Polícia Civil investiga mais uma chacina no Mosquito

Publicação: 2021-03-03 00:00:00
Milka Moura
Repórter

Três homens e uma mulher foram assassinados na manha dessa terça-feira (2) na comunidade do Mosquito, zona Oeste de Natal. As vítimas tinham entre 23 e 26 anos de idade. Um dos homens usava tornozeleira eletrônica. O Instituto Técnico-Científico de Perícia do Rio Grande do Norte (Itep/RN) foi acionado e peritos realizaram a retirada dos corpos para análise. O caso será investigado pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil. A guerra entre facções criminosas é a principal linha de investigação.

Créditos: ReproduçãoAlice Melo, 19 anos, vítimaAlice Melo, 19 anos, vítima

Segundo a Polícia Civil, o crime aconteceu no início da manhã, por volta das 5h, e foi praticado por um grupo formado por homens. Ainda não é possível dizer ao certo quantas pessoas participaram dos assassinatos, mas os investigadores estimam que existam pelo menos cinco homens envolvidos nas mortes. 

Créditos: ReproduçãoTiago Fabrício, 26 anos, vítimaTiago Fabrício, 26 anos, vítima

A suspeita é de que os homens  tiveram acesso à comunidade pela maré do Rio Potengi. Eles arrombaram uma igreja da comunidade e uma casa, onde uma das vítimas estava, sendo  retirada pelos suspeitos e levada para o local onde aconteceu a execução, nas proximidades da ponte. As mortes foram provocadas por disparos de armas de fogo de calibres diversos, segundo informações da Polícia Civil. 

Créditos: ReproduçãoThiago José, 26 anos, vítimaThiago José, 26 anos, vítima

Ainda não se sabe a motivação exata do crime, porém, segundo o delegado Marcos Vinícius, da DHPP, a motivação preliminar estudada pela Divisão, seria a guerra entre facções do Primeiro Comando da Capital (PCC) e do Sindicato do Crime do Rio Grande do Norte, que atuam no tráfico de drogas e disputam o domínio da região.

Créditos: ReproduçãoJocenildo Silva, 24 anos, vítimaJocenildo Silva, 24 anos, vítima

Esse é o primeiro registro da Polícia Civil de assassinato coletivo em  2021 no Rio Grande do Norte. O último caso documentado aconteceu no bairro de Lagoa Azul, zona norte de Natal, quando quatro homens foram mortos a tiros. Os crimes aconteceram no dia 20 de dezembro de 2020.

As quatro vítimas estavam em um bar e foram surpreendidos por disparos de arma de fogo por volta de 1h. O dono do bar, de 45 anos, foi um dos assassinados. As outras três vítimas eram jovens de idades entre 17 e 18 anos. O crime também está sendo investigado pela Divisão de Homicídios.

Já em 2019, no mês de agosto, seis pessoas foram mortas em Touros, litoral Norte do Estado. Cinco mulheres e um homem estão entre as vítimas, que tinham idades entre 13 e 54 anos. Segundo a Policia Civil, pelo menos quatro pessoas armadas de pistolas e espingardas participaram desse caso.

As duas chacinas ocorridas em 2019 e 2020 viraram estatística do aumento de homicídios em todo o Rio Grande do Norte. Segundo levantamento do relatório da Coordenadoria de Informações Estatísticas e Análises Criminais (COINE), o número de homicídios doloso, quando há intenção de matar, aumentou 13,78% em 2020. Foram 1.074 casos em 2019 e 1.222 em 2020. 

No total, o crescimento de homicídios no território potiguar foi de 3,02% - saindo de 1.455 mortes violentas em 2019 para 1.499 em 2020, e foram analisadas nos critérios de homicídio doloso, intervenções policiais, lesão corporal seguida de óbito, latrocínio e feminicídio.

As mortes provocadas por arma de fogo, foram 1.311. Os demais meios de execução foram por arma branca (96) e espancamento (25).