PIB maior em 2020

Publicação: 2020-01-15 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Luiz Antônio Felipe
laf@tribunadonorte.com.br

O governo eleva a projeção para crescimento do PIB em 2020 a 2,40%. O Ministério da Economia revisou para cima sua projeção para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2020. No último relatório Focus, do Banco Central, os analistas de mercado consultados pelo Banco Central estimaram uma evolução de 2,30% para o PIB de 2020. Para 2021, a estimativa é de alta de 2,50%. Precisa para isso um aumento dos investimentos públicos e um maior consumo das famílias e do próprio Poder Público.

Cotações
Mais um dia de pouca variação no mercado. Dólar, euro e petróleo teve uma leve oscilação durante os negócios ontem. No front EUA x Irã, por enquanto, tudo calmo.

Serviços
O volume de serviços prestados cai em novembro, ante outubro, após dois meses de alta. Nada muito significativo, segundo analistas. A taxa acumulada em 12 meses é de 0,9%, com  três das cinco atividades pesquisadas, com  perdas no período. Segudo o IBGE, no mês anterior, o indicador teve alta de 0,8%.

Indústria
Já a produção industrial caiu em 11 dos 15 locais pesquisados pelo IBGE, em novembro.  Em São Paulo, maior parque industrial do País, houve uma redução de 2,6%. As demais perdas ocorreram no Paraná (-8,0%), Espírito Santo (-4,9%), Pernambuco (-4,1%), Bahia (-3,5%) e Minas Gerais (-3,4%). Na região Nordeste foi de apenas -1,0%. No Ceará a produção cresceu 3,4%.

Salário
O reajuste do salário mínimo pela inflação de 2019 é uma questão de justiça social (R$ 1.045,00). O próprio presidente  Bolsonaro  disse ontem ver margem para reajustar salário mínimo e os benefícios previdenciários para repor a inflação (poder de compra). Mais salários, mais consumo. Na oiutra ponta, das despesas a constatação do Dieese é de um aumento muito pequeno no custo da cesta básica. Um ganho de renda.

Renda menor
Em pesquisa elaborada com base em dados do IBGE, a Fundação Getulio Vargas (FGV) Social constatou que, enquanto a população de baixa renda passou a ganhar ainda menos nesse período, enquanto os mais ricos melhoraram de vida. O país passou “do crescimento inclusivo à recessão excludente” no período, alertou o coordenador da FGV Social, Marcelo Neri. Os avanços percebidos até 2014 foram quase esquecidos nos anos seguintes.

Pesquisa
A nova estação brasileira na Antártica tem 4,5 mil metros quadrados, 17 laboratórios acomodando até 64 pessoas. Tem  sistema de energia híbrido, voltado para a redução do consumo de diesel e consequente redução de emissões locais de gases de efeito estufa. O sistema complementar ao diesel tem oito geradores de energia eólica e 30 paineis fotovoltaicos. 

Aftosa
O envio das propostas da consulta pública sobre a revisão do programa de erradicação da aftosa termina amanhã, dia 16. O objetivo é atualizar a legislação em relação às mudanças do Código de Animais Terrestres da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) e adequá-la ao processo de retirada gradual da vacinação contra a doença no Brasil. O Brasil está no caminho para obter o reconhecimento de zona livre da aftosa.

Presença
Empresários potiguares participam de duas feiras nos Estados Unidos, de tecnologia em Las Vegas e do varejo, em Nova Iorque, da Couromoda, em São Paulio e da VakantieBeurs 2020, em Utrech, na Holanda, de 15 a 19 de janeiro.  a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do RN  (ABIH-RN), através de convênio com as prefeituras de Natal, Maxaranguape e Tibau do Sul, garantiu presença.

Tarifas
O Radar de Tarifas Aéreas da Fecomércio RN já mostra uma maior aproximação das tarifas dos voos que chegam a Natal, vindos dos principais polos emissores de turistas do país: Belo Horizonte, Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro. Compara com os valores destes mesmos voos chegando às capitais dos estados vizinhos (João Pessoa, Recife e Fortaleza).

Recorde
A aérea holandesa KLM transportou um número recorde de passageiros em 2019. A companhia ultrapassa a marca de 35 milhões de passageiros, com taxa de ocupação próxima dos 90%.  Entre o Brasil e a Holanda, a companhia transportou 535 mil passageiros das bases no Brasil (Fortaleza, Rio de Janeiro e São Paulo) e Amsterdã. A taxa de ocupação, entre 2018 e 2019, ficou acima dos 90%.





continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários