Cookie Consent
Economia
Petrobras decide adiar convocação de assembleia
Publicado: 00:01:00 - 26/05/2022 Atualizado: 22:59:49 - 25/05/2022
São Paulo (AE) - O Conselho de Administração da Petrobras se reuniu nesta quarta-feira (25) e decidiu adiar a convocação da Assembleia Geral Extraordinária (AGE) que vai eleger novos membros, inclusive o executivo indicado pelo governo para a presidência da companhia, Caio Paes de Andrade, atual secretário Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia. Em nota, a estatal informou que o órgão vai esperar a indicação e a análise dos novos representantes do governo antes de chamar a AGE, que terá um custo de R$ 1,3 milhão à companhia.  

Segundo comunicado enviado nesta quarta-feira, pela Petrobras, a indicação de Paes de Andrade será submetida ao processo de governança interna, observada a Política de Indicação de Membros da Alta Administração, para a análise dos requisitos legais e de gestão e integridade e posterior manifestação do Comitê de Pessoas.

De acordo com especialistas em governança, Paes de Andrade não preenche os requisitos exigidos tanto pelo estatuto da empresa como pela Lei das Sociedades Anônimas. Paes de Andrade não tem experiência no setor de petróleo e gás e nem possui pelo menos 10 anos à frente de uma empresa da área da empresa, ou quatro anos em uma companhia do mesmo porte, como determina a lei. Acionistas minoritários já se movimentam para entrar na Justiça se o executivo for aprovado, o que deve acontecer porque o governo é acionista majoritário da Petrobras e tem a maioria das cadeiras no conselho.

Conforme o comunicado, a convocação da AGE ainda depende de duas etapas. O governo ainda precisa enviar as indicações dos demais sete membros para o Conselho de Administração e é preciso ter a manifestação do Comitê de Pessoas da empresa acerca do enquadramento dos indicados aos requisitos e às vedações legais, regulamentares e estatutárias, para que seja incluída na proposta da administração para a realização da AGE. 

"Após as mencionadas etapas, o Conselho se reunirá novamente para deliberar sobre a convocação da AGE ", informou a Petrobras. Na AGE, será votada a destituição de Coelho do cargo de membro do Conselho de Administração da Petrobras. Se aprovada, demandará a eleição de oito membros do colegiado e eleição de um novo presidente do conselho. Os outros três nomes que compõem o órgão vão permanecer no cargo por terem sido eleitos em votação separada. 

A estatal destacou ainda que todas suas AGEs estão sujeitas ao prazo de 30 dias entre a convocação e a realização, pelo fato de ser emissora de ações que servem de lastro para American Depositary Receipts (ADRs). O Conselho tem até o dia 1º de junho para convocar a asssembleia. A reunião desta quarta do conselho já estava marcada e foi a primeira após o anúncio de troca de comando na estatal.  Pauta original do encontro era destinada à discussão sobre o preço dos combustíveis e investimentos.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte