Natal
Polícia continua caça a atirador
Publicado: 00:00:00 - 25/03/2017 Atualizado: 12:01:24 - 25/03/2017
A Polícia Civil segue com as investigações para identificar o paradeiro de Guilherme Wanderley Lopes da Silva, responsável pelo atentado contra membros do Ministério Público do RN na manhã desta sexta-feira (24), bem como elucidar as motivações do crime, que deixou dois feridos. Investigadores já realizaram as oitivas com familiares do atirador, mas nenhum parente soube apontar as possíveis motivações para o crime e tampouco o local para onde Guilherme teria fugido.
Adriano Abreu
Momentos após o tiroteio dentro da sala do Procurador Geral de Justiça, agentes do Gaeco deram apoio às investigações

Momentos após o tiroteio dentro da sala do Procurador Geral de Justiça, agentes do Gaeco deram apoio às investigações


Leia Mais

"Aparentemente, o suspeito não teria algum tipo de desvio de comportamento. Os parentes disseram que ele [Guilherme] era um servidor normal, que cumpria seu trabalho. [O atentado] Foi uma surpresa até para os familiares, que estão preocupados e atemorizados com essa ação", afirmou o delegado-geral Claiton Pinho, durante coletiva de imprensa.

Segundo o delegado-geral, Guilherme Wanderley se dirigiu até a sala onde se encontrava o Procurador-Geral de Justiça, Rinaldo Reis, o Procurador-adjunto Jovino Pereira e o promotor Wendell Beetoven. Lá, o servidor alegou que entregaria um documento para que Rinaldo Reis assinasse. Porém, ao adentrar à sala, o Guilherme sacou um revólver e efetuou os disparos contra os membros do MP. "Nós temos certeza de que esse crime foi premeditado", pontua Claiton Pinho.

Sem fornecer maiores detalhes, o delegado-geral afirmou que provas foram coletadas no local e são examinadas por peritos da Polícia Civil e Judiciária, bem como a identificação das possíveis rotas de fuga utilizadas pelo suspeito. "Ao término do exame das provas, podemos conseguir a possível motivação geradora do crime. Estamos em campo para efetuar a prisão de Guilherme o mais rápido possível e, para tal, medidas cautelares já foram tomadas", disse.

Após o crime, por volta de 13h, guarnições do 1º Batalhão da Polícia Militar estiveram de prontidão na rua Conselheiro Brito Guerra, em frente ao edifício Ana França, 1005, no Tirol, onde reside Wanderley. A PM chegou a entrar no edifício para confirmar se o suspeito do atentado no MPRN estava no local, mas uma vizinha informou aos policiais de que ele não estava no apartamento.

Além das Polícias Civil e Militar, a Polícia Rodoviária Estadual e Federal, agentes do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) também estão mobilizadas para capturar e efetuar a prisão de Guilherme Wanderley. "Entendemos esse fato como um atentado contra a segurança pública. Portanto, temos que dar uma resposta à sociedade no sentido de localizar e prender esse servidor", finaliza o delegado-geral Claiton Pinho.

Na manhã deste sábado, o procurador Anísio Marinho, que trabalhava junto a Guilherme, disse que não recebeu informações sobre o possível paradeiro do assessor. No entanto, ele afirmou que a expectativa é que ele se entregue à Polícia.

Atirador tinha três alvos dentro do mprn

Guilherme Wanderley
Técnico contábil invadiu sala do PGJ e disparou quatro vezes para matar promotores.

Rinaldo Reis
Procurador Geral de Justiça, saiu ileso e ouviu do servidor: “isto é pelo que vocês fizeram.”

Jovino Pereira Sobrinho

Adjunto do PGJ, foi alvejado por dois tiros no abdômen. Foi cirurgiado e não corre risco de morte.

Wendell Beetoven

Coordenador Jurídico Administrativo do MPE, foi atingido nas costas. Também não corre risco.

Quem
Guilherme Wanderley Lopes da Silva, nasceu em 24 de janeiro de 1973. Ingressou nos quadros funcionais do MPRN há aproximadamente 12 anos, via concurso público. Ocupa o cargo de técnico contábil e está lotado no gabinete do procurador Anísio Marinho Neto, com quem  tem relação familiar. Guilherme Wanderley é contrário ao modo como Rinaldo Reis Lima administra o órgão, pois ele implementou cortes de gratificações salariais e de cargos com vistas à redução de despesas.  Ainda nas campanhas para a PGJ,  o servidor se posicionou contrário ao candidato. Guilherme Wanderleu, inclusive, teria escrito no documento entregou a Rinaldo Reis Lima minutos antes dos disparos, que queria mudanças no MPRN e que os servidores tivessem direito ao voto para a escolha do procurador-geral de Justiça.

Afastamentos
Desde 2014, o servidor se afastou da função pelos motivos, conforme dados da  Diretoria de Gestão de Pessoas:

14 dias em 2014 - Ortopedia - tratar do joelho;

30 dias em 2016 - Ortopedia - acompanhar cônjuge;

30 dias em 2017 - licença prêmio.

NOTA - SINDICATO DOS SERVIDORES DO MP-RN
"O Sindicato dos Servidores do Ministério Público do Rio Grande do Norte (Sindsemp-RN) vem a público repudiar e lamentar o episódio ocorrido, na manhã de hoje (24), dentro das dependências da Procuradoria-geral de Justiça envolvendo um servidor da Casa.
Infelizmente, uma atitude impensada acabou vitimando o procurador-geral adjunto, Jovino Pereira Sobrinho, e o promotor Wendell Beetoven Ribeiro Agra, além de ter colocado tantas outras vidas em risco.
O Sindsemp-RN aguardará a apuração dos fatos e desde já se solidariza com os membros atingidos, os quais estão sob cuidados médicos, e seus familiares. Esperamos que a recuperação seja breve, e os culpados devidamente punidos.
Desde logo, independentemente da motivação, já estamos mantendo contato com a Secretaria de Segurança Pública para que ao acusado sejam garantidos os direitos constitucionais.

Diretoria do SINDSEMP/RN"


Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte