Cookie Consent
Internacional
Rússia recorre a ataques mais violentos no leste da Ucrânia
Publicado: 00:01:00 - 26/05/2022 Atualizado: 22:58:38 - 25/05/2022
A Rússia chega ao terceiro mês da guerra na Ucrânia acumulando reveses militares e recuos em sua estratégia de combate. Sem conquistar a capital ou derrubar o governo de Kiev, Moscou foca agora um ataque total no leste, onde tenta conquistar a estratégica cidade de Severodonetsk. Mas mesmo sua ofensiva na região do Donbas tem enfrentado encolhimentos conforme o tempo passa e os países ocidentais continuam a armar a Ucrânia.

ANDRIY ANDRIYENKO/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚD
Prédios foram destruídos por ataques na região de Kramatorsk, principal cidade do leste da Ucrânia

Prédios foram destruídos por ataques na região de Kramatorsk, principal cidade do leste da Ucrânia


Nesta terça-feira, 24, a forças russas realizaram um ataque total para cercar as tropas ucranianas em Severodonetsk e Lisichansk em uma batalha que pode determinar o sucesso ou fracasso da principal campanha de Moscou no leste. Segundo Serhi Gaidai, governador da província de Luhansk - que abriga as duas cidades - a estratégia russa na região é de “terra arrasada” e isolamento completo.

“O inimigo concentrou seus esforços em realizar uma ofensiva para cercar Lisichansk e Severodonetsk. A intensidade do fogo em Severodonetsk aumentou várias vezes, eles estão simplesmente destruindo a cidade”, disse ele na TV, acrescentando que havia cerca de 15.000 pessoas morando lá.

Como a cidade mais oriental ainda sob controle ucraniano, Severodonetsk está exposta à artilharia russa em vários lados. Os bombardeios destruíram vastas áreas da cidade e os civis ficaram sem eletricidade ou água corrente.

Tropas russas destruíram uma ponte na cidade no sábado, dificultando a retirada de pessoas e a chegada de suprimentos, disse Haidai no domingo: “Se eles destruírem mais uma ponte, a cidade será totalmente isolada, infelizmente”. Durante a noite, os militares russos atacaram áreas civis de Severodonetsk, incluindo arranha-céus, matando quatro civis.

Nova Mariupol
Agora que terminou a batalha pela cidade portuária de Mariupol, após a rendição dos últimos combates ucranianos, a Rússia tenta cercar Severodonetsk destruindo suas ponte. Segundo Liudmila Denisova, comissária de direitos humanos da Ucrânia, a cidade está se tornando “uma nova Mariupol”, onde milhares de corpos já foram encontrados, incluindo mais 200 nesta terça.

Com cada vez menos soldados, a cartilha russa para capturar cidades e vilarejos é destruir as áreas urbanas com artilharia pesada e foguetes e, em seguida, mudar-se alguns dias depois. Essa estratégia é adequada ao exausto exército russo, que não possui as tropas necessárias para uma guerra urbana sustentada.

A Rússia está tentando ganhar o controle de Donbas, que inclui as regiões de Donetsk e Luhansk. Às margens do rio Severski Donets, a cidade é um dos últimos grandes redutos urbanos sob domínio ucraniano em Luhansk, ao lado da vizinha Lisichansk. Segundo o ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmitro Kuleba, esta ofensiva russa no Donbas é “a maior em solo europeu desde a Segunda Guerra Mundial”, em uma declaração que visa obter ainda mais armas dos países ocidentais.

O presidente ucraniano, Volodmir Zelenski, reconheceu a intensidade da batalha. “A situação de combate mais difícil hoje é em Donbas”, disse ele em seu discurso noturno. “Eles organizaram um massacre lá e estão tentando destruir tudo que vive lá, literalmente. Ninguém destruiu Donbas tanto quanto o exército russo faz agora.”

Encolhimento russo
Pouco mais de um mês após a invasão, a Rússia reconheceu o fracasso de sua ofensiva à capital e retirou as tropas de áreas próximas a Kiev, declarando uma mudança de foco para a região industrial de Donbas, onde separatistas apoiados por Moscou têm lutado contra as forças ucranianas desde 2014.

O objetivo agora é muito menos ambicioso: conquistar o Donbas para além da área onde já havia avançado um mês atrás. A área com as batalhas mais críticas tem apenas 120 quilômetros de largura e inclui três cidades principais: Sloviansk, Kramatorsk e Severodonetsk.
Mas as forças ucranianas têm um recurso defensivo importante na região que impede o progresso russo: o rio Severski Donets. Quando um batalhão russo tentou usar pontes flutuantes para atravessar o rio este mês, foi um desastre completo. Evidências públicas sugerem que mais de 400 soldados russos podem ter sido mortos ou feridos pela artilharia ucraniana.

Para ter certeza, a Rússia apreendeu pedaços significativos de território ao redor da Península da Crimeia que Moscou anexou oito anos atrás. Também conseguiu isolar completamente a Ucrânia do Mar de Azov, finalmente garantindo o controle total sobre o principal porto de Mariupol após um cerco que impediu algumas de suas tropas de lutar em outros lugares enquanto lutavam contra forças ucranianas resistentes.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte