Protesto para trânsito da BR-101

Publicação: 2012-08-30 00:00:00 | Comentários: 6
A+ A-
Alex Costa - Repórter

No final da tarde de ontem (29), aproximadamente 800 pessoas, principalmente estudantes, se aglomeraram ao longo da BR 101 e avenida Senador Salgado Filho e iniciaram uma passeata contra o aumento repentino do valor das passagens de ônibus em Natal. A movimentação foi organizada através das redes sociais . Com faixas, bandeiras pretas e fogos de artifício sonoros e luminosos, os manifestantes bradavam gritos de guerra, apoiando-se contra a decisão da prefeitura. Por mais de duas horas, o trânsito na zona Sul de Natal permaneceu parado, gerando filas gigantescas de congestionamento.

A mobilização começou por volta das 18h. Em frente da parada do circular, jovens de várias idades iniciaram o protesto. Alguns chegaram a subir no telhado  do ônibus, onde pulavam e instigavam os revoltados. “Isso é o mínimo que nós podemos fazer para mostrar a nossa revolta. O que o povo de Natal é para essa prefeitura? Por acaso somos um bando de ignorantes, para que não haja qualquer tipo de diálogo antes de uma tomada de decisão que afeta a todos?”, questiona Jéssica Régis, de 22 anos, que portava um megafone durante o protesto.

Em seguida, a multidão desceu em massa pela BR 101, em direção a Av. Salgado Filho, parando as quatro vias de trânsito, nos dois sentidos do fluxo. Por 15 minutos, os manifestantes permaneceram sentados  na via, e impediam até mesmo que motocicletas “furassem o bloqueio humano”. Livros eram queimados sobre as muretas que dividem a rodovia federal BR-101. Tudo o que era possível para chamar a atenção dos transeuntes era feito pelos manifestantes.

POLÍCIA

Ao longo da rodovia federal, a Polícia Rodoviária Federal  contou com o apoio da Polícia Militar para coordenar o movimento, que seguiu em passos lentos. No local, o comandante do policiamento metropolitano, Coronel Alarico, iniciou o trabalho para  acabar com a movimentação. “Eles vinham fazendo uma passeata pacífica, mas no momento em que resistem em sair da rodovia e impedem a livre circulação de veículos numa via que é a entrada de Natal nós somos obrigados a agir. Sem contar que a Salgado Filho é uma via de acesso para ambulâncias, que já ligavam para a PM solicitando o apoio”, alertou o coronel.

Ciente de que a intenção dos manifestantes seria de parar no cruzamento da avenida Bernardo Vieira com a Salgado Filho, a Polícia Militar interviu com a Polícia Montada e com o Batalhão de Choque. Cerca de 50 policiais se dividiam para impedir a passagem dos jovens. Uma frente de policiais de choque, com escudos, fecharam o acesso em frente à faculdade de odontologia da UFRN. Os manifestantes reagiram: “Não somos ladrões. Apenas estamos fazendo uso do nosso direito de ir e vir e de reivindicar os nossos direitos”.

Ao se sentirem ameaçados pela contenção da caminhada, os manifestantes reagiram atirando pedras na direção dos policiais. Imediatamente, foi dado o comando de fogo. Bombas de efeito moral, gás lacrimogênio e de pimenta foram lançados sobre a multidão, que se dissipou. Muitos reagiram ao comando de recuo da Polícia Militar e acabaram causando um tumulto maior.

CONFUSÃO

Acusado de desacato e desobediência à voz de polícia, um jovem de 24 anos, identificado como Marcelo Victor de Lima, foi  apreendido e encaminhado para a Delegacia de Plantão Zona Sul ,onde prestou esclarecimentos. De acordo com o coronel Alarico, o jovem deverá responder a um Termo Circunstancial de Ocorrência e poderá prestar serviços à sociedade. “O direito de ir e vir de alguns, termina quando começa o direito de outras pessoas”, afirmou o comandante. Uma das bombas atiradas pelos policiais causou o rompimento de um fio de fornecimento de energia elétrica que ficou caído sobre a avenida Salgado Filho. Ninguém ficou ferido. A área foi cercada pela Polícia Militar, que ficou de plantão no local por algumas horas para evitar novos transtornos. Um desvio foi criado para que o trânsito pudesse fluir da melhor maneira. Os carros que vinham no sentido Midway Mall precisaram desviar pela avenida Xavier da Silveira. Já os carros que vinham no sentido Natal Shopping eram desviados para a avenida Antônio Basílio. A Cosern informou que o conserto na fiação rompida com o motim ocorreria a partir das 11h da noite de ontem.

Memória - Tarifa chegou a R$ 2,40

No final da tarde da última segunda-feira (27), a secretaria municipal de Mobilidade Urbana (Semob) decidiu aplicar a nova tarifa para os transportes públicos da capital potiguar. O aumento exigido pelos empresários era de R$2,55, tendo em vista os impostos, aumento do diesel e o reajuste de dois salários dos motoristas e cobradores. A Semob concedeu de surpresa um aumento de R$O,20 na passagem.

A tarifa passou para R$2,40 e pegou desprevenida toda a população natalense na terça-feira (27). Muitas pessoas foram barradas nas roletas por não entregarem a quantia certa para o pagamento do serviço. Revoltados, estudantes começaram um protesto virtual nas mídias sociais. O Twitter e o Facebook foram os principais veículos de convocação de pessoas para participar de um ato públlico contra o aumento da tarifa nos transportes urbanos.


continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários

  • tiagolegur

    Na manha desse dia 30 vi a mais pura realidade do nosso mundo, sites e jornais tratando estudantes como vandalos e "jovens incosequentes", tudo porque lutamos por algo que achamos justo e USAMOS. Ouço uma grande questão: "Por que essa juventude é tão quieta e não luta pelos seus direitos assim como nos anos 60, os caras pintadas?", estamos lutando, R$2,40 não é justo e recebemos em troca o adjetivo de vandalos. Empolgado por esse periodo eleitoral coloco em questão: se fosse uma carreata do politico A ou uma passeata do B, hoje os jornais e a policia estariam satisfeitos com o sucesso?

  • ludjanio

    transporte público em Natal e que em breve estenderá para a Região Metropolitana. Sabe-se lá quanto será a tarifa, por exemplo, de Parnamirim hoje, R$ 2,80. É necessário continuar com esse protesto responsável e continuar a chamar o cidadão de bem desta Cidade para juntos corrigir esse absurdo. A Prefeita Micarla de Souza e seus auxiliares não podem justificar esse aumento, pois, hoje é quase impossível trafegar pelas ruas. Ou seja, é mais fácil cair e levantar (quando se consegue) dos buracos nelas existentes do que se ter um dia tranquilo e produtivo. Parabéns e no próximo estarei com voc

  • denill_2012

    muintobom

  • joubertgomes

    Parabéns a linny.joy e manesmann pelos comentários. Esse é o problema de nossa sociedade: egoísmo! Se começássemos a praticar a EMPATIA, nossa realidade seria outra... abraços aos que tem carros e pêsames aos que não os tem...

  • Dennys_lido

    Temos Comentários Muito Variados é Uma Pena Isso.Que Todos Nos Estudante Tava Lutando Pela Toda A População Pelo Esse Aumento E Outra Coisa Si Agente Não Luta Aonde Isso Já Chega. Diga Ai Si Todo O Ano Aumenta 0,20 Centavos Aonde Chegaria Natal E Um Absurdo A Pessoa Paga 2,20 Pra Ir Em Um Lugar Não Muito Longe E Em Ônibus Precários Sem Nenhum Conforto. E Teve Uma Pessoa Ai Que falo Que E Apenas 0.20 Centavos EU Tenho So Uma Coisa A Fala Pra Você Pra Um Trabalhador Que Receber Uma Miseria De Um Salario 622$ E Que Pega 2 ate mesmo 3 ônibus Pra Chega No Trabalho Faz Muita Falta Esse 0,20 Centav

  • anderson_wernerrn

    wallasjefferson@ - "método democrata de negociação com manifestantes". Só pra constar, não é com a PM que se negocia isso. Ela estava lá para evitar as depredações (ao patrimônio público e privado), e garantir o direito de ir e vir do restante da população que não estava participando da manifestação. Eu por exemplo, demorei 1h20min com uma dor no peito pra tentar chegar em algum hospital, e lá descobrir uma infecção pulmonar. Eu só queria chegar lá no hospital, NÃO QUERIA PARTICIPAR da manifestação. Tenho esse direito?