Natal
Potiguar vira o presidente da União dos Escoteiros
Publicado: 00:00:00 - 23/01/2022 Atualizado: 16:20:12 - 22/01/2022
Pedro Henrique Dias

Era uma tarde de calor num sábado, no ano de 1972, em São Paulo, mais precisamente no Parque do Carmo, Zona Leste da capital paulista. Local que lembra muito um bosque dos namorados. O jovem Ivan Nascimento, que tinha 7 anos, estava brincando com a sua família. No entanto, algo o surpreendeu: um grupo de jovens uniformizados, de maneira chamativa, andando em fila indiana enquanto um tutor ficava à frente dos garotos e garotas. Os menores estavam se divertindo, participando de jogos e cantando canções. Os olhos de Ivan logo brilharam. Os pais procuraram saber do que se tratava. Descobriram. Era um grupo de escoteiros que praticava atividades na área.
joão maria alves/arquivo tn
O escotismo, ou escoteirismo, tem como objetivo o aperfeiçoamento físico e moral de jovens. Há 111 mil deles no Brasil

O escotismo, ou escoteirismo, tem como objetivo o aperfeiçoamento físico e moral de jovens. Há 111 mil deles no Brasil


Depois da descoberta, essa curiosidade logo se tornou o seu estilo de vida. Ele conseguiu entrar para o grupo de Escoteiros, passar por todas as categorias (Lobinho, Escoteiro, Sênior e Poneiro) e, agora aos 55 anos, conseguiu ser presidente nacional da União dos Escoteiros do Brasil. É a primeira vez que isso acontece com um escoteiro no Estado. O agora chefe dos escoteiros no Brasil comandará a instituição de maio de 2022 a 2025.

Mas antes de começar a detalhar um pouco sobre a vida e trajetória de Ivan, é importante explicar o que é o movimento do escotismo, a influência no Brasil e no Rio Grande do Norte.

O escoteirismo é um programa educacional criado em 1907 por Baden Powell, na Inglaterra, e consiste no aperfeiçoamento físico e moral de moças e rapazes por meio de atividades lúdicas, como brincadeiras e cantigas de roda e códigos de moral e respeito. Tudo isso de maneira voluntária.

De acordo com a organização Escoteiros do Brasil, 745 cidades espalhadas em todo o território nacional contam com o serviço,  com mais de 111 mil participantes entre crianças, jovens e adultos das mais variadas idades.

No Rio Grande do Norte, os primeiros registros da prática educacional datam de mais de cem anos. Uma data precisa ainda gera dúvidas. Mas no Brasil, os pioneiros do escotismo são do ano de 1910, três anos depois da criação.

Para entrar na atividade, basta que as crianças tenham seis anos e meio e, ao lado da  família, queiram começar essa nova jornada. Depois, precisam ir em uma unidade escoteira e entrar.

Estilo de Vida

Ivan Nascimento nunca deixou de lado o movimento, até hoje ele é moldado pela lei e a promessa escoteira. Pautado pela fraternidade, brincadeiras e vivências com o objetivo educacional para os mais jovens. Esse estilo começou a ganhar forma há muito tempo atrás.
Reprodução
Escoteiros trabalham com atividades na natureza

Escoteiros trabalham com atividades na natureza


“É algo que emociona, desde que entrei junto com os meus pais e irmãos lá em São Paulo. Com 14 anos estava sendo fundado um grupo na UFRN. Nos mudamos para Natal para ajudar no desenvolvimento. Entrei nesse grupo, conheci minha esposa e fiz parte disso até hoje, até inspirando as pessoas para ser professor nas Universidades”, relembra Ivan.

Por conta disso, Ivan passou de estudante para professor da Instituição, do curso de contabilidade. Para lecionar, o escoteiro precisou fazer pós-graduação, tornando-se Mestre. Todo esse trabalho árduo não atrapalhou os afazeres do movimento escoteiro. Pelo contrário, ajudou no seu desenvolvimento.

“É um trabalho voluntário, mas o prazer de ver crianças e jovens se desenvolvendo, naquele ambiente familiar, de respeito e proximidade. É impossível se afastar, apesar do trabalho. Indo um final de semana para passar duas ou três horas acaba relaxando, dando novas ideias e fazendo com que me sinta feliz no dia-a-dia do trabalho” concluiu.

Fraternidade

A convivência com outras pessoas e famílias desenvolve um sentimento fraterno e de companheirismo dentro dos escoteiros. Possibilitou também Ivan e seus colegas  conhecerem o mundo, por meio das expedições na Suécia, Japão e Estados Unidos.

Diante de um cenário complicado socialmente por conta dos efeitos do coronavírus, muitas famílias ficaram refém de ajudas dos governos estaduais, federal e de voluntários que ajudam com alimentos e itens básicos. Os Escoteiros do Rio Grande do Norte prestaram assistência com cestas básicas às pessoas que mais necessitavam.

Há doze anos, a Regional da União Escoteira do Brasil (UEB) participou do programa “Escotismo nas Escolas”, em conjunto com a prefeitura de Natal. O objetivo era montar grupos de escoteiros em cinco municípios e ensinar os métodos dos escoteiros para as crianças. O projeto não existe mais. Apesar de ter conversas com o atual do governo Estadual para a retomada.

“Vai ser válido, porque muitas crianças e jovens estão em casa, no ócio, sem fazer nada. O nosso papel é fazer atividades com a natureza, como uma caminhada, fazer comida. Então, o momento mais apto para ajudar esses jovens é agora”.

Eleição

Até no ano de 2021, Ivan era o primeiro vice-presidente dos Escoteiros do Brasil. Com a eleição para o cargo da presidência para a gestão 2022-2025, Ivan usou seus anos de experiência para se colocar no mais alto cargo do escotismo brasileiro. Conseguiu ser eleito Presidente da Direção Executiva Nacional dos Escoteiros do Brasil.
Reprodução
Ivan passou por todas as categorias do escotismo no país

Ivan passou por todas as categorias do escotismo no país


Para o mandato, o presidente nacional dos escoteiros promete uma proximidade maior entre os setores. “Nós vamos ter como meta a aproximação de todas as forças da sociedade. Desde escolas, igrejas e associações. Fazer parcerias com as Instituições. Acredito que podemos ajudar na educação, principalmente em comunidades carentes”, revelou Ivan.

Esse tipo de política faz parte do principal código de conduta dos Movimento criado por Robert Baden-Powell, o respeito pelas diferenças não importando raça, gênero e estrato social. Preceitos prometidos pela Lei e Promessa Escoteira, assim quando a pessoa entra.

O que Ivan mais deseja, e diz com um sorriso no rosto na entrevista, é seguir à risca a lei escoteira em um momento de muita divisão da sociedade brasileira. O respeito ao próximo é sua ideia de gestão.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte