Recomendações do Unicef

Publicação: 2020-03-21 00:00:00
A+ A-
Em meio ao aumento dos casos de Covid-19 no Brasil - e a grande repercussão da epidemia no País -, muitas famílias têm se perguntado como falar sobre o tema com as crianças. Para orientar pais, mães e responsáveis, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) preparou oito dicas simples, voltadas a informar, confortar e proteger meninas e meninos. Segue o texto da entidade:

Embora crianças não sejam a população mais afetada pelo coronavírus, elas podem estar particularmente mais vulneráveis a sentimento de ansiedade, estresse e tristeza. É possível que elas achem difícil entender o que estão vendo online ou na televisão - ou ouvindo de outras pessoas. "Por isso, ter uma conversa aberta e cuidadosa com as crianças pode ajudá-las a entender, lidar e até dar uma contribuição positiva para os outros", defende Florence Bauer, representante do Unicef no Brasil. 1. Faça perguntas abertamente e ouça a criança; 2. Seja honesto(a), explique a verdade de uma forma que a criança entenda; 3. Mostre à criança como proteger ela mesma e seus amigos; 4. Ofereça segurança; 5. Verifique se elas estão sendo estigmatizadas ou espalhando estigmas; 6. Procure quem pode ajudar; 7. Cuide de você; 8. Encerre as conversas com cuidado.

Direito de aprender Além de conversar com as crianças, o Unicef recomenda que sejam adotadas medidas para garantir o direito de aprender, seja tornando as escolas ambientes mais seguros, seja oferecendo alternativas, caso as escolas sejam fechadas. Todas essas medidas são essenciais para mitigar os impactos da pandemia de coronavírus na vida de crianças em todo o mundo.

Olimpíada
As provas da 16ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas acontecem em 26 de maio e 26 de setembro, e serão distribuídas de acordo com o grau de escolaridade do aluno: Nível 1 (6º e 7º anos), Nível 2 (8º e 9º anos) e Nível 3 (Ensino Médio). Realizada pelo Instituto de Matemática Pura e Aplicada, a competição é voltada a estudantes dos Ensinos Fundamental (6º ao 9º ano) e Ensino Médio. O resultado estará disponível em 8 de dezembro. Inscrições estão se encerrando.

Cancelamento de aulas
O Programa Complementar de Estudos do Ensino Médio (Proceem/UFRN) suspende as aulas a partir da terça-feira (17), por um período de 15 dias, em razão da prevenção contra o Covid-19. Em comunicado, a coordenação divulgou informações sobre como serão compensadas as aulas presenciais, em virtude da paralisação. Como solução, as aulas serão feitas online, por meio do Podcast Proceem EAD 2020, com a fala dos professores de cada turma, e aulões virtuais via YouTube e Skype. O Proceem é organizado que tem objetivo de realizar aulas preparatórias para o Exame Nacional do Ensino Médio - Enem. No momento existem 10 turmas, distribuídas entre o Centro de Educação e Setor de Aulas I da Universidade Federal do RN.

Ensino a Distância
Todos os olhares estão voltados para os desdobramentos da pandemia do coronavírus, no segmento educacional não poderia ser diferente. No país, com a suspensão das aulas, algumas escolas estão buscando alternativas de ensino de forma virtual. A modalidade de Ensino a Distância é uma tendência que tem aumentada gradativamente por todos os meios de aprendizagem. Será o fim da sala de aula? Não. Pelo contrário, a prática vai fortalecer, ainda mais a posição do professor.

Alternativa
Para amenizar os prejuízos causados pela pandemia do novo coronavírus, o Ministério da Educação (MEC) autorizou a substituição de disciplinas presenciais por aulas que utilizem meios e tecnologias de informação e comunicação em cursos que estão em andamento. A medida foi publicada na edição desta quarta-feira, 18 de março, do Diário Oficial da União (DOU). Ao criar a possibilidade do ensino a distância na grade presencial, o objetivo da pasta é manter a rotina de estudos dos alunos. A mudança é válida para o sistema federal de ensino.

Sem o Sinte/RN
Na nota sobre a decisão da suspensão das atividades presenciais das escolas públicas e privadas no Rio Grande do Norte durante 15 dias, por proteção ao coronavírus, não consta representantes da categoria dos professores, como o Sinte/RN. Assinam a nota a Secretaria Estadual da Educação, o Conselho Estadual de Educação, a União de Dirigentes Municipais de Educação, a Secretaria Municipal de Educação de Natal - SME e o Sindicato das Escolas Particulares do RN.







Deixe seu comentário!

Comentários