PF prende condenado foragido por roubo milionário em 1982; Cr$ 94 milhões foram levados

Publicação: 2020-03-04 00:00:00
A Polícia Federal prendeu nesta terça, 3, em Cobé, distrito de Vera Cruz, na Região Metropolitana de Natal, um agricultor foragido da Justiça e condenado a 36 anos de reclusão. Ele integrou a quadrilha que roubou malotes de dinheiro contendo 94 milhões de cruzeiros que seguiam pela RN-117, em 1982, para trabalhadores rurais inscritos no Plano de Emergência contra a Seca.

Créditos: DivulgaçãoApós passar por exame de corpo delito homem foi transferido para o Sistema Prisional do RNApós passar por exame de corpo delito homem foi transferido para o Sistema Prisional do RN


O roubo aconteceu entre os municípios de Caraúbas e Olho D'Água dos Borges, na região oeste potiguar. O crime é o maior da história do Rio Grande do Norte e um dos maiores do País, diz a PF. O roubo ficou conhecido como ‘Roubo da Emergência’.

A prisão se deu em razão do cumprimento de um mandado judicial expedido pela 14ª Vara Federal do Rio Grande do Norte. O homem preso pela Polícia Federal também foi condenado por participar do homicídio de quatro pessoas que resultou na morte de uma criança de seis anos.

Após passar por exame de corpo de delito, ele foi transferido para o Sistema Prisional do Rio Grande do Norte, à disposição da Justiça, onde deverá cumprir a pena.

Memória
Em matéria publicada na TRIBUNA DO NORTE em dezembro de 2012 alguns detalhes foram revelados sobre o maior assalto ocorrido no Estado. O assalto aconteceu em maio de 1982, na pré-campanha eleitoral para prefeito, vereador, deputado estadual e federal, senador e, pela primeira vez desde o AI-5, para governador.

O assalto ocorreu entre as cidades de Caraúbas e Olho D’Água dos Borges, na região Oeste. O dinheiro, 94 milhões de cruzeiros destinados ao pagamento dos trabalhadores da emergência, era levado um veículo modelo Brasília. Estava em dois malotes. O grupo de assaltantes estava num Opala que estaria ocupado por Vanzinho, Branquinho, Sidney e Maurício Carneiro.

Alguns detalhes desse assalto foram revelados em livro escrito por José Viana Ramalho, Dudé, que passou 20 meses preso, acusado de participação no roubo. Outros detalhes vieram a público em 2012, contados por um dos protagonistas do assalto: o agropecuarista na época, José Vantuil Carneiro, o Vanzinho, condenado por este e outros crimes a 142 anos de prisão, mas que estava livre, após cumprir a pena.

“A ideia era pegar 600 milhões de cruzeiros, direto do avião, mas houve um acidente de trânsito que impediu a ação no aeroporto [de Mossoró]”, falou Vanzinho à época, ao Jornal de Fato, de Mossoró.

Ele confirmou que o dinheiro foi roubado para financiar a campanha de Zimar Fernandes, candidato a prefeito de Caraúbas, e não para capitalizar o grupo ou para compra de armas, como eram considerados comuns nesse tipo de crime.

“Nós enterramos um saco do dinheiro no curral. Algum tempo depois cheguei na fazenda (Timbaúba, em Caraúbas) para pegar o restante do dinheiro. Eu era foragido da polícia, cheguei na propriedade, que estava fechada, e encontrei o saco de dinheiro dentro do curral. Estavam lá 54 milhões [de cruzeiros, a moeda da época]”, contou Vanzinho.

Nesta entrevista Vanzinho teria  inocentado Doutor Carneiro - considerado na época o “líder da quadrilha”, de qualquer participação no assalto.







Leia também: