Profissão de sommelier ganha estatus no restaurante

Publicação: 2010-08-27 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O interesse crescente pelos segredos do vinho destacou uma figura que por muito tempo permaneceu discreta  entre as adegas: o sommelier. O trabalho desse profissional passou a ser mais exigido, e também revelou que se vai muito além dos vinhos. O sommelier é um especialista em diversas harmonizações etílicas, apto a cuidar da compra, armazenamento e rotação de adegas e elaboração de cartas de vinho em restaurantes - como prova Fabiana Dall’onder, uma paranaense que está movimento o meio local de bebidas.

Fabiana é um dos raros sommeliers formados em atuação na cidade. “Aqui ainda se confunde muito os especialistas em torno do vinho. Não sou enóloga ou enófila, e sim alguém que teve uma formação para trabalhar com o vinho e outras bebidas, de formar a poder ‘comunicá-los’ com o público”, explica. Ela está há cinco meses em Natal, onde trabalha para uma distribuidora de bebidas e dá consultorias e cursos para bistrôs, restaurantes e delicatessens.

Atualmente, Fabiana comandou uma degustação com a equipe do Armazém Gourmet, em Petrópolis. Ela conta que, em cursos, o sommelier aprende a lidar não apenas com vinhos, mas também com uma série de outras bebidas, que vão de destilados como a vodka até o chá mate. “É um conceito bem geral de harmonização. Somos capacitados para falar sobre quase todo tipo de bebida. Por incrível que pareça, atualmente as cervejas importadas estão sendo muito valorizadas. Há até especializações dirigidas só para cervejas. É uma tendência a se prestar atenção”, afirma.

A sommelier conta que, no começo, até ela achava que a profissão se restringia aos vinhos. Mas era mais do que isso. Fabiana conta que começou como estudante de turismo, mas já conhecia as vinícolas de Bento Gonçalves, por intermédio da família gaúcha. Até que recebeu um convite pata atuar como sommelier em um cruzeiro marítimo. Foi o suficiente para despertar a vontade de profissionalizar realmente no segmento.

“Escolhi a Argentina para meu curso de sommelier, por ser um país que já possui uma longa tradição no produção e consumo de bons vinhos. Seria bem melhor pra mim conviver diretamente com essa cultura”, diz, ressaltando que no Brasil também há bons cursos, como os promovidos pela ABS (Associação Brasileira de Sommeliers), no Rio de Janeiro e São Paulo. A sommelier começou o curso em 2006, com dois anos e meio de estudo e mais um ano de trabalho. Agora em Natal, Fabiana Dall’onder não tem dúvida em afirmar que está em um território que deseja aprender cada vez mais. “Já não sou vista como uma enófila que dá dicas, mas uma profissional do ramo. Noto o interesse em querer aprender cada vez mais”, diz. Ela afirma que se interessa mais pela parte comercial da profissão, mas não descarta trabalhar diretamente com um restaurante.

Serviço:

Mais informações no www.fabiana-sommelieronline.blogspot.com

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários