Presas do RN serão capacitadas pelo Senai em 12 áreas

Publicação: 2019-10-20 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Para incentivar a capacitação profissional de internos no sistema prisional do Rio Grande do Norte, o Governo do Estado iniciou uma parceria com o Senai, que vai oferecer cursos profissionalizantes em 12 áreas nas unidades penitenciárias do RN. A assinatura oficial do convênio foi feita na última sexta-feira (18) pela governadora Fátima Bezerra, juntamente com a entrega de equipamentos para os agentes penitenciários.

“Precisamos colocar atividades em que elas tenham retorno financeiro”, afirma o secretário da SEAP, Pedro Florêncio. “Nós recebemos o sistema prisional nas piores colocações do País em trabalho e educação. Existe um tripé: manter a segurança das unidades, oferecer educação para os internos e oportunidade de qualificação profissional e trabalho”, completa.

De acordo com o secretário, há dois anos, desde a rebelião de Alcaçuz, o sistema prisional do Rio Grande do Norte foca de forma praticamente exclusiva na manutenção da segurança das unidades, deixando de lado os outros pontos importantes do processo de ressocialização, e que são aqueles que vão reduzir as possibilidades de que o egresso do sistema, uma vez em liberdade, volte a cometer crimes.

“Na última semana, começou a capacitação profissional das internas em corte e costura, que dura em média 40 dias. É o Senai que está oferecendo essa capacitação. Depois, vamos atrás de empresas que queiram instalar pequenas oficinas de costura para que elas possam trabalhar”, explica.

Na semana passada, a SEAP publicou um edital que regulamenta a utilização de mão de obra de apenados do regime fechado no Rio Grande do Norte. Com a publicação, empresas podem se credenciar para executar procedimentos voltados para a profissionalização, capacitação, qualificação e ressocialização de apenados através do aproveitamento de sua mão de obra e prestação de serviços. A medida vale tanto para presídios masculinos como para femininos.

De acordo com o edital, os serviços serão prestados sob a forma de execução direta, com uma jornada de trabalho entre 6 e 8 horas diárias, de segunda a sexta-feira. O serviço deverá ser realizado na própria unidade prisional onde as apenadas estão sob custódia, e tanto empresas privadas como organizações da sociedade civil podem se candidatar ao edital, que permanece aberto até o dia 27 de novembro.

continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários