Roda Viva - Cassiano Arruda Câmara
Políticos conversam até sobre a eleição de prefeito de Natal
Publicado: 00:00:00 - 01/09/2021 Atualizado: 00:29:43 - 01/09/2021
Cassiano Arruda Câmara

Quem acreditou no noticiário político do RN, tem tudo para aceitar como provável a possibilidade da eleição do próximo ano, ser decidida por W.O. em favor da governadora Fátima Bezerra.

(Este termo é bastante famoso por ser utilizado no mundo dos esportes. O WO é a atribuição de uma vitória dada a determinada equipe ou competidor individual quando o time adversário está impossibilitado de competir ou quando não existem adversários).

Sem nenhum concorrente visível, Fátima partiu nadando de braçada, mas o quadro começou a mostrar não estar definido durante presença de Lula no Estado (um dos seus principais suportes), quando a expectativa de uma aliança com o MDB não deu liga. Lula pensava em conversar com Garibaldi, mas quem conversou foi o deputado Walter Alves que não tem nenhuma afinidade nem com Lula, nem muito menos com o PT.

Enquanto isso, do outro lado, aumentaram as conversas e as fórmulas. Incluindo até uma eleição (indireta) para prefeito de Natal, na eventualidade de uma candidatura do prefeito Álvaro Dias ao Governo do Estado. E o próprio Álvaro mesmo sem admitir ser candidato, participou de algumas conversas sobre as suas possibilidades eleitorais.

TEMPO INTEGRAL
A atividade política não tem meio expediente. Política exige tempo integral e dedicação exclusiva. E foi justamente quando Lula visitava Natal que a oposição estadual intensificou suas conversas aqui e alhures (Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro) sem provocar maior curiosidade.

Com o ex-prefeito Carlos Eduardo literalmente isolado e os dois Ministros sofrendo o inferno astral de Bolsonaro, o jeito foi buscar novas fórmulas.

Uma das mais criativas trata justamente de um tema que estava fora das cogitações: A Prefeitura de Natal. Quando se aventou a possibilidade de renúncia do prefeito, antes de completar a metade do seu mandato, ensejaria uma eleição de um prefeito para completar o mandato.

E já apareceu um candidato para o cargo: o vereador Paulinho Freire, Presidente da Câmara de Vereadores, que não por mera coincidência foi quem complementou o mandato de Micarla de Souza.

Conhecido como grande articulador e agregador, Paulinho conseguiu que o noticiário político ignorasse completamente essa possibilidade, mas tem marcado presença nas conversas mais qualificadas.

DOIS MINISTROS
Pela primeira vez na história, o nosso Rio Grande do Norte vive uma eleição com dois ministros de Estado se colocando como pré candidatos, mesmo sem nenhum se apresentar como candidato a governador.

O ministro Rogério Marinho, do Desenvolvimento Regional, com um dos maiores orçamentos da República, quer ser Senador e não almeja o Governo. Ele conta com o apoio declarado do prefeito Àlvaro Dias.

Fábio Faria também não quer nem conversar sobre o Governo. Seu alvo também é o Senado. E começou a semana da Pátria viajando com a esposa para o Qatar, dando uma tintura oficial a viagem ao anunciar contatos para fazer a implantação do sistema 5-G na telefonia brasileira, escapando das tensões anunciadas para os feriados da semana. Ambos, não terão como se livrar da sombra do presidente Jair Messias Bolsolnaro e, ambos, sabem disso. Eles apostam na capacidade de recuperação do Presidente da República, com o lançamento de novos programas.

JOGO SEM REGRAS
Em meio à polêmica criada em torno da adoção do voto impresso, rejeitada na noite da última quinta-feira na comissão especial da Câmara na qual tramitava, o Congresso mantém outras iniciativas capazes de fazer mudanças profundas na legislação eleitoral. 

Os políticos continuam no voo cego, sabendo que terão, nos próximos 30 dias  a dúvida de não saber o que vai mudar, mas realizam as suas apostas e se armam para definir os seus próprios caminhos.

As propostas variam do fim do segundo turno na disputa pela Presidência da República à proibição de pesquisas eleitorais às vésperas de cada pleito, passando pelo afrouxamento da fiscalização e enfraquecimento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Para entrar em vigor já nas eleições de 2022, as novas regras precisam ser aprovadas na Câmara e no Senado até o início de outubro.

FAÇAM O JOGO
Os próximos 30 dias serão fundamentais para a arrumação dos times, a partir do conhecimento das novas regras do jogo, das chapas majoritárias, incluindo a organização das nominatas para deputado federal e deputado estadual (muito provavelmente sem coligações).

Fátima Bezerra verá o que pode agregar, mesmo com dificuldade para se livrar do senador Jean Paul Prates, único representante da bancada federal reconhecido como uma das “cabeças do Congresso” por um aliado que se disponha a se engajar na luta pela volta de Lula.

Não se pode esquecer dos sem mandato – José Agripino, Garibaldi Filho e Henrique Alves. Agripino cuida do DEM, procurando atrair para a sua legenda o “futuro prefeito” Paulinho Freire. Garibaldi decretou sua reversão à coadjuvante ao priorizar o filho Walter. Enquanto Henrique Alves, que nunca esteve tão presente numa pré-campanha no RN, é solicitado pela legião dos “bacuraus” em busca de um líder.

Existe a situação dos partidos menores, com seus próprios projetos. Sem esquecer a disputa pela Presidência da República e a influência que vai ter na definição do eleitor.  - E o eleitor, afinal, é quem manda.  










Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte