Internacional
Protagonismo das mulheres poderá atrapalhar Hillary
Publicado: 00:00:00 - 21/08/2016 Atualizado: 22:48:52 - 20/08/2016
Por Colleen McCain Nelson e Janet Adamy da DJ

Nova York, (AE) - Hillary Clinton fez história no último mês como a primeira mulher a ganhar a nomeação para candidata à presidência dos Estados Unidos de um grande partido, um marco na luta pela igualdade de gênero no pós-guerra no país que ilustra as conquistas das mulheres desde que a ex-primeira-dama nasceu, em 1947.

A ironia - e o problema para Hillary - é que esse progresso se tornou tão disseminado que algumas eleitoras parecem indiferentes a quebrar outro teto de vidro. Mais mulheres têm ensino superior do que homens. Elas são as principais provedoras em quatro de cada dez famílias norte-americanas. Elas lideram empresas como a General Motors, PepsiCo e IBM. Hillary tem lutado para obter o apoio das mulheres de meia idade, brancas, de classe média. E algumas mulheres mais jovens não veem muita urgência em passar por cima de algumas barreiras.
Senadora Hillary Clinton é a primeira mulher a disputar eleição norte-americana pelos Democratas
Enquanto 52% das mulheres registradas como eleitoras de ambos os partidos apoiam Hillary, a proporção cai para 36% entre as mulheres brancas com 50 a 64 anos e 34% entre mulheres brancas com 35 a 49 anos, de acordo com pesquisa do Wall Street Journal/NBC News deste mês.

O candidato do partido Republicano Donald Trump é apoiado por 37% de todas as mulheres entrevistadas, 54% mulheres brancas, entre 50 e 64 anos e 51% entre 35 e 49 anos.

“O que mais me incomoda é que não há muito entusiasmo sobre Hillary ser a primeira mulher a concorrer à presidência”, disse Billie Jean King, campeã de tênis de 72 anos e apoiadora da candidata, especialmente em comparação com o entusiasmo dos americanos durante a campanha de Barack Obama, o primeiro presidente negro eleito nos EUA.

As preocupações em relação a Hillary incluem a revelação de que ela usou seu e-mail pessoal para questões do governo quando era Secretária de Estado. Ela declarou que cometeu um erro, mas que não quebrou nenhuma lei.

Reservas e ressentimentos também permanecem do período de seu marido, Bill Clinton, na Casa Branca durante os anos 1990, no qual ele passou por um processo de impeachment por mentir durante a investigação de seu relacionamento com uma estagiária do governo.

Além disso, conservadores divergem de Hillary em temas como aborto, enquanto os progressistas afirmam que ela é muito acolhedora com Wall Street. “Acho que nos afastamos da natureza histórica dessa campanha porque Hillary Clinton se tornou uma candidata excepcionalmente polarizada”, disse o pesquisador democrata Peter Hart.

Os maiores níveis de apoio para Hillary entre todas as mulheres eleitoras, incluindo as Republicanas, estão entre as de 65 ou mais velhas, 56%, e 66% entre 18 e 34 anos. Os millenials estão entre os eleitores mais progressistas.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte