Potiguar 1 está parado e 134 câmeras aguardam instalação

Publicação: 2017-09-19 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Luiz Henrique Gomes
Repórter


A Secretaria Estadual de Segurança Pública do Rio Grande do Norte (Sesed) não tem datas definidas para a retomada do uso do helicóptero Potiguar 1 e a instalação de 134 novas câmeras de monitoramento ligadas ao Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp). Os dois mecanismos esbarram em questões burocráticas há meses e desfalcam a capacidade de segurança do Estado.

Helicóptero Potiguar 1 sobrevoa o presidio

O Potiguar 1 está parado desde o dia 1º de maio por falta de manutenção e itens quebrados. A licitação para a compra das peças de reposição foi aberta em abril, mas atrasou em junho por causa de recurso apresentado por  uma das empresas concorrentes. As peças foram adquiridas em agosto por R$ 160 mil, mas, segundo informou a assessoria da Sesed, ainda não chegaram no estado. A reportagem questionou à Secretaria de quando será feita a entrega das peças, mas não obteve resposta até o fechamento desta edição.

Já as 134 câmeras de segurança adquiridas pela Sesed para aumentar a capacidade de monitoramento do Ciosp estão no Rio Grande do Norte, mas continuam paralisadas. A pasta afirma que um processo de licitação está em andamento para a contratação de uma empresa para a instalação desses equipamentos. Em julho deste ano, o Tenente Coronel Macedo, coordenador do Ciosp, afirmou à TRIBUNA DO NORTE que a previsão era operar “nos próximos 45 dias, no máximo até 60”, mas o prazo não foi cumprido.

Na manhã de ontem (17), a secretária de segurança Sheila Freitas foi evasiva aos questionamentos da reportagem durante uma solenidade feita no Comando-Geral da Policia Militar. Ela afirmou que a instalação das câmeras “encontra questões burocráticas” e evitou citar datas.

Hoje, o monitoramento do Ciosp é feito por meio de 30 câmeras próprias, instaladas durante a Copa do Mundo de 2014, e de outras 61 oriundas de convênio com a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU) e com a prefeitura de São Gonçalo do Amarante – totalizando 91 câmeras. Desde julho, o Ciosp opera com 29 câmeras a menos por causa do fim de um contrato do Estado com uma empresa privada. A secretária Sheila Freitas justificou a desativação dessas câmeras porque “estava pagando mais caro”.

“Adquirimos 134 câmeras por meio do Governo Cidadão para fazer esse monitoramento, então não há porque pagar o serviço das 29 câmeras. Íamos pagar o serviço em dobro. O monitoramento agora vai ser feito por equipamentos próprios do estado”, disse. Os locais exatos de instalação das 134 câmeras não foram informados “por razões de segurança”. Além de Natal e região metropolitana, a cidade de Mossoró deve ter os equipamentos instalados pelo Governo do Estado.

Uso do Potiguar 1
O  uso do Potiguar 1 é essencial às ações ostensivas e preventivas das polícias. Especialmente em operações de cerco e apoio às equipes contra quadrilhas que atuam no arrombamento a caixas eletrônicos e carros-fortes. Os custos para a manutenção preventiva do helicóptero é de R$ 2,5 milhões no ano.

Entre comandantes policiais, especialmente às unidades de combate ao crime organizado, a avaliação é que a ausência da aeronave dificulta as operações porque impossibilita a patrulha aérea.

Recursos previstos
A secretária Sheila Freitas destacou os esforços para melhorar a estrutura da segurança pública do estado, em evento realizado na manhã de ontem no Comando-Geral da PM para oficializar a promoção de policiais. Ela destacou a necessidade dos R$ 50 milhões tentados pelo Governo por meio de empréstimos para intensificar a política de segurança pública, mas não especificou o uso destinado. O projeto global, no valor de R$ 698 milhões junto à Caixa Econômica Federal, para diversos investimentos, aguarda votação na Assembleia Legislativa.

“Temos esse plano  (de utilização da verba) desde o início da nossa gestão. Eu não posso detalhar porque é um plano extenso, de como vou gastar cada centavo. Mas com certeza farei todo o apanhado e direi a toda a sociedade como será gasto os valores destinados a segurança pública”, afirmou a secretária.

A secretária ressaltou a dificuldade enfrentada pela pasta “por causa da crise financeira nacional”, mas disse que “nós estamos trabalhando diuturnamente e os trabalhos estão rendendo frutos”. Neste ano, o orçamento próprio da Sesed foi de R$ 35 milhões. Destes, cerca de R$ 27 milhões é destinado as despesas com pessoal e encargos sociais. Outros R$ 5,5 milhões é relacionado aos gastos com manutenção (R$ 2,5 somente ao Potiguar 1). Os restante, cerca de R$ 2,2 milhões, são destinados a investimentos.

Potiguar 1
4 meses é o tempo que o Potiguar 1 está parado;
R$ 160 mil é o preço das peças adquiridas para o helicóptero
R$ 2,5 milhões é o custo anual destinado a manutenção periódica do helicóptero

Câmeras de monitoramento
91 câmeras fazem o monitoramento de segurança hoje
30 são câmeras próprias da Sesed
61 são oriundas de convênios com a STTU e Prefeitura de São Gonçalo
134 câmeras foram compradas pelo Governo para expandir o monitoramento, mas ainda não foram instaladas
29 câmeras foram desativadas com o encerramento de um contrato terceirizado

Orçamento da Sesed
R$ 35 milhões é o orçamento da Sesed para 2017
R$ 27 milhões são destinados a despesas com pessoal
R$ 5,5 milhões são gastos de manutenção dos equipamentos atuais
R$ 50 milhões é o aporte financeiro esperado nos próximos meses a partir de empréstimos do Governo do Estado junto à CEF

Investimentos da Sesed
R$ 732 mil fora destinado a ampliação de frotas de veículos para a Segurança
R$ 543 mil para a modernização do sistema da segurança pública
R$ 139 mil para proteção às mulheres e minorias
R$ 286 mil para a operacionalização do Conselho Estadual de Entorpecentes


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários