Polícia prende oito suspeitos e sequestra bens estimados em R$ 2 milhões no RN

Publicação: 2020-07-15 14:47:00
A+ A-
A Delegacia Especializada em Narcóticos (DENARC), com apoio de outras unidades da Polícia Civil, deflagrou, nesta quarta-feira (15), a Operação “Alligator”, que resultou no cumprimento de nove mandados de busca e apreensão e oito mandados de prisão temporária, além de mandados de sequestro de imóveis, veículos e cavalo de raça. As investigações, que duraram aproximadamente um ano, tinham como foco desmantelar uma organização criminosa voltada para o tráfico de drogas interestadual e recuperar bens adquiridos ilicitamente, por meio da lavagem de capitais.

Créditos: Cedida/PCRNOs policiais apreenderam R$ 43 mil reais de dinheiro em espécie, em uma das residências, alvo dos mandados de busca e apreensãoOs policiais apreenderam R$ 43 mil reais de dinheiro em espécie, em uma das residências, alvo dos mandados de busca e apreensão

A organização criminosa se notabilizou pela produção e venda em larga escala de cocaína, que tinha como característica a gravação em sua superfície do símbolo de um jacaré, referência a grife francesa de vestuário Lacoste. Segundo as investigações, essa conduta é típica dos cartéis internacionais de drogas, especialmente no México, onde os traficantes colocam sua marca para indicar a origem e a qualidade do entorpecente que produzem e comercializam.

Dentre os presos temporários, está o suspeito de chefiar a organização criminosa e de juntar sistematicamente, durante vários anos de atuação nesse ramo ilícito, um elevado patrimônio constituído de apartamentos e veículos de luxo, granja, jet ski, quadriciclos e cavalos de raça. Grande parte deste patrimônio foi sequestrado nesta operação, totalizando, aproximadamente, 2 milhões de reais em bens. Ainda durante o cumprimento de mandado de busca e apreensão em um dos imóveis do suspeito em chefiar a quadrilha foi apreendida a quantia de R$ 43 mil reais de dinheiro em espécie.

Segundo as investigações, os demais suspeitos que foram presos tinham variadas tarefas na escala de importância da organização criminosa, desde a realização do comércio direto de drogas, até à gerência operacional e financeira do grupo. Dos investigados presos provisoriamente, três foram detidos em flagrante. Dois por crime de posse irregular de arma de fogo e o outro por tráfico de drogas.