Potiguar cria trama baseada em história oculta de Machado de Assis

Publicação: 2019-05-15 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
A campanha da Faculdade Zumbi dos Palmares que recriou a imagem clássica, e embranquecida, de Machado de Assis, retratando-o agora como negro, o que de fato ele era, surtiu efeito. A imagem atualizada estampa a capa do mais novo romance do premiado escritor potiguar José Almeida Júnior: “O Homem que Odiava Machado de Assis”. A obra está sendo publicada pela Editora Faro (SP) e será lançada nacionalmente em junho, mês em que se completam 180 anos do nascimento do autor de “Memórias Póstumas de Brás Cubas”.

Vencedor do Prêmio Sesc de Literatura e finalista do Jabuti e SP de Literatura, mossoroense José de Almeida Júnior recria personagem que foi desafeto de Machado
Vencedor do Prêmio Sesc de Literatura e finalista do Jabuti e SP de Literatura, mossoroense José de Almeida Júnior recria personagem que foi desafeto de Machado

A informação foi divulgada ontem (14) pelo blog do jornalista Lauro Jardim, de O Globo, e confirmada por José Almeida Júnior nas redes sociais. Segundo Lauro Jardim, o livro é o primeiro a chegar às livrarias já com a imagem criada pela agência Grey. O jornalista também informa que a obra “já estava na gráfica quando a campanha foi lançada”, e que por isso, “a capa foi, então, refeita”.

“O Homem que Odiava Machado de Assis” é um romance histórico assim como “Última Hora” - livro anterior de José Almeida Júnior que foi vencedor do Prêmio Sesc de Literatura (2017) e finalista dos prestigiados prêmios Jabuti e São Paulo de Literatura.

Na nova obra, o autor se aproveita de lacunas na biografia de Carolina Augusta, esposa de Machado de Assis para criar sua ficção.

Capa de O Homem que Odiava Machado de Assis é a primeira obra a trazer a nova imagem recriada de Machado de Assis, que era negro
Capa de “O Homem que Odiava Machado de Assis” é a primeira obra a trazer a nova imagem recriada de Machado de Assis, que era negro

Carolina chegou ao Brasil vinda do Porto, e chegou acompanhada do músico Arthur Napoleão. Ela, ao conhecer Machado de Assis, casou com ele. Quanto à Napoleão, ao morrer, ele deixou memórias escritas. Em suas pesquisas, José Almeida Júnior descobriu que Napoleão mencionava ter detalhes que não podia revelar sobre a vinda de Carolina ao Brasil. O músico chegou a trocar correspondências com Carolina, mas Machado de Assis mandou queimar todas, com exceção de duas cartas, em que é citado algo sobre Carolina ter sofrido em sua terra de origem.

Foi a partir desses vários pontos não esclarecidos que José Almeida Júnior desenvolveu sua narrativa, tendo como protagonista Pedro Junqueira. O personagem, totalmente ficcional, foi desafeto de Machado de Assis na infância, no Morro do Livramento, e depois teve um relacionamento Carolina, antes de ela se casar com Machado de Assis.









continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários