Programa de revitalização da atividade é discutido

Publicação: 2017-05-21 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
A possibilidade de revitalização dos campos maduros do Rio Grande do Norte foi tema de evento em Natal na semana passada. Ao longo da sexta-feira, executivos da ANP, da ABPIP, do Cerne e Petrobras discutiram a implementação do Programa de Revitalização da Atividade de Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural em Áreas Terrestres (Reate).

Evento em Natal formou comissão interestadual que será responsável pela discussão e implantação do programa na Bacia Potiguar
Evento em Natal formou comissão interestadual que será responsável pela discussão e implantação do programa na Bacia Potiguar

O programa é uma espécie de compensação aos estados que perderam produção e exploração com a maturação dos poços, em decorrência do foco da Petrobras nas produções de grande porte, como o pré-sal.

De acordo com Anabal dos Santos Júnior, “as empresas menores tem interesses em negócios menores e, obviamente, a Petrobras que tem um portfólio de oportunidade muito maior, tem o pré-sal que tem uma produção muito maior do que as bacias terrestres inteiras”. “Os processos vão ter operadores compatíveis com o porte daquele negócio. Nós estamos construindo esse modelo aqui. Empresas grandes exploram campos grandes e empresas menores, campos menores”, disse ele e acrescentou: “Nos Estados Unidos, são mais de 20 mil empresas. No Brasil, são cerca de 20 empresas. Eu não tenho nenhuma dúvida de que essa é a forma da gente aumentar a produção terrestre”.

De acordo com dados do Cerne, “apesar de já ter chegado a produzir mais de 100 mil barris de petróleo-equivalente (petróleo e gás natural somados) nos anos 90, a parte terrestre da Bacia Potiguar oscila hoje entre 60 e 70 mil barris de petróleo-equivalente por dia. Muitas empresas fornecedoras da Petrobras foram atingidas pela redução dos investimentos, especialmente na região mossoroense.

O Sindicato das Empresas de Petróleo e Gás do Rio Grande do Norte (Sipetro/RN) calcula que o investimento da Petrobras foi reduzido em pelo menos R$200 milhões de reais nos últimos dois anos”.

Conforme dados da ANP relativos ao mês de abril deste ano, o Rio Grande do Norte produziu 202.161 metros cúbicos de petróleo e 15,8 milhões de metros cúbicos de gás natural. Existem hoje 15 poços de petróleo com produção zerada em abril e 103 poços de gás natural sem produção no mesmo mês.    

continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários