Pequenos detalhes

Publicação: 2019-03-16 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Gabriel Felipe está bastante atento ao seu trabalho em “Jezabel”, nova macrossérie bíblica da Record. Integrando o elenco de uma produção de época, o ator tem cuidado na hora de construir seu personagem por conta dos inúmeros detalhes. “Sempre é difícil quando o personagem tem essa pegada religiosa. A linguagem da época é muito diferente. Como não podemos mudar o texto ou criar alguma expressão, fica mais complexo. Estudei a Bíblia e observei as últimas superproduções da Record. Pude aprimorar e desenvolver melhor meu personagem”, explica ele, que viverá o profeta Ezri.

Gabriel Felipe vive Ezri em série bíblica da Record
Gabriel Felipe vive Ezri em série bíblica da Record

“Ainda não posso dar muitos detalhes, mas ele é um dos integrantes do conselho de profetas. É um dos mais entusiasmados”, completa. Recentemente, Gabriel esteve no Marrocos para as primeiras gravações da produção bíblica. Apesar da experiência positiva, o ator enfrentou alguns percalços durante o trabalho, como as baixas temperaturas. “Foi minha primeira viagem para fora do país. Um lugar paradisíaco e encantador. A baixa umidade dificultava nossa respiração, fazendo nosso nariz sangrar. A comida é muito boa, mas muito pesada”, afirma. A trama de “Jezabel” não é o primeiro trabalho de Gabriel na Record. Anteriormente, ele havia integrado o elenco de “O Rico e Lázaro”. “Fiz o protagonista Zac na fase jovem. Depois, o Igor Rickli assumiu o papel. Dessa vez fui convidado pela emissora. Fiquei muito feliz”, vibra. A macrossérie tem estreia prevista para abril.

Máximo de realidade
A equipe de cenografia e produção de arte de “Órfãos da Terra”, próxima trama das seis, construiu um campo cenográfico em uma área de 15 mil metros quadrados, no bairro de Santa Cruz, Zona Oeste do Rio de Janeiro, para as cenas do campo de refugiados. As gravações duraram uma semana e envolveram mais de 300 figurantes, sendo 30 de origem árabe. A novela também selou um acordo de parceria técnica com o ACNUR – Agência da ONU para Refugiados, que contou com a colaboração de uma arquiteta da agência para a montagem do campo cenográfico. A organização disponibilizou uniformes e tendas reais de operações humanitárias – que foram substituídas pela Globo por novas unidades habitacionais – e com o compartilhamento de informações sobre o contexto de deslocamento forçado e integração sociocultural das pessoas refugiadas.

Hora de dar tchau
Otaviano Costa se despede das tardes de sábado. Hoje, a Globo encerra a primeira temporada do “Tá Brincando”. No quadro “Todo Mundo Tá Brincando”, o apresentador convida para o palco a jovem americana Bella Gantt, de 12 anos, que apresenta seu repertório como acrobata. Mostrando o talento da equipe mais velha, Otaviano convida ainda a dupla O Tempo – formada por Leon Schlosser, de 83 anos, e Edson Silva, de 52 anos – para outro show de talento.

Preparação para a Copa América
Sem o “Tá Brincando” na grade de programação, a Globo exibirá o amistoso entre Brasil e Panamá no próximo sábado, dia 23. Será o primeiro jogo da seleção de Tite em 2019. A partida acontece na cidade do Porto, em Portugal.

Foi bem
Para a abordagem atual da trama de Amanda, interpretada por Pally Siqueira em “Malhação”. Na história, a personagem sofre de esclerose lateral amiotrófica e o folhetim apresenta a doença de forma delicada, didática e por um viés otimista.

Foi mal  
Para a frustrante primeira temporada do “Tá Brincando”, da Globo. Apesar do carisma de Otaviano Costa e da superprodução, o programa mostrou um ritmo fraco e, por diversas vezes, ficou muito preso ao roteiro.










continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários