Cookie Consent
Natal
Prefeitura propõe implantar valores pagos pelo Estado aos professores
Publicado: 00:01:00 - 23/06/2022 Atualizado: 22:47:52 - 22/06/2022
Uma audiência realizada nesta quarta (22) pela Justiça reuniu  representantes da Prefeitura do Natal e do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do RN (Sinte) para continuar a negociação do salário de professores da rede municipal. A Prefeitura propôs um reajuste que irá igualar os valores recebidos por professores do Município ao recebido pelo magistério no Estado. 

Adriano Abreu
Coordenadora do Sinte criticou proposta da Prefeitura que usou metodologia do Estado

Coordenadora do Sinte criticou proposta da Prefeitura que usou metodologia do Estado


O prefeito Álvaro Dias afirmou que a gestão municipal continua disposta a cumprir com o pagamento integral dos valores do piso nacional. “Temos a tabela do que foi acordado entre o Sinte e o governo estadual até dezembro e nos propomos a pagar exatamente os mesmos valores dentro da proporcionalidade. Esperamos a sensibilidade do Sinte/RN em aceitar a nossa proposta, já que fizeram o acordo com o governo estadual nesse mesmo patamar”, destacou Álvaro Dias. 

O aumento, contudo, para Fátima Cardoso, coordenadora do Sinte, que esteve presente na reunião. “não chega a ser um reajuste”. “O aumento é um valor simbólico de 40, 50 reais no nosso salário. É zero vírgula zero tantos por cento e não tem um percentual fixo. Então não chega a ser um reajuste”, explicou. Ainda segundo Fátima, o valor do aumento varia entre R$ 10 e R$ 80, em números arredondados, a depender do nível de escolaridade do professor e até da letra do nome. “De letra A a letra P, é um valor. Em diante é outro”, comentou.

De acordo com a Prefeitura, se aceita, a proposta iria beneficiar mais de quatro mil servidores, entre professores e educadores infantis. O Executivo municipal ainda disse que busca fornecer o reajuste para a categoria, mas sem comprometer o orçamento. “Temos respeito e mantemos o diálogo com os sindicatos, mas também temos responsabilidade com o erário público e o pagamento em dia dos servidores e dos fornecedores da Prefeitura, e estamos honrando dentro das nossas possibilidades”, afirmou o prefeito Álvaro Dias nesta quarta-feira (22). 

Negociação
O imbróglio dura desde o começo do ano, mas foi suspenso há pouco menos de dois meses, com o fim da greve dos professores determinado pelo Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN). A categoria reivindicava o reajuste salarial do piso do magistério em 33,24%, anunciado neste ano pelo Governo Federal. A Prefeitura, contudo, indicou impossibilidade de cumprir com o valor. 

Integrante da coordenação do sindicato, Fátima está resistente a defender a aprovação da proposta. “Nós vamos levar a proposta e os valores em assembleia para ver se a categoria aceita ou não, porque é nosso papel. Mas nós não vamos defender a proposta. Na minha opinião, esses valores são humilhantes”, comentou a professora. “E vamos continuar na luta pelos nossos 33,24%”, finalizou. Os profissionais devem se reunir em assembleia geral no próximo dia 4 de julho para decidir se aceitam ou não a proposta.

O TJRN estabeleceu um prazo de 15 dias para as duas partes apresentarem suas alegações finais. Após isso, o desembargador Virgílio Macedo irá anunciar sua decisão.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte