Pressão sem fim no futebol potiguar

Publicação: 2020-08-02 00:00:00
Embora esperado, o retorno do futebol no Rio Grande do Norte acabou surpreendendo os clubes de pequeno e médio porte, com a definição de realizar a retomada do Campeonato Estadual no dia 10 de agosto, eles que estavam com um elenco desmontados, iniciaram uma corrida contra o tempo e o efeito disso tudo, deverá refletir diretamente na luta contra o rebaixamento para Série B do Estadual, batalha que envolve de forma mais direta o Palmeira de Goianinha e o ASSU, podendo respingar ainda no Potiguar e até no Globo, em caso de alguma combinação de resultado em que tudo precisa dar errado para o representante de Ceará-Mirim combinando com a realização de um final de campanha perfeito dos dois últimos colocados.

Créditos: Jardel RochaGlobo manteve o time principal e aguarda chegada de mais reforçosGlobo manteve o time principal e aguarda chegada de mais reforços

No ASSU a missão de remontar a equipe pós-pandemia ficou por conta do treinador Júlio Terceiro, que vai concentrar o elenco para trabalhar na Vila Olímpica de Macaíba, uma vez que os dois jogos que o clube ainda tem por fazer serão em Natal. O comandante do Camaleão sabe que terá de correr contra o tempo e que o prazo disponível não é o mais recomendado para remontar uma equipe praticamente do zero e colocar para disputar uma partida que pode definir o futuro imediato do clube no futebol potiguar.

Toda atenção de Terceiro está voltada justamente para o confronto que irá marcar o retorno do grupo a competição, quando irá enfrentar o Força e Luz, no estádio Frasqueirão, fechando a primeira rodada de confrontos no dia 13 de agosto.

“Estamos remontando praticamente toda nossa equipe e precisamos vencer um dos nossos dois jogos para escapar do rebaixamento. Iremos concentrar essa meta em cima do Força e Luz, que será o nosso jogo da volta. Depois temos o ABC, que vem trabalhando há mais tempo que a gente, vem liderando a competição, manteve o elenco principal e, certamente, estará um patamar acima do nosso em termos de preparação. Diante do Força e Luz nós estaremos praticamente em igualdade de condições”, afirmou o treinador assuense.

Mas para buscar montar um grupo minimamente competitivo, Júlio Terceiro que além de desempenhar a função de treinador, vem acumulando com a de executivo de futebol, necessita do respaldo da diretoria, que está criando meios de levantar recursos, levando em consideração justamente a condição em que o clube se encontra, na luta contra o rebaixamento.

Créditos: DivulgaçãoJúlio Terceiro terá a missão de manter o ASSU na divisão de eliteJúlio Terceiro terá a missão de manter o ASSU na divisão de elite

“Nós sabíamos que deveria ocorrer uma retomada, mas a maioria dos atletas que estavam no nosso elenco saíram para disputar a Série D por outros clubes. Ficamos com poucos jogadores e, alguns, muitos jovens, que não podem atender a nossa necessidade de momento. Então como havia a necessidade de se levantar dinheiro rápido, a alternativa foi realizar alguns sorteios, isso para pagar as contas pequenas. Para cobrir os maiores gastos, colocamos a venda cem camisas do clube, ao preço de R$ 100 a título de contribuição direta dos nossos simpatizantes com o clube na busca de livrar o ASSU do rebaixamento", afirmou o gerente de futebol do Camaleão, Carmésio Cabral.

Os únicos remanescentes do elenco que iniciou a temporada são Diego, Dione, Álvaro e Ceceu, o que mostra bem o tamanho do trabalho de reconstrução que terá de ser encarado por Júlio Terceiro, que agora está acumulando a terceira passagem pelo clube nos últimos dois anos. A equipe conseguiu tirar do Potiguar o goleiro Fabinho e o meio-campista Marielson. Mas se sobram problemas, ainda assim o treinador acredita que dará para salvar a equipe do rebaixamento, que pode ocorrer tanto por méritos do próprio ASSU quanto por tropeços do seu concorrente mais direto: o Palmeira.

Créditos: DivulgaçãoPalmeira aposta na juventude para escapar do rebaixamentoPalmeira aposta na juventude para escapar do rebaixamento

Esses clubes estão sendo beneficiados de forma direta pela Federação Norte-rio-grandense de Futebol (FNF) que, além no auxílio do transporte das equipes, aboliu as cobranças de taxas para o restante da temporada e está bancando os testes para detecção do coronavírus. Além disso, também garante as bolas para realização dos treinamentos para todos os integrantes da divisão de elite do RN.

No Força e Luz a situação não é muito diferente, o clube, segundo o presidente Júnior Rocha, também está voltado para realizar a complementação do elenco, que sofreu baixas importantes no período de paralisação do futebol. 

“Essa pandemia e a paralisação acabou fazendo a gente perder alguns atletas, que resolveram buscar oportunidades em outros clubes e, agora, nós estamos trabalhando para ocupar essas lacunas com outras peças. Umas das nossas maiores baixas foi o meia Cascata, isso já por conta da necessidade de realização de um ajuste financeiro que fomos obrigados a fazer. Mas dentro das nossas possibilidades a nossa comissão técnica vem buscando ser bem criteriosa para repor as baixas. Nós estamos trabalhando, basicamente, desde o dia que o futebol foi liberado no estado", destacou o dirigente.

Trabalhando fisicamente desde o dia 22 de julho, o grupo do Time Elétrico já avançou algumas fases e trabalha a parte técnica e tática também. Algum dos jogadores que testaram positivo para o coronavírus, já criaram anticorpos e nenhum deles necessitou passar pelo período de quarentena.

“Os testes para detectar a presença do coronavírus no elenco foram realizados no último dia 21. Alguns atletas, em torno de sete, testaram positivo e tiveram de refazer os testes, mas todos que tiveram contato com o vírus não fornecem mais riscos de transmissão e foram liberados", afirmou Júnior Rocha.

Os remanescentes do elenco que iniciou o ano são Val, Sorato, Histone. O Tricolor perdeu entre outros o meia Diego, que foi para o Potiguar e o goleiro Ferreira, além do atacante Felipe Moreira, que terá de passar por cirurgia no joelho.

Potiguar deixa Estadual em segundo plano

Sofrendo risco pequeno de rebaixamento, o Potiguar está com o foco dividido entre a continuidade do Estadual e a preparação do clube para Série D do Brasileiro. O presidente Benjamin Machado deixa claro que embora desejem acabar a competição local da melhor forma possível, o foco principal já é a competição nacional e a montagem do novo elenco já vai levar isso em consideração.

Créditos: DivulgaçãoNo Potiguar dois jogadores tiveram de ficar em quarentenaNo Potiguar dois jogadores tiveram de ficar em quarentena

Entre os jogadores que testaram positivo para covid-19, dois deles estão em quarentena. Um membro da comissão técnica também está isolado do elenco. Os e os atletas em quarentena seriam o meia Diego Viana e o atacante Ronaldo Barbosa. A dupla foi transferida para uma pousada, separada do restante da delegação, em Mossoró, apesar de os atletas estarem  assintomáticos.

Os outros supostos cinco atletas (Nildo, Alesom, Wadson, Wallace Ferreira e Vinicius Mossoró) seguem treinando normalmente. A liberação desses jogadores para as atividades se dá após orientação médica, uma vez que eles não poderiam mais transmitir o coronavírus.

O técnico Everton Goiano, do Potiguar, terá de lidar com um elenco desconhecido. Do grupo que está a sua disposição, apenas dois atletas trabalharam com ele em outras equipes, no caso o lateral-direito Adriano Apodi e o meia André Beleza. As demais peças, Everton está tendo o primeiro contato no trabalho dentro das quatro linhas. Praticamente a montagem da equipe atende indicações da diretoria e também do parceiro do clube, o empresário João Maria Belmont.

Seis pontos a frente do Palmeira, os mossoroenses dependem apenas de um tropeço do adversário para se garantirem na primeira divisão do Campeonato Potiguar.

Santa Cruz cumpre tabela e Globo mira o título

Praticamente eliminado da luta pelo título do segundo turno e completamente afastado dorisco de rebaixamento, o Santa Cruz está montando uma operação padrão apenas para acabar a participação na temporada 2020. O presidente do clube Lupércio Segundo disse que o clube terá um elenco enxuto, com apenas vinte atletas e uma comissão técnica do mesmo porte.

Dentre os clubes que estão na disputa do Estadual, o Santa Cruz será o último a se apresentar, o que irá ocorrer somente amanhã. Mas o grupo já realizou os testes para detectar Covid-19 nos membros do novo elenco e não surgiu nenhum problema.

Com poucos dias para trabalhar, os treinos serão realizados de forma intensa para fazer com que o grupo suporte os jogos do dia 12, contra o ABC, e o do dia 15 diante do Palmeira. Depois disso apenas o departamento de futebol das bases continuará em operação.

No Globo o treinador Renatinho disse que além de manter todo o time principal, o clubes está aguardando por mais reforços. A ideia é aproveitar o período de trabalho para deixar o grupo pronto no sentido de encarar e vencer o América, no dia 10.

“Nossa matemática é simples, temos de vencer nossos dois jogos para garantir uma vaga na final do turno. Então considero que temos um tempo bom de preparação, o grupo já se conhece e temos apenas de ganhar força física para encontrar com um América que também não está com tanto ritmo assim. Essa semana devemos receber os reforços que estavam em atividade e se estiverem bem, vão para os dois jogos”, ressaltou Renatinho.

Leia também: