Produção de carros subiu 25,2%

Publicação: 2018-01-13 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
A produção de veículos automotores no Brasil fechou com alta de 25,2% em 2017, informou  à imprensa especializada do nosso País, em reunião formal, dia 05, a ANFAVEA (Associação Nacional das Fabricantes de Veículos Automotores).

No total, foram montados 2.699.672 automóveis de passeio, pick-ups caminhões e ônibus no ano passado, contra 2.156.356 veículos em 2016.

O desempenho, muito interessante para o momento, encerra quatro anos consecutivos de "queda" na produção de veículos automotores em nosso País. Segundo executivos da Anfavea, a alta foi puxada pelas exportações que marcaram seu recorde histórico no ano de 2017.


As "vendas" de automóveis zero quilômetro estão aquecidas, graças à estabilidade da economia brasileira que começa a se esboçar e às linhas de crédito

Sentimento da Anfavea

"É um número a se comemorar, mas a capacidade ociosa da indústria ainda é elevada. Em caminhões, por exemplo, está perto de 75%", afirma Antônio Megale, presidente da Anfavea.

I . Produção

A produção de veículos automotores no Brasil atingiu, em dezembro de 2017, 213.700 unidades, contra 199.900 no mesmo período de 2016, apontando alta de 6,9%.

No acumulado janeiro/ dezembro de 2017, a montagem de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus atingiu 2.699.670 unidades, contra 2.156.670 no mesmo período de 2016 (alta de 25,2%).

II . Vendas

A Anfavea, entidade que congrega as montadoras de veículos no Brasil,  em sua tradicional "CARTA MENSAL", declarou à imprensa automotiva brasileira no início deste mês, que as vendas de dezembro de 2017 atingiram o patamar de 212.600 veículos novos, contra 204.300 do mesmo mês de 2016, apontando uma alta de 4,17%.

No que tange ao acumulado do ano de 2017 (janeiro a dezembro), a comercialização de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus atingiu a expressiva cifra de 2.239.680. No ano anterior, havia sido de 2.050.320 (o que corresponde a uma  alta de 9,2%).

III . Exportações

Entre janeiro e dezembro do ano passado, as fábricas de automóveis instaladas no Brasil exportaram nada menos de 762.033 veículos novos, um crescimento da ordem de 46,5%, quando comparado aos 520.137 do ano de 2016.

Até então, o melhor ano em exportações de autoveículos havia sido o de 2005, com 724.163 unidades no total.

"Estamos em uma fase muito positiva do ponto de vista da exportação, e isso nos ajudou bastante. Existe uma preocupação grande das empresas em exportar e o País está contribuindo com acordos. Finalmente, o acordo com a Colômbia aconteceu", afirma Antônio Megale, presidente da Anfavea.

O alto volume de exportações fez a produção aumentar mais que as vendas internas no Brasil, que subiram 9% no ano passado, após 4 anos consecutivos de "quedas". No entanto, a comercialização para o consumidor final (vendas a varejo) chegou a dezembro de 2017 apontando uma leve "queda".

IV . Empregos

 O nível de empregos na indústria automotiva brasileira apresentou leve alta em dezembro de 2017, com 126.696 trabalhadores, alta de 4,6% na comparação com dezembro de 2016, quando as montadoras empregavam 121.178 pessoas.

Além disso, as nossas fábricas de automóveis trouxeram de volta trabalhadores que estavam afastados. No final de dezembro do ano passado, 1.885 colaboradores tinham algum tipo de redução na jornada: 949 estavam em "lay-off" (suspensão temporária de contrato) e 936 em "PSE", programa do governo que reduz as horas trabalhadas e os salários.

"Esse número é muito inferior ao de dezembro de 2016, quando 9.000 trabalhadores tinham alguma restrição na jornada. Em março de 2016, tínhamos 38.000 pessoas em 'PSE' e 'Lay Off', o que mostra a importância desses programas na questão de flexibilidade. Os postos de trabalho foram preservados", explica Antônio Megale, presidente da Anfavea.

V . Híbridos e elétricos

Apesar de não serem muito  "comerciais" no Brasil, os automóveis híbridos (Toyota Prius,  Ford Fusion e outros, por exemplo, tiveram 3.296 unidades em vendidas durante todo o ano de  2017, chegando mesmo a bater o recorde histórico.

"Embora não seja um número muito grande, é três vezes o número do ano anterior", aponta Antônio Megale, presidente da Anfavea.

VI . Previsões

Para este ano, a ANFAVEA prevê um crescimento de 13,2% na produção de carros, o que faria as fábricas produzir 3.050.000 unidades.

No que tange às vendas de carros, a expectativa é de atingir 2.500.000  unidades, um crescimento de 11,7%, enquanto as exportações devem subir 5%, chegando a 800.000 unidades.

Esses números poderão ser alcançados, graças a alta do "PIB" (Produto Interno Bruto) brasileiro que, segundo as previsões, deverá crescer aproximadamente 3,4%.

Além disso, os executivos brasileiros acreditam na alta das exportações de carros, na estabilidade da economia do País, na manutenção da baixa da inflação, em taxas de juros aceitáveis, na oferta competitiva de crédito ao consumidor, no aumento das exportações, entre outras coisas.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários