Natal
Polícia e Ministério Público esclarecem morte de Maria Luiza
Publicado: 12:56:00 - 07/12/2012 Atualizado: 14:23:25 - 07/12/2012
Crime aconteceu em abril de 2009 e chocou a população de Natal
O Ministério Público entregou nesta quinta-feira (6) a denúncia contra Thiago Felipe Rodrigues Pereira, o Thiago Cabeção, 26 anos, e Kleisson de Souza Freitas da Silva, conhecido como Negão, 32 anos, acusados da morte da adolescente Maria Luiza Fernandes Bezerra. As investigações da Polícia Civil e do MP afirmam que os dois são responsáveis pela morte da estudante de 15 anos, o crime aconteceu em abril de 2009. De acordo com a denúncia, a dupla é responsável pelo sequestro e assassinato de Maria Luiza.

As denúncias enviadas ao MP apontam que Thiago Pereira costumava assediar a vítima no intuito de ter relações sexuais com ela. “As investigações mostram que desde o início a motivação do crime teve o enfoque sexual, ou seja, os acusados nutriam um desejo não correspondido pela vítima”, frisou o delegado Laerte Jardim ressaltando o apoio do MP que ajudou nas investigações.

Mas diante das constantes recusas de Maria Luiza ele, juntamente com seu comparsa, a seqüestraram, estupraram e assassinaram. “Os depoimentos testemunhais, provas documentais e o vasto material pericial foi decisivo para a conclusão desse caso”, revelou o Promotor de Justiça, Jovino Pereira, que acompanhou e participou das investigações. Mais de cem pessoas foram ouvidas durante o processo investigativo.

De acordo com as investigações feitas pela Polícia Civil, na noite de 21 de abril de 2009, por volta das 19h30, a estudante foi raptada pelos acusados quando trafegava na Av. Capitão Mor Gouveia, bairro Bom Pastor, e depois levada, num veículo Gol, cor branca, para a casa de Kleisson Silva, no conjunto Jardim América, local onde os abusos sexuais teriam sido praticados, além agressões e o homicídio. Em seguida, eles transportaram o corpo da adolescente até um lixão, onde a enterraram após maltratar o cadáver. Vestígios de sangue foram inclusive encontrados na casa do acusado, conforme laudos periciais.

Insatisfeitos com a reação da vítima, os denunciados a mataram por esganadura com uso das mãos e vestes que retiraram da adolescente. Na mesma noite, os denunciados teriam transportado o cadáver de Maria Luiza até um lixão num morro situado na rua da Fé, conjunto Jardim América, onde introduziram um galho na vagina que perfurou o útero e as alças intestinais) e ocultaram.

Segundo o delegado Laerte Jardim, os suspeitos chegaram a coagir testemunhas durante o processo. “Temos informações de que houve ameaça às testemunhas e que inclusive eles chegaram a obrigá-las a mentir em seus depoimentos”, acrescentou. Kleisson chegou a sair do estado logo após o crime, indo morar na Paraíba e depois no Ceará.

Leia Mais

Os assassinos foram indiciados pelos crimes de homicídio triplamente qualificado, seqüestro e cárcere privado, roubo qualificado, estupro, vilipendio de cadáver e ocultação de cadáver. Caso sejam condenados às penas máximas eles poderão ser sentenciados a mais de 60 anos de prisão.

Os dois acusados estão presos na Cadeia Pública de Nova Cruz, onde já respondem por outros crimes. Thiago Felipe responde a processos por homicídio, porte de munição e posse de drogas, enquanto Kleisson já responde por furto e crime de violência doméstica. A Polícia Civil e o MP apontam ainda a participação de pelo menos outras duas pessoas no crime, mas os detalhes não foram divulgados para não atrapalhar as investigações.

Com informações da Degepol / Atualizada às 13h23

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte