Polícia Civil não descarta paralisação de atividades

Publicação: 2017-08-12 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública do RN (Sinpol/RN) não descarta nova mobilização da categoria para chamar atenção do Estado para a pauta de reivindicações. “Temos tido várias reuniões com o Governo, todas sem efeitos práticos: continuam a falta de estrutura e condições de trabalho; as progressões salariais estão paradas desde 2015, os atrasos salariais persistem, o efetivo continua deficitário e os EPI (equipamento de proteção individual, como coletes balísticos) estão vencidos”, elencou Paulo César de Macedo, presidente do Sinpol/RN.

Paulo relaciona os índices de violência e deficiência na prestação de serviço ao baixo efetivo: “A falta de pessoal impede que prestemos um bom serviço à sociedade”, frisou. O Sinpol/RN está em processo de renovação de sua diretoria, para só após voltar a avaliar uma possível parada.

Ganhos na saúde
Os 36 dias da greve protagonizada por servidores estaduais da área de saúde renderam conquistas para a categoria. De acordo com o Sindicato dos Servidores em Saúde do RN não houve corte de ponto nem descontos salariais.

Segundo Manoel Egídio Júnior, coordenador geral do SindSaúde/RN, entre as conquistas estão a abertura de um novo concurso público até o mês de novembro deste ano; as progressões de carreira não implementadas em 2015 foram incorporadas na folha de pagamento de agosto (para servidores e médicos), e as progressões de 2016 serão regularizadas até outubro. “O cálculo do auxílio transporte será revisado, até o fim deste mês; deverão atualizar a lei da produtividade, e o Governo se comprometeu a enviar projeto de lei para a Assembleia que combate o assédio moral”, disse Egídio.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários