Qualidade de vida (2)

Publicação: 2011-09-25 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Dr.  Jorge Boucinhas - médico e professor da UFRN

Continuando com o tema “qualidade de vida”, há que dizer que ela não é alcançada apenas através dos grandes sucessoss materiais ou quando de ocorrências extraordinárias. Mihaly Csikszentmihalyi, um Professor de Psicologia da Universidade de Chicago, autor da conhecida obra Flow, estudou os fatos que faziam as pessoas sentirem-se mais felizes. Concluiu que a somatória de pequenos eventos familiares e profissionais pode levar a alcançar grande auto-satisfação. Denominou-os “momentos de fluxo”. Eles são atingidos quando são realizadas, com sucesso, atividades estimulantes que exijam concentração e conhecimento. O “fluxo” é vivenciado sem esforço, tem grande intensidade e depende de cada um. Quanto mais momentos dele tem-se no dia-a-dia, maior a sensação de bem-estar e menor a angústia existencial.  

A qualidade de vida não é uma meta que se atinge e “-Pronto!  Tudo está resolvido.” Ao longo da existência, com momentos bons e ruins, alternando-se subidas e  descidas, vai-se evoluindo, aprendendo e fortalecendo. Fato importante: não há uma maneira padrão de agir. Cada qual deve construir seu próprio caminho e a mudança para uma vida mais feliz exige fases de reflexão. Segundo o Dr. David Kundtz, médico norte-americano autor do livro Stopping, há que saber “parar”, ou seja, ficar um tempo sem nada fazer, com o fito único de tornar-se mais desperto e conhecer-se, lembrar-se quem realmente se é.  Ele assegura que não basta apenas desacelerar o ritmo das ações e o ato de “parar” permitiria enxergar a vida mais nitidamente e tomar decisões acertadas.  

A qualidade de vida, a qual inclui boa saúde, possui dimensões física, intelectual, emocional, social e espiritual. O bem-estar deriva do equilíbrio entre estas dimensões. E há que repetir: a melhora exige perseverança, de vez que é fruto de um caminhar constante, os obstáculos sendo superáveis apenas passo a passo.

Adiante vão-se expor alguns tópicos fundamentais atinentes a cada das dimensões citadas, mui úteis se refletidos e bem seguidos.  Não são regras fixas e devem ser adequadas a cada caso, de vez que cada um é singular em termos de histórico de vida e peculiaridades existenciais.

DIMENSÃO FÍSICA

Praticar, de qualquer atividade física, pelo menos meia hora cinco dias (ou uma hora três dias) por semana. Dedicar seis a oito horas ao sono quase todas as noites.  Alimentar-se equilibradamente, evitando gorduras animais, açúcar branco e muito sal, e procurar sempre ingerir frutas e hortaliças, o mínimo de produtos industrializados, e uma boa quantidade de alimentos integrais ricos em fibras. Segurar o peso em níveis adequados.  Escovar os dentes após as refeições e usar fio dental. Não fumar e evitar ambientes nos quais se fume. Evitar ingerir bebidas alcoólicas em excesso, limitando-as aos fins de semana. Procurar, regularmente, efetuar avaliações de saúde.  

DIMENSÃO INTELECTUAL

Manter-se em dia com a literatura, não temendo mesmo a visita aos clássicos.   Periodicamente atualizar-se com relação às novidades em termos de cinema, teatro, shows e atividades artísticas.  Seguir cursos de aperfeiçoamento em áreas de interesse.    

DIMENSÃO EMOCIONAL

Ter sentimentos positivos em relação à vida e si mesmo. Manter um hobby qualquer e a ele dedicar-se pelo menos uma vez por semana. Não se deixar irritar com facilidade. Conseguir rir com facilidade (até de si mesmo) e manter o bom humor. Dizer “não” sem se sentir culpado. Fazer exercícios para relaxar sem medicamentos.  Evitar julgar outrem e não o culpar pelos problemas pessoais. Elogiar, sem falsidade, os atos positivos dos demais. Procurar comunicar-se clara e objetivamente.

DIMENSÃO SOCIAL

Procurar ser gentil e atencioso. Manter boa relação com familiares, conhecidos e colegas.  Ter amigos de confiança com quem possa desabafar. Tentar resolver os problemas e conflitos interpessoais de maneira positiva. Pelo menos uma vez por semana procurar fazer algo interessante apenas por prazer. Procurar envolver-se em atividades comunitárias e ecológicas.

DIMENSÃO ESPIRITUAL

Procurar dar sentido à vida e propor objetivos realistas para a mesma. Procurar, periodicamente, “parar” e rever-se. Ter valores éticos e crenças pessoais e respeitá-los, sendo também tolerante para com as crenças e valores dos outros.

Estas são as idéias básicas dos grandes psicólogos atuais sobre como melhorar a qualidade de vida. Será possível implementar pelo menos algumas delas? Bem, eis algo desafiador que não custa intentar!



continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários