STTU justifica que obra na Salgado Filho vai priorizar fluxo de pedestres

Publicação: 2019-05-16 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Sob a justificativa de priorizar o fluxo de pedestres, a  STTU (Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana) vai desativar a passarela da avenida Senador Salgado Filho, próxima à igreja Universal, e em substituição vai instalar uma faixa de pedestres  e um semáforo na altura da rua Auris Coelho, em Lagoa Nova. A mudança faz parte de intervenções que serão feitas ao longo dos próximos meses na avenida Senador Salgado Filho, um dos principais corredores de trânsito, e que interligam as zonas administrativas  de Natal. Por dia, de acordo com a STTU, cerca de 80 mil veículos trafegam na avenida.

Obra vai implantar uma faixa de pedestre elevada para favorecer travessia de cadeirantes e com isso desativar a passarela
Obra vai implantar uma faixa de pedestre elevada para favorecer travessia de cadeirantes e com isso desativar a passarela

De acordo Newton Filho, técnico da STTU, a secretaria lançou três editais para a reforma das passarelas, porém nenhuma empresa se dispôs a realizar o serviço, e foram encontrados problemas de logística para realizar contratação direta.  “A Lei de Mobilidade vem com a ideia que devemos priorizar o pedestre, então em consonância a esta lei, e devido a dificuldade de realizar a reforma, sinalizamos pela remoção das passarelas e a criação de faixas de pedestres”, disse.

A iniciativa da STTU é para dar acesso à Salgado Filho/BR-101 no sentido Ponta Negra aos veículos que trafegam pela Auris Coelho e também para garantir a travessia dos pedestres na avenida, em ponto que fica a menos de 80 metros da passarela já instalada nas proximidades da Igreja Universal. “A secretaria entendeu que precisava se adequar a isso, até pelo alto fluxo de pedestres por causa do Hospital, a Universal e comércio. Essas pessoas não utilizam a passarela, mostrando que não aceitam esse modelo”, explicou o assessor técnico da STTU, Newton Filho.

Segundo o secretário adjunto da STTU, Walter Pedro, ainda será analisada a possibilidade de utilizar a rua Auris Coelho como opção para dar suporte aos binários que vem desde a avenida Antônio Basílio até a avenida Miguel Castro. “Tem um anseio da população, que acha que vai piorar o trânsito. A secretaria trabalha vendo uma situação geral, o congestionamento naturalmente está em frente ao Via Direta e Natal Shopping, temos uma distância de 300 metros. É sabido que congestionamento não é questão de viaduto e semáforo, é questão da abertura para acessar a marginal”, explicou Walter Pedro.

O professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Rubens Ramos, defendeu o projeto, e explicou que o modelo é inspirado na avenida Paulista, de São Paulo, onde existem faixas de pedestre a cada 80 metros, e os sinais de trânsito são sincronizados. O professor defendeu que a avenida Salgado Filho tem poucas opções para os pedestres se deslocarem de um lado a outro da avenida.

“A Salgado Filho se tornou um corredor que isolou os dois lados, o que impede as pessoas cruzarem de um lado para o outro. Isso também gera a inibição do comércio, de um lado temos o Midway com prosperidade, mas do outro é difícil ver um comércio dar certo”, explicou o professor, que é especialista em mobilidade urbana.

Mudança já foi implementada na avenida Bernardo Vieira
Mudança já foi implementada na avenida Bernardo Vieira

Apesar da intervenção já estar em curso, ainda não há uma data prevista para conclusão do serviço e retirada total da passarela.   Além da intervenção para instalação da faixa de pedestres na altura da Universal, outras faixas serão colocadas na avenida. Estudos estão sendo feitos pela STTU para determinar os locais exatos. Além disso, haverá recuo de faixas existentes para se distanciarem dos semáforos, como é o caso da que está localizada próxima ao shopping Midway. 

Passarelas
Construídas há 13 anos, as passarelas da avenida Senador Salgado Filho e avenida Bernardo Vieira, nas Quintas, são estruturas nunca receberam reparo e estão em estado precário. De acordo com a Secretaria Municipal de Transporte Urbano (STTU), responsável pelas duas, a dificuldade em realizar manutenção decorre da falta de interessados em licitações. Nos dois últimos anos, três certames foram feitos, mas foram desertos.

No caso da passarela da Bernardo Vieira, localizada no bairro das Quintas, uma passarela foi colocada no local, visando a desativação da estrutura. Já a passarela que fica próxima à Igreja Universal, é uma das mais críticas de Natal. A estrutura está enferrujada, sem iluminação e tem acessibilidade precária – no projeto inicial, foi previsto um elevador, mas ele sequer existe. Somente um lado tem rampa. Do outro, uma escada no formato quadrado, escura, espanta quem precisa atravessar a avenida. O cheiro mais recorrente é de urina, e em alguns pontos é possível ver fezes.

Em dezembro de 2018, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio Grande do Norte (Crea-RN) realizou vistorias nas duas passarelas e recomendou a interdição das estruturas.  Segundo o coordenador da Câmara de Mecânica do Crea-RN, Márcio Sá, o Conselho recebeu denúncia de moradores da região próxima à passarela da avenida Bernardo Vieira. De acordo com ele, a situação dessa estrutura é a mais crítica devido ao tráfego diário já que a avenida é o principal elo entre a Zona Norte e as outras áreas da cidade.









continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários