Cookie Consent
Política
PT vai tentar usar gravação contra o impeachment
Publicado: 00:00:00 - 24/05/2016 Atualizado: 23:16:58 - 23/05/2016
Brasília (AE) - O PT vai usar a primeira crise do governo Michel Temer para tentar anular o processo de impedimento da presidente Dilma Rousseff. Mesmo com Temer agindo rápido e afastando o titular do Planejamento, Romero Jucá - depois que veio à tona um diálogo no qual Jucá comenta a necessidade de “estancar essa sangria”, em possível referência à Operação Lava Jato -, senadores do PT farão de tudo para paralisar a comissão do impeachment.

Embora até o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva considere difícil Dilma retornar ao Palácio do Planalto, após o julgamento final no Senado - previsto para ocorrer entre agosto e setembro -, os problemas no início da gestão Temer animaram o PT. Sob comando de Lula, será reforçada a ofensiva para reverter seis votos de senadores que votaram pela deposição da presidente. A ideia é bater na tecla de que o processo foi “contaminado” por desvios de finalidade.

Dilma passou o dia em reunião com antigos auxiliares, no Palácio da Alvorada. Antes do almoço, a presidente afastada chamou o ex-ministro da Secretaria de Governo Ricardo Berzoini e pediu que ele desse o tom da reação petista ao caso envolvendo Jucá. Berzoini é hoje o homem que coordena a estratégia da “pronta resposta” no Alvorada, para fazer um contraponto à gestão Temer.

Em sua segunda agenda pública depois da abertura do processo de impeachment, a presidente afastada Dilma Rousseff afirmou que as gravações envolvendo o agora ministro afastado Romero Jucá deixam "evidente o caráter golpista e conspiratório que caracteriza o processo de impeachment".

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte