Cookie Consent
Natal
Profissionais discutem qualificação no cuidado em HIV e sífilis para região metropolitana
Publicado: 16:45:00 - 16/11/2016 Atualizado: 17:57:23 - 16/11/2016
Debate sobre as políticas gestoras descentralizadas que devem ser adotadas na região metropolitana do Rio Grande do Norte para qualificar profissionais da atenção básica de saúde com o cuidado em sífilis e HIV, vai reunir em Natal, na próxima sexta-feira (18), secretários municipais, gestores e profissionais de saúde e professores da UFRN.

O Seminário sobre Manejo Clínico da Aids, Sífilis e outras IST nas Redes de Atenção Básica da Região Metropolitana do SUS/RN será realizado pelo Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva (Nesc) da UFRN, com apoio do Ministério da Saúde e da Comissão Intergestora Regional Metropolitana.

O encontro ocorrerá no Praiamar Hotel, em Ponta Negra a partir das 8h30. Entre os palestrantes, está confirmada a consultora da área de assistência e tratamento do Departamento de DST, Aids e Hepatites virais do Ministério da Saúde, Juliana Uesono.
O encontro desses profissionais acontece como parte do Seminário Final de integração do curso e tem como meta compartilhar experiências de trabalho produzidas durante o processo de educação permanente para qualificar o cuidado de sífilis e HIV na região metropolitana do SUS no Rio Grande do Norte.

A articulação é resultado do curso de Capacitação para o Manejo Clínico da sífilis e outras DST nas Redes de Atenção à Saúde da região metropolitana do SUS/RN resultado de uma parceria entre o Ministério da Saúde e o Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva (NESC) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), através do Chamamento No 5/2014 - Iniciativas Educacionais Aplicadas à Vigilância em Saúde, da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS).

O professor do Departamento de Enfermagem da UFRN e coordenador do projeto, Richardson Rosendo explica que a educação permanente é imprescindível “para que tenhamos uma rede de atenção mais qualificada e que os procedimentos de atendimento, clínica e tratamento possam chegar mais próximos dos sujeitos que demandam deles”.

Política de Saúde
A Aids e as doenças sexualmente transmissíveis fazem parte de um ciclo das políticas de saúde que demandam um trabalho de educação permanente. Nos últimos anos tem sido observado um crescimento dos índices dessas doenças, especialmente em locais de maior vulnerabilidade social, o que reforça a importância de políticas públicas de saúde cada vem mais descentralizadas.
As estatísticas chamam a atenção e exigem ações descentralizadas em atenção à saúde que favorecem tanto a redução de registros de novos casos quanto a melhoria na qualidade de vida daquelas pessoas que vivem ou estão com as doenças sexualmente transmissíveis.

Dispositivos digitais favorecem educação permanente em saúde
Mais de 600 profissionais da atenção básica da região metropolitana participaram do curso de educação permanente que iniciou em abril de deste ano. A capacitação que incluía a formação presencial, educação a distância e o uso de dispositivos midiáticos para a educação permanente resultou tanto em uma qualificação múltipla quanto na potencialização do uso dessas ferramentas para melhoria dos recursos de atenção em saúde.

Segundo o coordenador das ações de produção em audiovisual do Núcleo de Estudos em Saúde de Coletiva da UFRN, professor Juciano Lacerda, o uso dos recursos audiovisuais e redes digitais favorecem o processo de educação permanente. “A produção audiovisual de redes colaborativas digitais como recursos pedagógicos na educação permanente de profissionais de saúde para atenção integral é um reforço nos mecanismos de integração entre especialistas e sujeitos que estão inseridos nessas redes de atenção à saúde”, reiterou.

Serviço:
Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva (NESC/UFRN)
Contato: (84) 3342-2276
Av. Sen. Salgado Filho, 300. Campus Universitário, Lagoa Nova

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte