Parlamento derrota Boris Johnson

Publicação: 2019-09-10 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O Parlamento do Reino Unido rejeitou na noite desta segunda-feira, 13, (já madrugada de terça-feira em Londres) o pedido do primeiro-ministro Boris Johnson para antecipar eleições. Houve 293 votos a favor da proposta oficial, mas o governo não conseguiu a maioria de dois terços necessária para antecipar a disputa nas urnas.

Johnson é favorável à saída do Reino Unido da UE sem acordo
Johnson é favorável à saída do Reino Unido da UE sem acordo

Outros 46 legisladores votaram contra a proposta. Para Johnson, a eleição antecipada seria o meio de se sair do impasse atual, no qual o Parlamento pressiona para que apenas se deixe a União Europeia (Brexit) após um acordo com o bloco. O premiê diz que conseguirá renegociar os termos da saída a tempo, mas há grande ceticismo em Londres sobre suas chances de sucesso. Mais cedo, ele insistiu que não pedirá mais prazo à UE.

Na semana passada, o Parlamento britânico havia votado contra proposta similar do premiê por eleições antecipadas. Johnson queria uma eleição em 15 de outubro, mas os legisladores antes exigem garantias de que não haverá uma saída da UE sem acordo.

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, rejeitou pedir mais prazo para a União Europeia e adiar a saída do país do bloco. Segundo Johnson, o povo britânico poderia participar de uma eleição geral antecipada e decidir se deseja essa alternativa para o Brexit. As declarações foram dadas durante sessão da Câmara dos Comuns, pouco antes de que o Parlamento entre em recesso até 14 de outubro.

A data atual da saída do Reino Unido da UE é até 31 de outubro. Líder do oposicionista Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn criticou a postura de Johnson e disse que não apoiará eleição geral até que um Brexit sem acordo tenha sido descartado. "O governo não está buscando um acordo de boa fé", afirmou Corbyn, alertando para o "desastre" que seria essa alternativa na saída da UE, inclusive para o comércio e o mercado de trabalho.

O Reino Unido deveria ter saído do bloco econômico europeu em março deste ano.




continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários