Brasil
Queiroga afirma que vacinação de adolescentes começou antes do previsto
Publicado: 16:08:00 - 16/09/2021 Atualizado: 16:09:24 - 16/09/2021
Após suspender a orientação para que adolescentes sem comorbidades possam se vacinar contra a covid-19, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que a aplicação da vacina neste público foi feita de maneira 'intempestiva', começando antes do previsto por decisão de estados e municípios.

Reprodução


As declarações foram dadas em entrevista coletiva na sede do Ministério, em Brasília, além de alegar que há registro de mais de mil eventos adversos às vacinas. "Estados e municípios iniciaram essa vacina antes, até no mês de agosto, vacina que era para começar ontem. Como conseguimos coordenar a campanha dessa forma?", apontou o gestor. 

Segundo Queiroga, estados estariam aplicando vacinas de outros fabricantes além da Pfizer, que é o único autorizado pela Anvisa para menores de idade. "Sigam a recomendação do PNI [Plano Nacional de Imunização], não apliquem vacinas que não têm autorização da Anvisa", disse. "Não vamos aceitar isso. Temos compromisso com todos os brasileiros, mas em especial com os adolescentes, que são o futuro dessa nação".

Ministério
A pasta citou, entre outros argumentos para revisar a recomendação, o fato de que os benefícios da vacinação em adolescentes sem comorbidades ainda não estão claramente definidos e que a Organização Mundial de Saúde (OMS) não recomenda imunização de adolescentes com ou sem comorbidades.

A OMS, entretanto, não chegou a afirmar que a imunização de adolescentes não deveria ser realizada. Em vídeo publicado em junho, a organização disse apenas que, neste momento, a vacinação de adolescentes entre 12 e 17 anos não é prioritária. O ministério também argumentou que a decisão foi tomada devido ao fato de a maioria dos adolescentes sem comorbidades acometidos pela covid-19 apresentarem evolução benigna da doença.

Outro ponto levantado foi o de que houve uma redução na média móvel de casos e óbitos (queda de 60% no número de casos e queda de mais de 58% no número de óbitos por covid-19 nos últimos 60 dias) com melhora do cenário epidemiológico. Após a publicação da nota, algumas cidades anunciaram a suspensão da vacinação de adolescentes, entre elas, as prefeituras de Natal (RN) e Salvador (BA). Agora há pouco, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, decidiu seguir a recomendação do ministério e também suspendeu a imunização de adolescentes na capital federal.



Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte