de aproximadamente R$ 400 mil,  referentes a dois meses, e a expectativa era de quitar o valor ainda nesta segunda-feira (07), para que a empresa retome os serviços já nesta terça-feira (08).





continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários