Prédio da Biblioteca Câmara Cascudo é inaugurado sem acesso público

Publicação: 2018-12-21 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Ramon Ribeiro
Repórter

A restauração e reforma da Biblioteca Câmara Cascudo foram enfim concluídas e o prédio de fato apresentado à comunidade pelo governador Robinson Farias. A cerimônia de descerramento da placa de inauguração aconteceu na manhã de ontem (20). Falta pouco, no entanto ainda não há prazo para a biblioteca entrar em funcionamento. Essa missão ficará a cargo do futuro gestor cultural – no caso Crispiniano Neto, nome anunciado pela governadora eleita Fátima Bezerra.

Reforma da biblioteca incluiu jardins e portões de visibilidade
Reforma da biblioteca incluiu jardins e portões de visibilidade

Durante a cerimônia o governador mostrou os três pavimentos do prédio. Havia algumas estantes de livros e áreas específicas montadas para a ocasião, como exposição de arte, espaço para crianças e um espaço em homenagem a Câmara Cascudo. Os recursos foram na ordem de R$ 1,6 milhões, oriundos do programa Governo Cidadão, por meio do empréstimo do Banco Mundial.

Coordenador do Departamento do Livro e Leitura da Fundação José Augusto (FJA), Ailton Medeiros ressalta a importância da Biblioteca CC para a cultura do RN. “A Biblioteca CC ficou muito tempo fechada. Gerou uma demanda reprimida. Seu acervo é o segundo maior do estado, só perde para a Biblioteca Zila Mamede. Então há muita gente, principalmente estudantes, carentes desse material”, conta o coordenador. Ele também informou que para a liberação de uso do prédio falta o Habite-se, bem como a instalação do sistema de incêndio. Fora isso, só pequenos detalhes que serão ajeitados conforme a instalação da mobília e dos computadores – já adquiridos.

“O acervo de livros está guardado na própria biblioteca. A catalogação digital já foi feita. Os espaços das estantes já estão delimitados. Mas a arrumação dos livros nas prateleiras requer uma equipe especializada que ficará a cargo do futuro gestor”, diz Ailton. Para ele, esse é um ponto que requer atenção nova, já que o servidor Márcio Rodrigues, bibliotecário que por 25 anos atuou na biblioteca – sendo 13 deles como diretor da instituição –, se aposentou no final deste ano. Dessa forma, a FJA fica apenas com um biblioteconomista (Adjinan Araújo).

Após seis anos, obra de modernização da biblioteca estadual é finalizada
Após seis anos, obra de modernização da biblioteca estadual é finalizada

De acordo com Márcio, a FJA tentou abrir um processo para contratação de novos servidores nesse setor, mas não houve tempo hábil. “A catalogação digital está feita. Mas leva tempo para a arrumação dos livros nas estantes. Há critérios e sequências que devem ser criados para que a localização das obras seja fácil depois. Esse trabalho ficará para o próximo gestor”, comenta. O bibliotecário informa que o acervo atual é de 200 mil exemplares, já contando com novas aquisições feitas com recursos adquiridos no ano passado no Ministério da Cultura (MinC). “Utilizamos parte desses recursos. Mas ainda sobrou uns R$ 110 mil para compra de novos títulos”.

Márcio deixa a biblioteca depois de acompanhar os seis anos de novela para a conclusão das obras do prédio. “Depois de tanta luta, tanto desgaste, é uma vitória ver obra pronta. O prédio ficou 1000% melhor. Permite novas ações e garante novos espaços que antes não existiam. Quem chegar, vai cuidar da arrumação pra colocar a biblioteca funcionando novamente”.

Convidados visitam novos ambiente da biblioteca
Convidados visitam novos ambiente da biblioteca

Fechada desde 2012, a Biblioteca CC está com estrutura repaginada, novos espaços para atividades e acervo atualizado. Há espaço para galeria de arte, café, 20 estações de pesquisa, sala de vídeo com ilha de edição, sala específica para literatura infantil com estrutura lúdica para receber crianças, sala para obras raras da literatura potiguar, sala para títulos raros da literatura nacional, cabines de estudo, acesso a internet e auditório multiuso com capacidade para receber até 70 pessoas.

50 anos de história
Em fevereiro de 2019 a Biblioteca CC completará meio século de atividades. Segundo Ailton, a equipe atual da FJA chegou a pensar uma programação de aniversário para a datal. “A ideia é envolver também o aniversário de 100 anos da Biblioteca Municipal Olegário Vale, em Caicó. Será uma programação conjunta. Como não cabe mais a esta gestão a realização dessa ação, passei essas informações para o futuro gestor”, explica.

Andar térreo possui galeria de arte e área de eventos
Andar térreo possui galeria de arte e área de eventos

Memória
2007/2008 – A biblioteca entra em declínio.

2010 – Um projeto de reforma é enviado ao Ministério da Cultura (MinC).

2012 – A biblioteca é fechada.

2013 – As obras começam.

2014 – As obras são paralisadas após o MinC identificar divergências entre o projeto aprovado e o serviço que estava sendo executado.

2017 – A Fundação José Augusto (FJA) consegue recursos por meio do programa Governo Cidadão, via empréstimo do Banco Mundial, e assume a retomada das obras.

2018 – Em dezembro deste ano, após várias datas desmarcadas para entregada do prédio concluído, a Biblioteca CC é entregue pelo governador, mas não em pleno funcionamento.


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários