Pressão por internações em UPAs do Rio Grande do Norte recua

Publicação: 2020-06-30 00:00:00
A+ A-
Mariana Ceci
Repórter

Após chegar a operar até 220% acima de sua capacidade, as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) do Rio Grande do Norte começam a apresentar queda nas solicitações para internação de pacientes infectados pelo novo coronavírus. Dados analisados por especialistas do Instituto Metrópole Digital e Departamento de Física da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) revelam que as solicitações diárias, que já chegaram à marca das 140 no Estado, caíram de forma consistente a partir do dia 21 de junho. 

Créditos: Magnus NascimentoEm algumas Unidades de Pronto Atendimento de Natal, por exemplo, volume de atendimento subiu para 220% acima da capacidadeEm algumas Unidades de Pronto Atendimento de Natal, por exemplo, volume de atendimento subiu para 220% acima da capacidade

A expectativa dos pesquisadores é que o número tenha reflexo também na queda da ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e semi intensiva nos próximos dias. O físico José Dias do Nascimento, que coordena o grupo de Estudos da Dinâmica e Modelagem computacional  Redes Complexas, explica que foi sugerida a utilização da pressão nas UPAs como meio para analisar a situação de avanço da doença no Rio Grande do Norte. 

De acordo com ele, a queda dos números é um dado positivo, mas que deve ser tratado com cautela pelos governantes, muitos dos quais têm planos para iniciar a reabertura gradual das atividades econômicas a partir desta semana. “Estamos tendo uma atenuação sim, uma espécie de luz no fim do túnel, e isso significa uma perspectiva de controle no Estado do Rio Grande do Norte. No entanto, nós temos ainda uma fila nas UTIs, então as coisas ainda não estão boas hoje. Essa visão nos dá um raio-x do que vai acontecer daqui a 10 ou 15 dias”, detalhou o professor.De acordo com José Dias, o Rio Grande do Norte ainda deve viver um momento de pressão na rede hospitalar, principalmente no que diz respeito aos leitos críticos, tendo em vista que o tempo médio de permanência de cada paciente internado é de 15 dias, ou seja, não há uma rotatividade  entre os pacientes com covid-19. 

“Nós ainda temos um momento de pressão pela frente. É um momento de extrema importância, de muito cuidado e responsabilidade, porque ainda não temos os critérios, inclusive os de transmissibilidade, necessários para sustentar qualquer abertura", afirmou José Dias.Em Natal, o prefeito Álvaro Dias anunciou a publicação de um decreto de reabertura gradual da economia para a capital potiguar ainda na segunda-feira, 29. Para o Estado, a retomada está prevista para o dia 1 de julho, de acordo com anúncio feito pela governadora Fátima Bezerra. “Se nós abrirmos, vamos ter uma explosão de casos, e todo esforço pode ser perdido", frisou.

Ele citou como exemplo o caso de Recife, onde uma queda na taxa de ocupação de leitos e da taxa de transmissibilidade foi seguida de uma abertura quase imediata das atividades comerciais. “Recife teve o início da pandemia em torno de 25 de março. Quatro meses depois, viu a atenuação da ocupação dos leitos de UTI e abriu, mas abriu cedo demais, e aí aconteceu uma segunda onda terrível. Pernambuco como um todo amargou quase 4.500 óbitos, um número gigantesco comparado com o RN", analisou o pesquisador. De acordo com ele, uma possível flexibilização das atividades comerciais deve ser algo feito “à conta-gotas", pautada pelos dados que demonstram a situação do RN e as recomendações das autoridades em saúde. “Nós temos hoje nas mãos, as rédeas do nosso destino. Se essa abertura acontecer de qualquer forma, podemos ter uma piora muito forte. A venda de uma abertura forçada e maquiada é um tiro no pé", completou.

SMS Natal realizou 11,6 mil testes rápidos
A Secretaria Municipal de Saúde de Natal (SMS/Natal), em parceria com outras secretarias do município, realizou 11.614 testagens rápidas para Covid-19 nas duas últimas semanas do drive-thru da Prefeitura do Natal. A ação teve início em 16 de junho no Arena das Dunas, com a primeira etapa sendo realizada até dia 19, tendo 5.425 exames realizados nessa fase. De terça-feira (23) a sexta-feira (26) a segunda semana de teste rápido no drive, aconteceu no estacionamento do Ginásio Nélio Dias, zona Norte da capital. 6.189 pessoas foram atendidas nesse período.

O drive foi destinado a usuários com mais 60 anos, público que representam 80% dos óbitos da doença na capital, e indivíduos que possuíam alguma comorbidade comprovada. No total, entre as 11.614 testagens, 2.269 apresentaram algum resultado positivo. Destes, 924 foram identificados na primeira semana do drive (Arena das Dunas) e 1.345 na segunda fase (Nélio Dias).

 A SMS Natal reforça que todas as Unidades Básicas de Saúde da cidade contam com Sala de Priorização de Atendimento para atender casos leves com suspeita de Covid-19; destas, 10 funcionam em horário estendido para receber parte da população que não consegue comparecer durante o dia.







Deixe seu comentário!

Comentários