Programa de coleta seletiva sensibiliza população em Natal

Publicação: 2019-12-13 00:00:00
A+ A-
Desde o seu lançamento oficial, no mês de junho, o programa “Dê a Mão para o Futuro – Reciclagem, Trabalho e Renda”,  criado para reduzir o volume de materiais que seriam destinados aos aterros e melhorar as condições de trabalho e qualidade de vida dos catadores em Natal, vem trazendo resultados significativos.

Créditos: DivulgaçãoPara contar com a ajuda da população um trabalho voluntário é desenvolvido de porta em porta em bairros da cidadePara contar com a ajuda da população um trabalho voluntário é desenvolvido de porta em porta em bairros da cidade
Para contar com a ajuda da população um trabalho voluntário é desenvolvido de porta em porta em bairros da cidade

O objetivo é reforçar, junto à população, a importância da coleta seletiva, os tipos de materiais que podem ser encaminhados para a reciclagem e os benefícios sociais e ambientais da atitude.  Em Natal, o programa conta com a consultoria Visões da Terra para sua implementação. O programa foi criado pela Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos, em parceria com a Associação Brasileira das Indústrias de Produtos de Limpeza e a Associação Brasileira das Indústrias de Massas Alimentícias e Pães & Bolos Industrializados.

Para chegar às famílias, o “Dê a Mão para o Futuro” trabalhou na capacitação dos colaboradores da Coopcicla (Cooperativa de Reciclagem da Cidade de Natal), associação contratada pela Prefeitura Municipal para realização da coleta porta a porta, reunindo 35 catadores responsáveis por recolher em média 100 toneladas de resíduos recicláveis mensalmente.

Ações práticas
Com objetivo de manter esse crescente engajamento da população de Natal, no dia 14 de dezembro será realizado um mutirão de educação ambiental junto aos moradores do bairro de Capim Macio. A coordenação do projeto e os catadores baterão de porta em porta de residências, para reforçar as orientações aos condôminos sobre a coleta seletiva e a importância da reciclagem, além de entregar o material da campanha.

Mesmo com um incêndio ocorrido no mês de outubro, que destruiu quase todo o galpão e dificultou ainda mais o trabalho dos colaboradores da Coopcicla, as ações do “Dê a Mão para o Futuro” não pararam. “A manutenção da quantidade de toneladas de materiais recicláveis em novembro, que representou 104 toneladas, demonstra o impacto positivo do Programa para a cooperativa, que permaneceu resiliente frente ao desafio, e para a população da cidade já engajada e envolvida com a cooperativa, que continuou com a importante separação dos resíduos recicláveis, disponibilizando-os para a coleta da cooperativa”, salienta uma das sócias da Visões da Terra, Luciana Lopes. Até o momento, o programa “Dê a Mão para o Futuro” realizou 3 mutirões nos bairros de Ponta Negra, Capim Macio e Mirassol, com a participação de 125 pessoas, incluindo voluntários, universitários e cooperados que auxiliaram na implantação da cultura do descarte correto dos resíduos sólidos. As ações impactaram aproximadamente 2.900 habitantes, de 682 residências.

Estas ações contribuíram para o aumento no número de toneladas de materiais reaproveitáveis recolhidos pela Coopcicla no mês de agosto. A cooperativa iniciou o período com a meta de recolher 100 toneladas e, com a implantação do programa foram recolhidos, no total, 123 toneladas.

Vale destacar ainda as ações de melhoria de infraestrutura, que ajudaram a ampliar a coleta seletiva da cidade, beneficiando também os catadores da Coopcicla, como a doação de um novo caminhão e treinamento dos cooperados para gestão administrativa, visando boas práticas administrativas, além da doação por parte do “Dê a Mão para o Futuro” de equipamentos como computador e impressora.

Após o incêndio, que dificultou o trabalho da Coopcicla, houve uma mobilização por meio das redes sociais, além de ter sido organizada uma campanha de arrecadação de fundos por meio do site Vakinha (https://www.vakinha.com.br/vaquinha/ajude-a-reconstruir-a-nossa-casa). O público pode colaborar com valores à sua escolha e a meta é que o financiamento coletivo some R$ 30 mil para iniciar a reconstrução do galpão.

Serviço
Data: 14 de dezembro de 2019 (sábado)
Horário: a partir das 8h
Local: Bairro Capim Macio
Ponto de encontro: Praça do conjunto Mirassol