Cookie Consent
Artigos
Projeto Memória
Publicado: 00:00:00 - 03/07/2022 Atualizado: 16:43:04 - 02/07/2022
Diogenes da Cunha Lima 
Escritor, advogado e presidente da Academia Norte-rio-grandense de Letras (ANL) 

Assumimos a reitoria da UFRN em 1979. Formada a equipe dirigente, concebemos o “Projeto Memória”, que estaria ao lado do Projeto Rio Grande do Norte, com a finalidade de ajudar no desenvolvimento estadual. Desejávamos registrar e difundir os bens culturais universitários. Para tratar desse Projeto instituímos e pomos para funcionar uma fundação, a Funpec.

O Projeto Memória teve cinco vetores principais: Memória Musical do Rio Grande do Norte, orientado por Deijair Borges; Memória Musical Brasileira, com Grácio Barbalho; Memória Viva pela TV Universitária, Carlos Lyra; Memória da Literatura de Cordel, com Veríssimo de Melo; Memória de teses e estudos universitários, publicação com Pedro Simões; Memória do Cinema Brasileiro, que teve vida efêmera, com Aldo Medeiros.

A Escola de Música, dirigida por Deijair, selecionou e publicou trinta long-plays com músicas, compositores, instrumentistas e cantores potiguares. A TV Universitária editou a memória de centenas de personalidades, registrando a experiência, o conhecimento e a emoção de potiguares e visitantes ilustres. Grácio Barbalho gravou, em fita magnética, a Música Popular Brasileira do final da década de 20 e início dos anos 50 de sua coleção, tecendo comentário sobre cada texto musical.  Escolhidos exemplares de Cordel Nordestino foram adquiridos e hoje compõem um setor especial da Biblioteca Zila Mamede. A Pró-reitoria de Extensão universitária publicou mais de 400 teses e estudos universitários, mimeografados e distribuídos pelas universidades brasileiras. 

Sobre o Projeto Memória, Woden Madruga publicou opiniões de escritores em correspondências enviadas a Deijair. Eis os escritores e suas respectivas opiniões: 

Carlos Drummond De Andrade: “Que presente régio, a série de LPs do Projeto Memória, da UFRN! Fiquei deslumbrado com esse trabalho admirável, que atesta de maneira cabal a musicalidade da gente rio-grandense-do-norte, tanto na área popular como na erudita, repassando por Oriano de Almeida, que eu conheço pessoalmente e que muito admiro”.

Pedro Nava: “Recebi ontem e já me dei o prazer de ouvir alguns dos discos tão bondosamente oferecidos. Muito bons (os discos) e meus parabéns pela tão bela realização de “memória” que vem sendo feita no Rio Grande do Norte, pela sua música. Que beleza se todas as nossas Universidades e Escolas de Música fizessem o mesmo para seus Estados”.

Afonso Arinos De Melo Franco: “Alegrou-me sobremodo tomar conhecimento da elogiável e patriótica iniciativa dessa Universidade, que preserva e divulga os valores culturais da terra e, assim, contribui para incentivar o desenvolvimento de novos talentos. Está, pois, de parabéns, a UFRN e, em especial, a Escola de Música sob a direção de V.Exa. Rogo-lhe transmitir ao caro amigo Prof. Diógenes da Cunha Lima minhas palavras de sincero agradecimento”.

Murilo Melo Filho: “É uma felicidade poder escutar a música da terra natal, em excelentes produções”.

A UFRN acresceu a sua memória institucional e preservou para a história a visão biográfica de potiguares de excelência.

* Artigos publicados com assinatura não traduzem a opinião da TRIBUNA DO NORTE, sendo de responsabilidade total do autor

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte