Prefeituras descartam gastos

Publicação: 2013-01-22 00:00:00
Os municípios do interior do Rio Grande do Norte começam a atender a recomendação do Ministério Público, junto ao Tribunal de Contas do Estado, e decidiram não investir recurso público na realização dos festejos de Carnaval deste ano. Entre os que não vão patrocinar os festejos de momo estão: Almino Afonso, Lajes, Santana do Matos, Felipe Guerra e Guamaré.

A Prefeitura de Guamaré, através de nota oficial, informou que não realizará nenhuma despesa financeira para o Carnaval de 2013, tendo em vista o decreto de situação de emergência. O município sofre com a falta de abastecimento de água. “É com muita cautela e responsabilidade, baseado na situação emergencial declarado pelo Governo do Estado, que a nova gestão decide pela não realização do Carnaval, ou seja, pela não disponibilização de recursos públicos, concentrando seus esforços no desenvolvimento de Guamaré, seja no combate a falta de água, seja na melhoria dos serviços de saúde, educação, transporte, assistência social, agricultura”, disse a nota oficial.

O prefeito de Almino Afonso, Lawrence Amorim, também informou a TRIBUNA DO NORTE que não haverá gasto publico com os  festejos de carnaval. “Deixamos aberto para a iniciativa privada tomar a frente. A prefeitura vai evitar gastos com festividades, pois a nossa situação é complicada. É a maior seca dos últimos 40 anos e estamos buscando amenizar isso através de parcerias com o Exército, perfurando poços”, disse  Lawrence Amorim.

O município de Santana do Matos também não pretende gastar verba pública com o carnaval 2013. A prefeita Lardjane Ciriaco vai realizar uma reunião com o secretariado para definir a questão, mas a ideia dela é disponibilizar equipamentos  existentes no município, como banda de música, mas nada que gere gastos.

Já o município de Caicó, que tem um dos mais tradicionais carnavais do Estado, vai manter os festejos de Momo. Segundo o prefeito, Roberto Germano, será dada uma ajuda aos blocos de rua Magão e Treme-treme -  R$30 mil a cada um deles – que já conta no orçamento da prefeitura.

“Diferente do ano passado, não vamos custear os shows da Ilha de Santana. Em 2012 foram gastos um milhão de reais com a estrutura da Ilha, mas este ano não teremos. Será apenas o carnaval de rua com os blocos, mas vai ser tão animado quanto os anos anteriores”, disse Roberto Germano.

Macau também decidiu manter o carnaval. O evento será lançada hoje para a imprensa. Na semana passada, o MP/TCE recomendou que os gestores públicos dos municípios castigados pela seca não realizem festas. O MP tem receio de que gastos com a festa inviabilizem a assistência para a população necessitada.

Leia também: