PDT e PSB lançam Carlos e Wilma candidatos em Natal

Publicação: 2012-06-24 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O ex-prefeito Carlos Eduardo Alves (PDT) e a ex-governadora Wilma de Faria (PSB) são oficialmente candidatos a prefeito e vice-prefeita de Natal e representarão uma coligação que abrigará pelo menos oito partidos. A homologação do PDT e PSB ocorreu neste sábado (23) durante as convenções partidárias. A aliança abrangerá duas chapas proporcionais – a primeira com  pedetistas e peessebistas; e a segunda composta por PPS, PSD, PPL, PC do B, PRB e PTC. O discurso entre os aliados é de que “Natal precisa sair do caos”, numa referência à gestão da prefeita Micarla de Sousa (PV), que anunciará na segunda-feira (25) a desistência de concorrer no pleito. O presidente nacional do PDT, o ex-ministro Carlos Lupi, prestigiou os eventos.
Rodrigo SenaConvenção contou com a presença do ex-ministro Carlos Lupi e do vice-governador Robinson FariaConvenção contou com a presença do ex-ministro Carlos Lupi e do vice-governador Robinson Faria

Ao discursar, Carlos Eduardo Alves mencionou por diversas ocasiões o “desprendimento” da ex-governadora Wilma de Faria, segundo ele a dona de uma biografia “invejável” na política. “Essa mulher tem o que falta no Brasil, que é muito espírito público. Disse que vai me ajudar porque tem compromisso com Natal”. O ex-prefeito afirmou ainda que Natal vive um momento de “incompetência e irresponsabilidade”. Esse tom foi adotado por praticamente todos os presentes, inclusive pelos peessebistas, a exceção de Adenúbio Melo e Bispo Francisco de Assis, vereadores candidatos à reeleição e que ainda hoje são aliados da prefeita Micarla de Sousa.

O PSB reuniu a militância na Assembleia Legislativa e após finalizado o ato seguiu para o Palácio dos Esportes, em Petrópolis, onde a festa era do PDT. Entre os presentes, o ex-governador Iberê Ferreira de Souza (PSB), que luta contra um câncer há dois anos, pediu saúde para participar ativamente da campanha. A palavra de ordem foi: “libertar Natal do caos”. A gestão do PV permeou praticamente todos os discursos. “Quiseram me aniquilar há quatro anos quando deixei a Prefeitura e hoje a prefeita não tem sequer coragem de se candidatar à reeleição tamanho o estrago que ela fez na cidade”, bradou Carlos Eduardo.

O PSD do vice-governador Robinson Faria (PSD) também homologou as candidaturas para a chapa proporcional. Além de Robinson prestigiaram o evento os deputados Fábio Faria (PSD) e José Dias (PSD) e o ex-deputado Wober Júnior, candidato a vereador pelo PPS. Carlos Eduardo reúne o apoio do maior número de partidos ligados à base de sustentação da presidenta da República, Dilma Rousseff (PT). Neste domingo, o PT deverá homologar a candidatura do deputado Fernando Mineiro, um vôo solo petista. O outro aliado de Rousseff, o PMDB, apresentará o nome do deputado estadual Hermano Morais para concorrer à Prefeitura. Os peemedebistas contarão com o apoio do PR, do deputado João Maia.

“Rebeldes” do PSB passam por saia justa

Se uma palavra puder simbolizar a passagem dos vereadores Adenúbio Melo e Bispo Francisco de Assis pela convenção que homologou os candidatos do PSB ela certamente será “constrangimento”. Os parlamentares que serão candidatos à reeleição na CMN foram ignorados pelo candidato à prefeito da coligação, Carlos Eduardo Alves, ouviram indiretas dos colegas de partido e ainda assistiram calados a um discurso inflamado do presidente nacional do PDT, o ex-ministro Carlos Lupi, que em plena festa pôs em xeque a conduta de vereadores que reprovaram as contas do exercício de 2008 do ex-prefeito pedetista em detrimento de parecer favorável do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

“Quem tem de dizer que Carlos Eduardo é bom ou ruim não é manipulação de parlamentares, mas o povo de Natal”, exclamou Lupi, sob os olhares de reprovação de Adenúbio Melo. Ao contrário de Bispo Francisco de Assis, que teve uma participação discreta, Adenúbio ameaçou deixar o local por diversas ocasiões. Não foi impedido pelas principais lideranças do PSB, mas por aliados próximos. E ficou. Até a  candidata a vice-prefeito, a ex-governadora Wilma de Faria, embora sutilmente, deu uma contribuição à onda de desaprovações contra os parlamentares que desobedeceram a deliberação do partido. “Você fala muito naquele lá de cima, Adenúbio. Isso é muito importante, mas nós temos que dar a nossa contribuição aqui embaixo também”, frisou Wilma.

Antes de ouvir as palavras de reprovação dos colegas de partido Adenúbio Melo pediu a palavra e referendou o que disse antes: “votei contra porque era o certo”, referindo-se ao candidato da legenda a qual pertence. E mais uma vez quis mostrar que é uma peça importante no PSB:  “o partido hoje tem uma deputada federal agradeça a mim”.

Micarla anuncia desistência e PV tenta viabilizar Luiz Almir

A prefeita Micarla de Sousa (PV) anunciará nesta segunda-feira (25) que não se candidatará à reeleição. A informação é da assessoria de imprensa da pevista, que informou também o nome do ex-deputado Luiz Almir como candidato do Partido Verde. O engenheiro Sérgio Pinheiro, ex-secretário Obras Públicas e Infraestrutura (Semopi), foi convidado para figurar a chapa na condição de vice.

Micarla de Sousa fará um pronunciamento às 16h de segunda-feira, na sede do PV, na capital.  Ela dirá os motivos que a fizeram desistir do pleito municipal e anunciará que se dedicará integralmente até o final do ano à gestão. A prefeita, que é presidenta estadual do PV, chegou a anunciar a aliados a disputa no pleito, no entanto, as recentes pesquisas de análise de intenção de votos – sucessivamente apresentando um desempenho pífio, com índices de desaprovação da gestão que batem à casa dos 90% - fez com que a desistência de participação na disputa se consolidasse.

Além disso, pesou também o apelo da família da prefeita, que é proprietária de uma emissora de televisão em Natal. Os familiares temiam que a entrada da Micarla numa disputa praticamente sem chances de vitória pudesse contaminar a emissora. A Ponta Negra tem histórico de multas impostas pela Justiça Eleitoral, chegando a ser retirada do ar em outras campanhas política.

A assessoria de imprensa de Micarla informou que o nome de Luiz Almir foi escolhido pelo próprio diretório municipal de Natal. O ex-deputado, que se preparava para concorrer a uma das vagas na Câmara Municipal de Natal, já teria aceitado o desafio. Os motivos alegados pela prefeita de Natal para o recuo da candidatura à reeleição provavelmente serão a saúde abalada e apelos familiares.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários