Cookie Consent
Notas e Comentários
Punição branda
Publicado: 00:00:00 - 22/01/2021 Atualizado: 01:10:50 - 22/01/2021
colunanotas@tribunadonorte.com.br

A intensa repercussão das notícias sobre a situação à qual um professor submeteu alunas do curso de Comunicação traz à tona a necessidade de rigor e punição exemplar contra casos de assédio. O episódio que constrangeu estudantes se deu em 2019, quando o professor Daniel Dantas Lemos baixou as calças em frente a alunas, nas dependências da UFRN, e se exibiu com short de ginástica. Não foi a primeira vez, segundo relatos e denúncias feitas, que ele usou da condição de docente para submeter alunas a episódios, no mínimo, constrangedores. A jornalista e professora Kamila Fernandes denunciou que houve casos até mais graves. “Cometeu atrocidades [na Universidade Federal do Ceará], mas passou pelo probatório. Pela justiça, conseguiu ser removido pra UFRN. Mas o pior veio quando ele saiu. Casos de assédio de alunas, de perseguição, de conversas obscenas”, apontou. Só agora, neste mês, veio uma advertência. Punição branda, diante de atos tão graves. A gravidade  das denúncias também contrasta com o silêncio da UFRN e das entidades que afirmam se dedicar à defesa dos direitos da mulher.

Vacina russa 
A secretária adjunta de Saúde do Estado, Maura Sobreira, afirmou ontem que o governo está na expectativa de contar com a vacina russa Sputnik V — que o Consórcio Nordeste pretende adquirir, mas não foi autorizado pela Anvisa. “Nós estamos no aguardo de uma reunião que a governadora [Fátima Bezerra] deverá participar para que possamos acompanhar a tramitação de todo esse processo”, disse, ao conceder entrevista à rádio 91,9. 

Reforma Tributária 
O presidente Jair Bolsonaro afirmou ontem que o governo buscará fazer a reforma tributária "no corrente ano" e negou que o objetivo seja aumentar impostos. Segundo o presidente, se a reforma provocar aumento de tributos é "melhor deixar como está". A reforma tributária é uma das apostas do governo para a retomada da economia após a pandemia da covid-19. Bolsonaro disse que hoje as empresas "gastam muito tempo e gastam muito dinheiro" com os cálculos de prestações de contas e, por isso, a ideia do governo é "simplificar" o sistema.

"Markinhos Show"
O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, formalizou ontem a entrada de Marcos Eraldo Arnoud na pasta. Conhecido como "Markinhos Show", ele foi nomeado assessor especial, mas já atuava desde dezembro como marqueteiro do general da ativa e chefe da comunicação do ministério. Ele terá um salário de R$ 13.623. A nomeação ocorre no momento em que Pazuello é criticado por dar informações equivocadas e contraditórias, além de manter uma relação conflituosa com a imprensa. Nesta semana, por exemplo, após entrega em massa pelo governo federal de medicamentos sem eficácia comprovada contra a covid-19, como a cloroquina e a hidroxicloroquina, o ministro disse que nunca estimulou o uso destes tratamentos. Em seu site, "venda para o cérebro", Markinhos se define como "palestrante motivacional, master coach, analista em neuromarketing, especialista em marketing, SEO, hipnólogo, mentalista, practitioner em PNL, músico, empreendedor e especialista em marketing político.

Disciplina fiscal 
O candidato à presidência da Câmara, deputado Arthur Lira (PP-AL), foi ao Twitter agora à tarde reforçar o discurso de disciplina fiscal no País, após tecer comentários sobre a possibilidade de extensão do auxílio emergencial na manhã da quinta-feira, 21. "Apenas ratificando o que eu quis dizer em reunião hoje pela manhã com investidores: primeiro reforçar meu compromisso com a disciplina fiscal que vem sendo implementada", escreveu Lira. "Qualquer discussão sobre eventual auxílio emergencial adicional deve ser feita de forma responsável e acompanhada do aprofundamento de reformas que viabilizem a consistência fiscal de médio e longo prazos no Brasil." Pela manhã, o deputado respondeu sobre a possibilidade da retomada do auxílio emergencial e disse que, dentro do teto de gastos, e com o Orçamento aprovado, o mercado poderia aceitar um gasto entre R$ 20 bilhões e R$ 50 bilhões por um período máximo de seis meses.

Cobrança da audiência 
O Fórum Estadual dos Servidores protocolou um ofício junto ao governo para cobrar a data da audiência prometida pela governadora Fátima Bezerra para tratar do calendário de pagamento das folhas salariais em atrasado. 

Grupos prioritários 
O vereador Tércio Tinôco sugeriu ao prefeito Álvaro Dias que as pessoas com deficiência sejam incluídas nos grupos prioritários para a vacinação contra a Covid-19. 

Segurança nacional
Luiz Antonio Iurkiewiecz, que lançou um carro contra o Ministério da Justiça, em 15 de novembro do ano passado, virou réu na Justiça Federal por crime contra a segurança nacional. De acordo com as investigações, a intenção dele era, na verdade, cometer um atentado contra o Supremo Tribunal Federal (STF).










Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte