Rede pretende confeccionar 200 mil lençóis hospitalares no RN

Publicação: 2020-09-25 10:40:00
 O projeto-piloto Rede Solidária de Empreendimentos Autogestionários de Confecção do RN, criado pela Subcoordenadoria de Economia Solidária da Secretaria do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social (Sethas) do Governo do Estado, pretende confeccionar 200 mil unidades de lençóis hospitalares para a rede pública de saúde do Estado ao mesmo tempo em que  promove a inclusão produtiva de mulheres em situação de vulnerabilidade socioeconômica no Rio Grande do Norte.

Créditos: Governo do RN


A Rede Solidária de Empreendimentos Autogestionários de Confecção do RN surge como uma possibilidade de fortalecimento da atividade econômica através da contratação da Cooperativa de Comercialização Solidária Xique Xique (Cooperxique) para a confecção dos 200 mil lençóis. 

Na elaboração do projeto Rede de Confecção Solidária a Sethas mapeou a demanda de compras de confecção da área da Saúde (enxovais hospitalares). Como parte das ações emergenciais de retomada econômica, em parceria com a Sesap e a Sedec, a Sethas apresentou o Projeto de Cooperação para a contratação da Rede de Confecção Solidária, por meio da COOPERXIQUE, reconhecendo o potencial produtivo do segmento, e o compromisso com a construção de autonomia econômica de iniciativas coletivas, promovendo a inclusão produtiva de mulheres em situação de vulnerabilidade socioeconômica.

A Rede de Confecção Solidária é constituída por 19 empreendimentos econômicos solidários em 19 municípios e 9 territórios de identidade do Rio Grande do Norte, e reúne 201 trabalhadoras costureiras/artesãs participantes das atividades produtivas.

A pandemia, além dos efeitos devastadores na saúde com mais de 130 mil óbitos no Brasil, agravou a situação das vulnerabilidades socioeconômicas da população com a perda do trabalho e da renda.

Nesse contexto, explica a subcoordenadora de Economia Solidária da Sethas Lidiane Freire, ganham relevância iniciativas socioeconômicas solidárias que possibilitam formas de trabalho associado, de obtenção e melhoria de renda, qualidade de vida com sustentabilidade e justiça social.

Dentro da perspectiva da retomada das atividades com um cronograma escalonado a Sethas desenvolveu estudo e identificou demandas de empreendimentos autogestionários no campo da confecção artesanal, estruturando a política de fortalecimento e articulação de empreendimentos em redes e cadeias produtivas solidárias com o objetivo de ampliar a capacidade de produção, acesso a mercado, geração de trabalho e renda para trabalhadora(e)s no Estado.


REDE SOLIDÁRIA DE CONFECÇÃO
Composição:
19 municípios

09 territórios

19 empreendimentos de economia solidária (EES)

201 trabalhadoras