Produção de carros cresce 27%

Publicação: 2017-10-07 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Fernando Siqueira

Finalmente, a produção brasileira de autoveículos manteve ritmo "ascendente" no mês de setembro do corrente ano e dá novo ânimo às fabricantes

O mercado automotivo nacional começa a dar sinais de revitalização este ano, indicando que novos ventos de prosperidade começam  soprar em meio à crise.

As fábricas de veículos automotores instaladas no Brasil comemoram a produção, exportações e vendas em "setembro" e soma, nos 9 meses transcorridos do ano, 27% de crescimento: foram 1.990.000 unidades produzidas em 2017 contra 1.570.000 em 2016. Os dados foram divulgados pela ANFAVEA (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), na quinta-feira, dia 5, em São Paulo.

Apenas em "setembro", saíram das linhas de montagem 236.900 veículos, alta de 39,1% sobre as 170.300 unidades do mesmo mês do ano passado e baixa de 9,2% contra as 260.900 do último agosto, que teve três dias úteis a mais.

O desempenho das "exportações" tem impactado diretamente o resultado da produção. Em "setembro" saíram do País 60.100 unidades, acréscimo de 52,2% ante as 39.500 de igual período de 2016 e queda de 10,1% no confronto com as 66.800 de agosto. O acumulado aponta alta de 55,7% ao colocar frente a frente as 566.300 unidades de 2017 com as 363.700 do ano passado.

Nas "vendas", o registro também é de alta na comparação com o ano passado: as 1.620.000 unidades do período acumulado deste ano estão 7,4% acima das 1.510.000 de 2016. Apenas em "setembro" foram comercializados 199.200 veículos automotores, maior em 24,5% sobre as 160.000 do mesmo mês do ano anterior e 8% menor do que as 216.500 de agosto de 2017.

Para Rogélio Golfarb, 1º vice-presidente da Anfavea, "o mês de setembro reforça nossa visão que o período de contração acabou e entramos em tempos de recuperação. Porém, é necessário cautela quanto à magnitude desse crescimento".


Caminhões e ônibus
No segmento de "caminhões", as vendas apontaram alta de 8,2% ao defrontar as 4.500 unidades de "setembro" deste ano com as 4.200 do mesmo mês de 2016, mas uma pequena baixa de 6,1% ante as 4.800 de agosto. No acumulado do ano, há queda de 9%: 35.400 unidades em 2017 e 38.900 no ano passado.

As "exportações" seguem em alta na soma dos 9 meses do ano. Mostram, um acréscimo de 40,9% na comparação das 21.500 unidades de 2017 com as 15.300 do ano passado. Em "setembro" cruzaram as fronteiras 2.400 unidades, diminuição de 3,9% diante das 2.500 de igual período de 2016 e de 8,7% sobre as 2.600 de agosto.

A "produção" de caminhões registrou em setembro 7.600 unidades, número 56,8% superior às 4.900 de setembro do ano passado e 10,5% inferior às 8.500 de agosto deste ano. No período acumulado a alta é de 27,3% ao se confrontar as 59.000 de 2017 com as 46.400 de 2016.

A "produção" de chassis de ônibus, em setembro, ficou em 1.700 unidades, 21,3% abaixo das 2.100 do mesmo mês de 2016 e 23% menor do que as 2.200 de agosto do ano em curso. Na soma dos nove meses, a produção bateu 16.200 unidades, alta de 11,6% sobre as 14.500 do mesmo período de 2016.

No acumulado das "vendas" de ônibus, o registro é de baixa de 7,9%, com 8.600 unidades comercializadas este ano e 9.300 em 2016. Na análise mensal, as 865 unidades de setembro significam alta de 23,4% sobre as 701 unidades de setembro do ano passado e queda de 44,5% ante as 1.600 de agosto.

As "exportações" acumuladas de ônibus alcançou 6.700  unidades, baixa de 3,5% diante das 7.000 unidades do mesmo período em 2016.


Máquinas
As "vendas" internas de máquinas agrícolas e rodoviárias em SETEMBRO, com 4.400 unidades, registraram alta de 7,7% com relação às 4.100 de agosto e queda de 10,2% ante as 4.900 do mesmo mês do ano passado. O total de máquinas negociadas no acumulado cresceu 8,5%, com 33.600 unidades este ano e 31.000  no ano passado.

As fábricas produziram 4.400 máquinas em setembro, abaixo 13,5% sobre as 5.100 de agosto e 14,2% diante das 5.200 de setembro do ano passado. No acumulado deste ano a produção chegou a 44.000 máquinas produzidas, expansão de 20,3% em relação às 36.600 do ano anterior.

As "exportações" até este mês aumentaram 39,4%, com 9.900 unidades este ano e 7.100 no ano passado.


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários