Picadeiros em festa

Publicação: 2011-02-04 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Sob a tenda do circo, muitas emoções desfilam. Quando a luz aponta para o picadeiro a festa começa, e a temporada está boa em Natal para quem aprecia as cores e luzes do espetáculo. O tradicional Circo Portugal, armado no largo do Machadão, segue em temporada até o dia 14 de fevereiro. Novas temporadas também começaram para o Circo Grock, e o Circo Tropa Trupe e seus cursos. Agenda cheia para um respeitável público.

Pela primeira vez em temporada potiguar, Circo Portugal investe em tecnologia das águas dançantes e plateia de 3 mil lugaresÁguas dançantes e Globo da morte

O Circo Portugal começou sua atual temporada nordestina por Natal. É a primeira vez do circo na capital potiguar. “Nosso espetáculo é moderno. Procuramos inovar sem perder a raiz circense original, usando a tecnologia para deixar o espetáculo mais bonito”,explica o proprietário Marcos Portugal. O circo tem 3.250 lugares, sendo o camarote para 180 espectadores. Para vir a Natal foram 28 carretas com mais de 500 toneladas de equipamentos, junto a 42 famílias, totalizando 130 pessoas entre artistas brasileiros, ingleses, americanos e argentinos.

O espetáculo tem duas horas. No palco, destaque para o Globo da Morte com seis motoqueiros, nos moldes do que se faz nos shows de Las Vegas. As ‘águas dançantes de Paris’ também costumam encantar a plateia, com suas coreografias, efeitos especiais e iluminação computadorizada. Aliado a isso, os bons números tradicionais com palhaços, mágicos, acrobatas, trapezistas, equilibristas e malabaristas. O circo não trabalha com animais há cerca de 10 anos. Foram doados ao zoológico.

O circo tem origem lusitana, tendo nascido na cidade de Braga, em Portugal, há 72 anos. Marcos Portugal faz parte da oitava geração de administradores do circo. As sedes no Brasil estão estabelecidas em Brasília, São Paulo e Belo Horizonte. A temporada nordestina seguirá de Natal Recife e Salvador. Segundo Marcos, a tecnologia é hoje uma aliada do artista de circo. “É capaz de suprir a falta dos animais e permite mais ousadia e beleza nos números”, afirma.

Espaguete e Ferrugem reeditam números divertidos

O Circo Grock, território dos palhaços Espaguete e Ferrugem, encerra férias e volta aos trabalhos a partir desta sexta-feira, no prolongamento da Prudente, Cidade Satélite. Hoje, às 18h30, a apresentação tem caráter especial,  com o objetivo arrecadar fundos para a viagem da Escola de Dança do Teatro Alberto Maranhão (EDTAM) à Alemanha. A noite vai integrar artistas da dança e do circo, em momento particular.

O retorno oficial será no domingo, às 17h, retomando a temporada habitual do Grock. Segundo Nil Moura (o palhaço Espaguete) a casa deu repaginada no visual e está com nova iluminação. O espetáculo, de 1h30, traz os palhaços anfitriões mais números de balé aéreo, equilibrismo e magia. O circo tem espaço para 400 espectadores. Segundo Nil, o público do circo não está mais restrito só às crianças.

Tropa Trupe retorna

O Circo Trope Trupe retomou atividades no campus universitário. As atividades por enquanto são as dos cursos do projeto: aulas de tecido acrobático com Luísa Guedes, , às segundas e quartas (R$20 aula avulsa), e os treinos de capoeira Angola, pelo Núcleo Egbé de Capoeira Angola, às terças, quintas e sextas (não é cobrada mensalidade). Ainda em fevereiro vai reestrear “O tempo – um espetáculo artemporal’, com direção de Quitéria Kelly. Terá temporada, em breve.

Serviço:

Circo Portugal. Largo do Machadão. Preços: R$20 (adulto), R$10 (criança), e R$120 (camarote para quatro). Crianças a partir de 3 anos já pagam.

Circo Grock. Prolongamento da Prudente, Cidade Satélite. Temporada fixa aos domingos, 17h. Entrada: R$10 (inteira) e R45 (estudante).

Circo Tropa Trupe. Campus da UFRN. Aulas de tecido acrobático e capoeira de Angola.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários