Cookie Consent
Economia
Perda de competitividade do etanol é preocupação extra
Publicado: 00:00:00 - 07/04/2013 Atualizado: 22:22:57 - 06/04/2013
Não é apenas a seca que preocupa o setor. Os produtores também se mostram preocupados com a falta de competitividade do etanol produzido nas usinas. 

Abastecer com etanol deixou de ser vantajoso em vários estados do país. Produzir não tem compensado, principalmente em períodos de seca, quando os custos com irrigação aumentam.

Leia Mais


Eduardo Farias, presidente do Grupo Farias, é um dos que reclamam da falta de uma política de garantia de preço. Ele é dono de oito usinas de açúcar e álcool no país - duas delas no Nordeste - e diz ter engavetado os projetos. “No máximo, vou manter o que já tenho”.

Segundo dados da União da Indústria de Cana de Açúcar (Única), que representa o setor de açúcar e bioetanol no Brasil, 30 usinas fecharam só em São Paulo, principal centro produtor, nos últimos quatro anos. Não há inaugurações em vista. “Se não houver uma política de preço, não haverá investimento”, resume Sérgio Prado, coordenador de Comunicação Regional da Única em Ribeirão Preto. Os produtores querem que o governo federal compense, através de Medidas Provisórias, as perdas nas últimas safras. Só assim, o setor terá capital para investir.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte