Queda de arrecadação pode chegar a R$ 150 milhões

Publicação: 2020-04-21 00:00:00
O Estado teve um queda nas receitas de abril, até agora, de R$ 75 milhões. E a estimativa é que, ao fim do mês, esse número esteja entre R$ 130 milhões e R$ 150 milhões. Os dados foram revelados pelo secretário estadual do Planejamento e das Finanças, Aldemir Freire, durante participação na reunião da Comissão de Enfrentamento ao Coronavírus da Assembleia Legislativa do RN, presidida pelo deputado estadual Kelps Lima (SDD). O encontro foi ontem por webconferência.

Créditos: DivulgaçãoSecretário de Planejamento participa da Comissão da Assembleia Legislativa que se dedica a acompanhar medidas contra a pandemiaSecretário de Planejamento participa da Comissão da Assembleia Legislativa que se dedica a acompanhar medidas contra a pandemia


Na reunião, o secretário fez uma prestação de contas das ações que foram tomadas e do quadro financeiro do Estado diante da pandemia do novo Coronavírus. Segundo Aldemir, há registros de queda de 44% no consumo do mercado varejista e de aproximadamente 80% no setor de serviços. Isso no mês de março. 

“É uma queda significativa. Uma redução dos níveis de atividade econômica vai ter impacto significativo nas receitas de Estados e municípios com queda na tributação. Já estamos sentindo. A queda é sentida não só no FPM, mas no ICMS, IPVA, Simples nacional. Todas as receitas já apresentam queda”, disse Aldemir Freire. 

Diante dessa situação, o auxiliar da governadora Fátima Bezerra (PT) apresentou algumas medidas que foram adotadas pelo Governo do Estado. Entre as prioridades, foram estabelecidas a manutenção da folha de pagamento do funcionalismo público, o repasse de recursos aos municípios, o pagamento do duodécimo aos demais poderes e a garantia do custeio mínimo da máquina estadual. Para viabilizar tudo isso, o Estado decidiu reduzir suas despesas financeiras, renegociar pagamentos de precatórios e das chamadas requisições de pequeno valor. O secretário enfatizou ainda a importância do Senado Federal aprovar o Plano de Equilíbrio Fiscal, que ajudará estados e municípios com a recomposição do ICMS e ISS. 

Ao ser questionado pelo deputado Francisco do PT em relação a liberação de recursos das emendas apresentadas pelos parlamentares, o secretário revelou que esta semana o uso do dinheiro já deve começar a ser autorizado. Ao todo, serão cerca de R$ 200 mil para cada deputado, o que representa R$ 4,8 milhões para o combate ao Covid-19.

Em sua abordagem, o deputado Getúlio Rego (DEM) – que questionou sobre a regularidade dos pagamentos dos repasses aos municípios - enfatizou que a Assembleia Legislativa tem feito a sua contribuição ao Estado no combate a crise causada pela COVID-19. “Eu reconheço que realmente a Assembleia Legislativa tem sido uma parceira do Governo em todo esse processo. Sempre tivemos boas discussões, inclusive institucionalmente, sobre repasses e projetos”, disse o secretário. Aldemir garantiu que é uma das prioridades do Estado manter os pagamentos as Prefeituras. 

Já o deputado Sandro Pimentel (Psol) questionou o total de recursos federais que chegaram ao RN para combate a COVID-19. Até agora, o Governo do RN já recebeu R$ 29,96 milhões da União para auxílio de combate a Covid-19. Os municípios potiguares receberam R$ 46 milhões. Ou seja, para o RN foram enviados cerca de R$ 76 milhões. Ao parlamentar, Aldemir Freire também garantiu o pagamento da folha salarial de abril nas datas previstas.

O deputado estadual Tomba Farias (PSDB) afirmou que, por enquanto, a maior parte do esforço financeiro para enfrentar a pandemia tem sido feito pelo governo federal. Aldemir disse que o Estado está com sua situação financeira sem espaços para maiores aberturas. “Estamos suspendendo pagamentos, como a questão dos precatórios e a redução do duodécimo, mas porque os recursos não existem”, explicou.