Preço da gasolina poderá subir

Publicação: 2011-04-29 00:00:00 | Comentários: 6
A+ A-
Renata Moura, Andrielle Mendes e Júlio Pinheiro - editora de Economia e repórteres

O Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo (Sindipostos/RN) anunciou ontem que o preço da gasolina adquirida pelos postos do estado deverá aumentar R$ 0,15 a partir da próxima segunda.  Embora não afirmem que irão repassar o reajuste para o consumidor, os donos de postos já adiantaram que não poderão absorver a alta no custo. O Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e de Lubrificantes (Sindicom), que representa as principais companhias distribuidoras, foi procurado pela reportagem, mas afirmou desconhecer o novo reajuste.

O Posto Shell, vizinho ao Midway Mall, foi o alvo escolhido pela segunda vez,  no período de um mêsA informação do novo reajuste foi passada à TRIBUNA DO NORTE durante visita de donos de postos, ontem, ao diretor de redação, jornalista Carlos Peixoto. Se confirmada - e o acréscimo de R$ 0,15 atingir as bombas - o preço da gasolina deverá superar os R$ 3,00 em Natal.  Considerando o valor máximo  registrado pelo Procon Municipal, em pesquisa realizada no último dia 22, a mais recente feita pelo órgão, o valor máximo cobrado pelo litro do combustível passaria de R$ 2,99 para R$ 3,14. O preço médio, por sua vez, saltaria de R$ 2,86 para R$3,01.

Preocupados com a possível repercussão do novo reajuste, os empresários visitarão hoje a Promotoria de Defesa do Consumidor, do Ministério Público do Rio Grande do Norte. A intenção é discutir a questão de forma técnica e não política, segundo afirmaram.

Antônio Cardoso Sales, presidente em exercício do Sindipostos, disse que as empresas do setor já absorveram o que podiam em se tratando de aumentos. Os empresários também negaram que o movimento Combustível Mais Barato Já, apoiado pelo Comitê Gestor do Combustível (formado por OAB, Procons e Câmara Municipal de Natal), tenha conseguido reduzir o faturamento dos postos. Segundo o sindicato, os postos continuam faturando os mesmos valores registrados antes da alta.

“Quem abastecia R$50, continua abastecendo R$50”, diz Cirne Júnior, empresário.

O Sindipostos voltou a dizer que não tem nenhuma influência no preço final da gasolina, que a margem de lucro bruta dos postos (que fica em torno de 15%) não é extorsiva e que o problema de aumento de preços é nacional. O sindicato reconheceu que errou a não se pronunciar no início da polêmica e vai reavaliar sua politica de comunicação. Na avaliação dos empresários, a polêmica envolvendo o aumento do preço da gasolina está sendo usada como palanque eleitoral.

Consumidores protestam por preços mais baixos

Valdir Julião - repórter

Consumidores realizaram no começo da noite de ontem o sexto protesto em Natal contra os preços dos combustíveis. Com uma nota de R$ 50 em mãos, o advogado e mestrando de Direito sobre o setor no Nordeste, Samuel Gabbay,  pediu para abastecer apenas R$ 0,50 – valor pago por 0,175 litros de gasolina – no posto Shell vizinho ao Midway Mall, na avenida Salgado  Filho. Ele era um entre os manifestantes.

“A margem de lucro líquido praticado em João Pessoa, entre os dias 9 e 16 de abril de 2007,  quando foi denunciado o cartel dos postos de combustíveis na Paraíba, era de R$ 0,507 centavos, mesmo valor praticado em Natal de 9 a 16 de abril de 2011”, disse Gabbay, que faz mestrado há um ano na Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Outro advogado, Reinaldo Protásio, deu uma nota de R$ 100,00 para o frentista abastecer R$ 0,50 de gasolina e disse que a manifestação pacífica foi a forma encontrada pela sociedade “para pressionar os donos de postos a reduzir o preço abusivo da gasolina”.

Moderador de uma comunidade criada no orkut, uma rede social na internet, para protestar contra os preços da gasolina, Tony Robson Silva diz que o movimento mudou o seu foco, deixando de lado o boicote de abastecimento contra os postos de bandeira BR: “Agora, estamos focando o protesto nos postos localizados nas principais vias da cidade, como a Salgado Filho, e orientando os donos de carros abastecerem com gasolina nos postos de preços mais baixos divulgados pelo Procon”.

O posto Shell vizinho ao Midway Mall foi o alvo escolhido pela segunda vez, em apenas um mês. Além de abastecerem apenas 0,175 litros de gasolina, os manifestantes pediram à gerência do posto que se fizesse o teste dos 20 litros de combustível, para averiguar se o consumidor não estava sendo iludido na hora de abastecer seu carro;o teste dos 25% de álcool adicionado à gasolina, como é previsto em lei e o teste de densidade da gasolina. Em todos eles, o combustível do posto Shell foi aprovado.

O movimento “Combustível mais barato já”, que começou a partir de adesões de internautas nas redes Orkut e Twitter, já conta com o apoio de diversas instituições, como o  Ministério Público, OAB-RN, Procon/RN, Procon/Natal, Câmara Municipal, CUT, Sindicato dos Jornalista, Sindicato dos Bugueiros e ainda Diretórios Estudantis de universidades como a Farn, Maurício de Nassau, UnP e Estácio de Sá.

abuso

Brasília - O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, reconheceu ontem que tem havido abuso nos preços dos combustíveis, especialmente do etanol. Segundo ele, os preços são regulados pelo mercado, mas o governo já acionou o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para investigar a situação. “Há nove anos o preço da gasolina não tem aumento nas refinarias. Mas ela passa pelas distribuidoras, pelos postos, e o mercado é livre para estabelecer os preços. Quem pode fiscalizar isso, no que diz respeito aos abusos, é o Cade, ao qual já pedimos que atue”, afirmou.

Lobão disse também que já pediu à Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) para intervir no processo.

Ele espera que, com o aumento da produção de etanol, os preços se regularizem nas próximas semanas, mas ressaltou que o governo ainda não descarta a possibilidade de alterar o percentual de etanol que é misturado à gasolina.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários

  • dunabas

    Engraçado... estive em João Pessoa no feriado e lá, as mesmas marcas que existem aqui praticavam os seguintes preços: BR: 2,65 TEXACO: 2,60 / 2,59 ESSO: 2,53 OPÇÃO: 2,50 ALESAT: 2,47 SHELL: 2,45 (comum ou aditivada)... COMO SE EXPLICA ISSO????? A ALESAT que tem escritório e participação alta aqui no RN, tem um único posto em João Pessoa (pelo que vi, podem haver outros mas não muitos) e lá a gasolina dela é R$ 2,47... Ah, e detalhe, contradizendo o que a campanha dos donos de postos tem veiculado na TV local aqui, os postos lá são TODOS bem estruturados e, o que abasteci a R$ 2,45 aditivada (SHELL) tem todas as licenças em dia, funcionários devidamente uniformizados, chão limpinho, etc... tudo que os daqui se fazem de vítima no comercial. Além do que, se vê que abastece BR quem quer lá... nota-se que o Cartel não está configurado, diferentemente da PALHAÇADA que acontece aqui no RN, onde ninguém consegue \"comprovar a existência de cartel\"... CHEGA DE FICARMOS CALADOS E VENDO OS DONOS DE POSTOS RINDO DA GENTE!!! BOICOTEM!!!!!!!! PS: Tem um posto BR na Ayrton Senna, próximo ao condomínio Bertioga que, para os clientes cadastrados, abastece com 3,5% de desconto qualquer combustível, fazendo com que o litro da Gasolina seja vendido a R$ 2,75. Vale a pena ir atrás.

  • mmvieira99

    a questão não é ter $ para pagar a gasolina, e sim deixar de ser babaca e pagar tudo que nós é imposto!!!não sou nenhum otário para está queimando meu dinheiro para encher o bolso de outros!!!ganho meu dinheiro honestamente com o suor do meu trabalho e dou muito valor a ele!!!entao seu wifinatal preste atenção!!!

  • dlucass2006

    Nosso pais está bem próximo de um barril de pólvora e entregue ao comando desses estercos sem responsabilidades. O poder judiciário há muito tempo está desacreditado pela maioria do povo. As forças armadas desmoralizadas e a classe politica é a pior de todos. Esse pais estar merecendo mesmo é uma boma igualzinha aquela que arrasou as cidades do Japão.

  • brunovinicius_sms

    A gasolina deverá subir em até 2,2% nas distribuiboras ao longo de 2011. Os donos de postos querem adiantar um aumento que ainda nem existe para tirar vantagem mais uma vez em cima do consumidor potiguar. De fato, os donos de postos não tem prejuizos pois como falou um dos empresários, \"quem abastecia R$ 50 continua abastecendo R$50\". Mas quem abastecia quase 20 litros, agora abastece pouco mais de 17litros.

  • eudoxio

    isso já é humor negro. cadè os defensores dos bons costumes? ih esqueci!!!!é brasil - PUTZ. é RN, é natal: the BIg Ass!!!!!!!!!!!!!!!em se falando de ministerio publico e nada é a mesma coisa...tátudodominado!!!! CHAMEM O CHAPILIM COLORADO!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • tyna_maria04

    o problema é o CARTEL!!! nem no interior pelo menos do Ceará o valor não é tão alto e são lugares que praticamente não existe concorrencia. ja teve posto de bandeira na zona norte q o preço era bem competitivo e sempre valia a pena abastecer, porém já faz um tempo q naum vejo mais esses preços competitivos por lá, sempre completava o tanque e nunca tive problemas com possivel adulteração. A SAIDA É FAZER PARALISAÇÃO DE CARROS E ANDAR DE ONIBUS (apesar de seus defeitos e tarifas altas), A PÉ, BICICLETA...