Procon Natal vai notificar 38 postos de combustíveis

Publicação: 2015-02-12 00:00:00
A primeira pesquisa do Procon Natal após o aumento dos tributos federais sobre os combustíveis apontou ontem que 38 postos – de 60 pesquisados na capital -  aplicaram reajuste acima do previsto pelo governo federal em relação ao diesel e à gasolina comum. A previsão do governo era de aumento médio de R$ 0,22 centavos por litro da gasolina e R$ 0,15 no litro do diesel. Os postos que foram além desses valores serão notificados e terão de enviar explicações ao órgão.
Kleber Fernandes, diretor do Procon Natal: De olho nos preços
“Vamos notificar os postos que aplicaram reajustes acima do previsto para que apresentem suas planilhas de formação dos custos e as devidas justificativas para os valores reajustados”, disse o diretor geral do órgão, Kleber Fernandes.  Caso sejam constatados abusos, disse ele, serão abertos processos administrativos contra os postos, que podem resultar em aplicação de multas.

A pesquisa do Procon constatou que o preço médio da gasolina comum passou de R$ 3,07 para R$ 3,28, na capital, o que representa um aumento médio de 6,7% no bolso do consumidor. O reajuste nos combustíveis foi implementado desde o dia 1º de fevereiro em decorrência da elevação do PIS e da Cofins até a volta da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) sobre a gasolina e óleo diesel.

A pesquisa mostra que o aumento médio na capital foi de R$ 0,21 centavos para a gasolina comum e R$0,15 para o diesel comum – mas 38 estabelecimentos foram além desses valores, ultrapassando, portanto, a  previsão do governo de aumento.

Valores
O maior valor constatado pelo Procon Natal foi de R$ 3,40 em um posto da zona sul de Natal e o menor preço encontrado foi de R$ 3,14 na zona oeste, em relação à gasolina comum. Ou seja, uma diferença de R$ 0,26 centavos por litro de gasolina, o que pode gerar uma economia de aproximadamente R$ 13 para quem enche um tanque com 50 litros de combustível.

O Procon orienta que os consumidores evitem abastecer nos postos que apresentam maiores valores. “Só com a participação e o envolvimento da sociedade vamos conseguir pressionar para que tenhamos um preço mais justo”, orienta o diretor geral do órgão.
Mesmo o reajuste dos impostos tendo sido aplicado somente sobre a gasolina e o diesel, o uso da gasolina continua sendo mais viável para o consumidor, pois o valor do etanol representa hoje 79,5% do valor da gasolina. Para saber qual combustível é mais vantajoso o consumidor deve dividir o preço do etanol pelo da gasolina e multiplicar por 100. Se o resultado for igual ou inferior a 0,70 é melhor optar pelo etanol. Caso contrário, é melhor abastecer com gasolina.

SERVIÇO
A pesquisa de preços do Procon está disponível, na íntegra, no site da Prefeitura do Natal, em www.natal.rn.gov.br/procon.

No RN, gasolina subiu até R$ 0,67 em uma semana
A pesquisa do Procon abrangeu apenas postos em Natal. Mas no estado, dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) mostram que o aumento também ficou acima do previsto – se considerado o preço máximo da gasolina.
Na semana iniciada no dia 1º de fevereiro, quando foi aplicado o reajuste, o valor disparou: alta de 21,26%, passando de R$ 3,150 para R$ 3,82, um aumento de R$ 0,67. O preço médio, por outro lado, subiu 5,58%, de R$ 3,10 para R$ 3,273 – um aumento de R$ 0,17.

O Rio Grande do Norte, segundo a ANP, tem o terceiro maior preço médio da gasolina no Nordeste, atrás da Bahia (R$ 3,470) e do Maranhão (R$ 3,379). Tem, no entanto, o segundo maior preço máximo, perdendo apenas para a Bahia, onde o litro chega a R$ 3,920.

Em nota enviada à imprensa quando anunciado o reajuste, o Sindicato do Comércio Varejista dos Derivados de Petróleo do RN (Sindipostos RN) afirmou que o repasse aos preços poderia ser maior do que o estipulado pelo Fisco, uma vez que ainda seriam repassado os gastos com energia elétrica e aumento do salário mínimo.


Leia também: