Ponte de Igapó será interditada

Publicação: 2009-09-24 00:00:00 | Comentários: 4
A+ A-
O trecho de 15 quilômetros entre  o trevo de Extremoz (na intersecção das BRs 101 e 406) e a ponte Presidente Costa e Silva, conhecida popularmente como ponte de Igapó, será interditado parcialmente para a execução de obras de pavimentação e recapeamento, que, segundo a Superintendência Regional do Departamento Nacional de infraestrutura (Dnit), devem perdurar por 20 dias.

O Dnit informa que as obras devem começar na próxima terça-feira, dia 29, e por isso o  trânsito naquele trecho, no horário das 8h30 às 18 horas, fluirá somente em meia pista, no lado esquerdo, adotando-se o procedimento “Pare/Siga”. Já o fluxo a partir da cabeceira da ponte fluirá normalmente.

O Dnit garantirá, durante as três semanas de realização das obras, a sinalização necessária para que não  haja nenhum tipo de acidente.

No local circulam diariamente uma média de mil veículos, informou o Dnit, e como se trata de uma melhoria no trecho que cruza a BR 101 com a BR 406, uma área em constante crescimento, além de ser rota turística, o superintendente do Dnit, Fernando Rocha, solicita o apoio dos usuários, a compreensão e a colaboração, quanto ao respeito pelos limites de velocidade dando total atenção e obedecendo a sinalização para garantir a segurança de quem passa pelo local.

Para Rocha, os moradores e turistas, que obrigatoriamente passam pela estrada ao entrar e sair da cidade, sentirão em breve as novas mudanças. Ele lembrou que será feita praticamente a reconstrução da estrada, com a aplicação de uma capa asfáltica de cerca de três centímetros de espessura. Posteriormente, também será feita toda a sinalização horizontal e vertical.

Esta obra faz parte da primeira etapa do Programa de Conservação, Restauração e Manutenção de Rodovias (Crema) que até 2010 irá restaurar 1.263,13 km dos 1500 km de estradas federais no Rio Grande do Norte. O Dnit está investindo nas obras um total de R$ 167.441.875,66.

As obras de restauração e recuperação da pavimentação asfáltica nas rodovias federais do RN começaram há dois meses. Já foram recuperados 32,5 quilômetros da BR-101, entre Touros e Extremoz, além de 40 quilômetros, da BR 226, à altura dos municípios de São Pedro e Senador Eloy de Souza e ainda 40 quilômetros, de trechos entre Mossoró e Assu e Lajes e Caiçara do Rio dos Ventos.

O Dnit avisa que a recuperação de trechos das BR-405 e 406 aguardam a liberação da licença ambiental.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários

  • fernandoandias

    Isso é o Brasil que por mais que tente, não passa de um país de terceiro mundo. Morei em Orlando na Flórida e todas obras em avenidas ou ruas dentro da cidade eram realizadas entre meia note e 6 horas da manhã para não atrapalhar o público em geral. Parece Natal né? E tem mais.... obras que aqui demoram um semana para concluirem, lá era realizada em uma madrugada. Tenho saudades desse tipo de coisa. quem sabe daqui a uns 50 anos, iremos atingir o patamar de desenvolvimento e seriedade que eles tem hoje com o serviço público.

  • teogilyp

    deveriam tambem pavimetar o trecho que vai da av Moema Tinoco, passando pelo Gramorezinho e saindo na RN 160 que dá para Touros daria um bom escoamento para a zona norte e para quem vai pegar a ponte nova, mas o trecho da av Moema Tinoco no Pajuçara é esburacado com sinalização deficiente e no trecho do gramorezinho só pissarro. vamos tomar alguma provindencia ai !!!!

  • drtargino

    Gostaria de entender o porquê do DNIT não realizar essa obra durante o período noturno, predominantemente. Afinal, já existe engarrafamentos todos os dias naquele trecho mesmo com todas as pistas liberadas e, agora, eles vão aumentar muito. À noite o clima é mais ameno para os funcionários e o fluxo de carros é mínimo. Será porque o trabalho noturno necessita de adicionais trabalhistas? Se for seria preciso abrir essa exceção...

  • leaomensageiro

    Muito bom, mas um obra que com certeza mudará o visual da Zona Norte, no entanto caro Superintendente, o Senhor esta esquecendo de um detalhe: \"E o estado estrutural da Ponte de Igapó?\", será que ninguém vai fazer nada para mudar esta realidade? Equanto se fazem recapiamentos, reestruturação asfáltica, esquecem do principal, o desgaste daquela ponte, que já esta chegando em seu limite. Não é querendo ser chato, mas, se é para fazer esta restauração porque não se interdita a Ponte e se aproveita o ensejo para restaurá-la. Pensem nisso!!!