Projeto é celeiro de esperança na zona Oeste de Natal

Publicação: 2017-12-10 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Uma das modalidades mais tradicionais das artes marciais, o judô vem fomentando a vida de crianças e jovens atletas de 6 a 20 anos na Zona Oeste de Natal. Através do projeto Celeiro, da ONG Atitude Cooperação, o esporte é desenvolvido e tem dado resultados surpreendentes, não somente no desempenho dos atletas em relação às conquistas de medalhas, mas principalmente na formação de cada um. O judô é uma das modalidades desenvolvidas no projeto.

O professor Francisco Ivaneir (primeiro à esquerda) é uma inspiração para o projeto da ONG
O professor Francisco Ivaneir (primeiro à esquerda) é uma inspiração para o projeto da ONG

Ao todo, 320 crianças e jovens participam do projeto Celeiro, sendo 190 deles só nas aulas de judô, que são comandadas pelo professor Francisco Ivaneir. Todas as aulas são gratuitas para estudantes da comunidade, além de ter relação direta com escolas públicas dos bairros de Bom Pastor e Felipe Camarão.

“O judô é considerada a arte marcial de melhor formação para as pessoas. Crianças e adolescentes aprendem uma filosofia rica que ensina a aceitar com naturalidade os fatores que facilitam e dificultam as suas vidas, contribuindo também para a formação do caráter”, avalia o professor Ivaneir.

Nos últimos dias 24, 25 e 26 de novembro, a equipe de Judô da Atitude Cooperação participou da Copa Internacional de Judô Cidade de Fortaleza, conquistando nove medalhas. No mês de outubro, os atletas conseguiram conquistar em quatro competições um total de 33 medalhas, sendo 10 na VX Copa José Matheus, 8 na Copa Caicó, uma nos JERNS e 14 medalhas no Festival UniNassau de Judô, realizado dia 30 de outubro, em Natal. Ao longo do ano, a equipe também participa de várias outras competições. O placar de medalhas de 2016 e 2017 contabiliza 115 no total. 

Entre os judocas da Atitude Cooperação está o estudante Gilmar Ramos de Araújo Junior, 14 anos. Dono de 16 medalhas e há sete anos no projeto Celeiro, ele revela que o esporte mudou sua vida. “O judô trouxe mudanças no meu comportamento em casa, na escola e uma maior união com meus amigos aconteceram depois que comecei a praticar. Tornei-me mais disciplinado e organizado”, revela o jovem atleta.

De acordo com Ewerton Cortez, professor de educação física e coordenador da Atitude Cooperação, o esporte é um dos principais pilares do trabalho com a comunidade. “O nosso país é dotado de uma histórica herança de injustiça social. A Atitude Cooperação oportuniza um espaço de desenvolvimento humano, potencializando os aspectos biopsicossociais e combatendo o fracasso e evasão escolar, o trabalho infantil, a negligência, a violência dentre outras formas de violação de direitos”, declara Ewerton Cortez. 

Outro bom exemplo é da atleta Maria Antônia Medeiros Nunes, 17 anos. Ela participa do projeto há dois anos e assegura que a transformação foi na sua alma e na cabeça. “O judô me ajudou fisicamente e emocionalmente. Eu era gorda e com o esporte eu perdi 37 quilos. Além disso, me tornei mais dedicada e ser disciplinada”, garante Maria Antônia dona de 17 medalhas.

Para o professor Ivaneir, o judô da Atitude Cooperação não é competitivo e sim transformador. “Não temos aqui o objetivo de um judô competitivo, formador exclusivo de atletas, e sim um transformador de cidadãos. Queremos ajudar os pais a ensinar as crianças e jovens os princípios da honestidade, respeito, cooperação”, garante. O professor revela ainda que a melhor palavra para definir o que sente pelo projeto que é gratidão. Isso por ter a oportunidade de transformar vidas.

Projeto pioneiro foi criado em 2007
O projeto Celeiro foi criado em 2007, sendo pioneiro na ONG Atitude Cooperação, com a participação inicial de 60 alunos nas modalidades de judô e vôlei. O seu objetivo é fomentar a prática de modalidades esportivas nas escolas municipais Francisca Ferreira e Professor Zuza e na Escola Estadual Jean Mermoz, nos bairros de Bom Pastor e Felipe Camarão.

O projeto, que tem um termo de cooperação mútuo entre a ONG e a Prefeitura Municipal de Natal através da Secretaria de Educação, tem buscado, a cada ano, estimular a cidadania e a inclusão social de crianças e adolescentes da rede pública de ensino a partir da prática do judô, vôlei, xadrez, futsal, futebol e tênis. Tais atividades são desenvolvidas entre estudantes das duas escolas municipais e uma estadual da Zona Oeste de Natal.

Para presidente da Atitude Cooperação, Dra. Edailna Melo, o esporte é uma ferramenta motivadora de ação educativa para assegurar fatores de proteção, associado à promoção do bem estar físico, social e mental. “A legitimidade do esporte como via de socialização positiva ou inclusão social, enfatizado em diversas pesquisas recentes e por programas de intervenção. Agradecemos a Prefeitura de Natal, por meio da Secretaria Municipal de Educação, pela parceria existente no desenvolvimento deste projeto”, declara Edailna Melo.

Para manter esse trabalho, a ONG Atitude Cooperação conta com a ajuda de pessoas e empresas parceiras. Seja através de doações financeiras, emprestando suas habilidades ou dedicando seu valioso tempo às causas sociais, com trabalho voluntário. A UNIMED Natal é a principal mantenedora da ONG.

Professor é um exemplo para comunidade
Há quatro anos trabalhando na ONG Atitude Cooperação, o professor Francisco Ivaneir se tornou técnico do projeto Celeiros depois de trabalhar como estagiário por dois anos. “No início eu tinha duas turmas de 20 alunos e ministrava aulas de judô na escola municipal Professora Francisca Ferreira. Seis meses para acabar o estágio apareceu a oportunidade de assumir outras duas turmas na Escola Estadual Jean Mermoz, totalizando quatro turmas, e logo que estágio acabou recebi o convite para continuar como o professor efetivo das turmas de judô”, conta.

Um ano depois de assumir o controle, o professor Inveir teve que assumir a mudança das turmas do Colégio Jean Mermoz para a sede da ONG, com turmas de 25 alunos. “A partir daí foi observado à necessidade de abrirmos mais duas turmas, totalizando 140 alunos”, comemora. “Este ano os alunos não paravam de aparecer querendo participar da oficina de Judô. Tivemos novamente de abrir mais duas turmas, totalizando 190 alunos matriculados na nossa oficina”, revela.

Memória

Competições do Judô e conquistas da Atitude Cooperação em 2016 e 2017:

(25/11/17) copa internacional de judô cidade de fortaleza ( 9 medalhas)
(15/11/2017) torneio de aniversário da FJERN (9 medalhas)
(30/10/17 Festival UniNassau de Judô. (14 medalhas)
(26/10/2017) JERNS (1 medalha)
(9/10/17) Copa Caicó( 8 medalhas)
(07/10/17) 15º COPA JOSÉ MATHEUS (10 medalhas)
(15/07/17) XV Copa Currais Novos de Judô (10 medalhas)
(01/03/ 2017,)XVI Torneio Bruno Tarcísio(7 medalhas)
(19 e 20/11/16) torneio de aniversário da FJERN(10 medalhas)
13/11/2016 Copa Internacional Cielo de Judô, em Fortaleza. (5 medalhas)
(18/10/2016) XVI Copa Caicó de Judô (7 medalhas)
(09/05/2016) campeonato de judô em Currais Novos (8 medalhas)
(17/04/16), seletiva Campeonato Brasileiro Sub 18 e Sub 21. (11 medalhas )
(04/04/16) XIX Copa de Judô Milton Moreira 2016, em Fortaleza (6 medalhas)


continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários