Cookie Consent
Política
PT prepara encontro para decidir alianças no Estado
Publicado: 00:01:00 - 19/05/2022 Atualizado: 00:29:57 - 19/05/2022
O Partido dos Trabalhadores (PT) reúne a Executiva Estadual hoje a fim de anunciar os detalhes do encontro de “tática” a ocorrer, no sábado (21), com a participação de 240 delegados de Natal e interior do Rio Grande do Norte, e que irá deliberar sobre a federação com PV e PC do B, alianças com outros partidos e composição de chapas majoritárias para as eleições de outubro, sobretudo a homologação das pré-candidatura do deputado federal Walter Alves (MDB) a vice—governador numa chapa com a governadora Fátima Bezerra (PT) e do ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo, para senador da República.

Cedida
Júnior Souto admite que há uma “ala que defende o adiamento”

Júnior Souto admite que há uma “ala que defende o adiamento”


A governadora Fátima Bezerra vai comparecer ao encontro de “tática”, que começará às 9 horas, no Praia Mar Hotel, em Ponta Negra, pouco antes do seu encerramento, previsto para as 17 horas do sábado, informou o presidente estadual do PT, o ex-deputado estadual Júnior Souto,  mas admitindo que uma ala de dirigentes partidários defendem o adiamento: “Há quem defenda isso, não vou fazer prognóstico, mas já há conversa nesse sentido de dirigentes do partido”.

Júnior Souto negou que a tese de adiamento tenha como causa divergências internas relacionadas à pré-candidatura de Carlos Eduardo e o apoio de alas do partido a uma pré-candidatura do presidente estadual do PSB, deputado federal Rafael Motta, à cadeira de senador, que deverá ser defendida pela deputada federal Natália Bonavides (PT) no encontro de “tática”. 

“Não temos motivo para por em questão o acolhimento da orientação da mesa nacional e foi embasado por ampla maioria da Executiva Estadual”, disse Júnior Souto, ao considera a delegação dada pelo partido para que a governadora Fátima Bezerra também tomasse à frente das negociações políticas com partidos políticos.

Júnior Souto explica que essa possibilidade de adiamento do encontro de “articulação” do PT “deve-se, basicamente, a questão  organizativa, que tem conexão com as obrigações dos filiados e exigências estruturais para que as delegações possam chegar à reunião, tendo quitado suas dívidas e contribuições partidárias, que são regimentais”.

Segundo Júnior Souto, o assunto pode aparecer e ser discutido na reunião da Executiva Estadual, que começa às 17 horas de hoje, na sede do partido em Lagoa Nova, porém, o encontro de sábado está mantido. “Podemos discutir encaminhamentos, mas essa coisa, até esse momento, como realização e operação do encontro pela Executiva, só ela pode fazer qualquer alteração”.

Souto disse que além dos 240 delegados, participarão do encontro pelo menos 60 convidados, como os 18 coordenadores setoriais, os cinco prefeitos do PT, dos municípios de  Afonso Bezerra, Currais Novos, Jandaíra, São Gonçalo do Amarante  Sítio Novo, pré-candidatos a cargos majoritários e proporcionais que não estão na condição de delegados.

O ex-deputado Júnior Souto também informou sobre a inexistência de recurso em nível nacional da deputada Natália Bonavides, no sentido de invalidar resolução interna do PT estadual para que filiados inadimplentes com as contribuições financeiras ao partido possam participar deliberação no encontro de “tática”, embora tenha havido contestação nesse sentido - “outros expedientes foram utilizados”, sem o instrumento formal do recurso, que chegaram a ser levados à direção nacional. 

A respeito da composição da chapa majoritária, Júnior Souto declarou que “não estão 100% concluso a partilha de vagas”, porque para o senado, o PT defende a indicação do senador Jean Paul Prates para primeiro suplente, enquanto o PC do B, que foi alijado da indicação do companheiro de chapa de Fátima Bezerra, mas reivindica a primeira suplência de senador para o vice-governador Antenor Roberto de Medeiros.

A deputada estadual Isolda Dantas (PT) também confirmou que “as formas de definição sobre como será tratado o encontro será definido hoje”, enquanto o líder da bancada do partido na Assembleia Legislativa, deputado Francisco do PT, falou que soube da possibilidade do encontro de “tática” ser adiado para 28 de maio ou 04 de junho.

Financiamento coletivo está autorizado 
Desde domingo (15), as empresas ou entidades cadastradas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para prestar serviço de financiamento coletivo de campanhas nas Eleições Gerais de 2022 estão autorizadas a arrecadar recursos, desde que contratadas previamente por pré-candidatos ou partidos políticos. Na consulta à página do Tribunal, 14 empresas tiveram o cadastro aprovado até o momento, e outras 12 estão em fase de cadastramento.

Conhecido também como crowdfunding ou “vaquinha virtual”, o financiamento coletivo será utilizado no processo eleitoral brasileiro pela terceira vez. Esse tipo de financiamento para campanhas eleitorais foi instituído pela reforma eleitoral de 2017. Já foi utilizado nas Eleições Gerais de 2018 e no pleito municipal de 2020. É a Resolução nº 23.607/2019 (artigos 22 a 24), com as mudanças introduzidas pela Resolução nº 23.665/2021, aprovada em dezembro passado pelo Plenário do TSE, que regulamenta o financiamento coletivo nas eleições deste ano.

A vaquinha virtual funciona por meio da internet e de aplicativos eletrônicos controlados por empresas especializadas na oferta desse serviço. Na fase de arrecadação de doações, as empresas devem fazer a identificação obrigatória de cada pessoa doadora, com o nome completo e o número de inscrição no CPF, assim como o valor das quantias transferidas individualmente, a forma de pagamento e a data em que ocorreu a respectiva contribuição.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte