PM investiga alunos que receberam ajuda de R$ 600

Publicação: 2020-06-05 00:00:00
A+ A-
O Comando Geral da Polícia Militar do Rio Grande do Norte abriu investigação contra 252 alunos do Curso de Formação da Corporação por eles terem recebido o auxílio emergencial do Governo Federal em virtude da pandemia de coronavírus.Os alunos que receberam a quantia de R$ 600 paga pela União foram orientados a devolver o dinheiro.

Segundo a comunicação da Polícia Militar, os alunos pertencem ao Centro de Formação de Praças da PM. Embora ainda não tenham a estabilidade na corporação, os alunos já são considerados como militares da corporação e recebem uma bolsa no valor de um salário mínimo (R$ 1.045 por mês). Mesmo com a suspensão do curso em virtude da pandemia, os militares em formação seguem recebendo o valor.

A orientação por parte da Polícia Militar foi de que os alunos que receberam o auxílio efetuem a devolução ao Ministério da Cidadania, além de cancelar o cadastro na plataforma para evitar futuros recebimentos.

Os alunos foram informados sobre a situação e serão convocados para prestar depoimento ao Comando da PM. Caso as investigações comprovem má fé dos alunos e a irregularidade no recebimento do auxílio, os agentes em formação poderão sofrer sanções, que vão desde a punições administrativas à exclusão da corporação.

Em nota, a Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar do Rio Grande do Norte (ACSPMRN), disse que “cabe esclarecer que a Polícia Militar do RN é remunerada por subsídio, e que na tabela da Lei que instituiu essa remuneração não existe a figura do Aluno Soldado, isso porque eles não recebem subsídio, e sim, uma “bolsa” no valor de um salário mínimo, cuja finalidade é custear gastos com o referido curso, como alimentação, transporte, material escolar, dentre outros que não são fornecidos pela instituição”.

Ainda no comunicado oficial, a entidade disse que “os alunos-praças se enquadram nos requisitos de renda exigidos pelo Ministério da Cidadania no tocante ao recebimento do benefício, tanto no aspecto de renda per capita ou da renda familiar, tendo inclusive alunos-praças que receberam o benefício sem sequer requererem, haja vista que já eram cadastrados em programas assistenciais do Governo Federal”.





Deixe seu comentário!

Comentários